Música

segunda-feira, fevereiro 13, 2017

entre fios desatad@s e a meias entrançad@s

nesses cantares diurnos de belos seres que aos pares invadem o nosso olhar
nesses detalhes tão simples e tão profundos
que se  dão e se oferecem mão em mão...
e desse olhar simples a esse simples olhar
que é tudo e não tem nada
ano inteiro a saber modelar

a visão
o contentamento
o toque de soslaio no tempo

o ouvir a palavra "amar"
o sentir esse arrepio na alma
quando  outro - o ser -
nos confia que nos vê e nos ama
réplica que assim haja também...

pequenas legadas letras
mais quentes que frias
quando em poemas
prosas ou poesias
alguém para para tas ler

e quando alguém lembrou de escrever simplesmente para ficar
a te ver a te sentir a te ouvir a te olhar...
viver na recordação, melhorar em cada passo a se dar
e  para a próxima vez que se tenham entregue as poesias
sejam quais vós sois e soais noutro tempo... noutro lugar...

Sem comentários: