Música

quinta-feira, julho 30, 2015

AS PAISAGENS AOS PENHORES AS PENHORAS AS "PENHAS" AOS SENHORES E AS SENHORAS MAIS NOV@S MAIS VELH@S





A Habilidade de sonhar
 – sem sair do seu lugar – e manter a via e a vida que sonhou
– de uma forma…
– a digna ficar… pessoa humana em dignidade em sua própria idade…






Uma forma de honrar as actividades que sempre praticamos – uma forma de perseverar por entre ventos que e ignoramos 

– por entre histórias e novelas em cada dia em cada instante... 


– um sonho qual poema – de uma vida – inquietante tema que nos enamora – em cada momento de viragem 

– de algo que nos de – sustento – quando a fria aragem – de passagem ecoa aos mais de quatro ventos que os nossos digno enamorados sonhos e os mais doces lamentos...

- e até pesadelos mais medonhos se transformam – por obra e graça – do que assim se concretiza e bem mais não passa e pela força que nos realiza – que em nós – adentro – qual espigão de vidro doirado – assim se estende e brilha e diz – esse sonho.... esse caminho.... essa direcção de brio – d@ ser HUMANO E DE MANTER-SE HONRAD@ - enquanto tal...


 - assim por dentro - qual espiral - por fora - passo a passo - sendo o que somos - algo mais além do normal - uma figura bem real - gerada por algo de novidade - entre o cântico belo da eternidade - e o sonho de uma estrada anunciada - essa a nova chegada - que chega e bem se enamora... 


- o abrir olhos de par em par - e vendo a ANTIGA  E VELHA ESCOLA -  - verde e sem mais... sem fim...

 - assim eras - eiras - verdejantes, lugares que se percorriam - livres - antes... agora - sempre dentro de betão de instalação com televisão obrigatória sem tempo para antiga memoria de se descobrir por si mesm@...

- o tempo o espaço  a vida que é em nos senhor - senhora e que sendo vida nos trouxe a vida... antes na SUA DEVIDA HORA agora - "OCITOCINA SAGRADA" e "prolactina estraga"...

- assim nos bem refazem - boiões em corações assim se comprazzzzem...



...VENDER PASTILHAS DE "RAPIDISSIMO"... 
EFEITO 
...PARA... QUE... VENHAM... 
...OUTROS... 
...DEPOIS...

BEM DIZER 
O
QUE
...SEMPRE TIVEMOS BEM FEITO ...



ENTRE ESTA E QUEM ESTA ATESTA ESTÁ DE FRONTE QUE AFRONTE E COM FORTE - COM FRONTE...

UMA NAÇÃO COM VIRTUDE E BRIO E HISTÓRIA E SABER SER
É NAÇÃO - E MAIS NÃO SE DEIXA 
ASSIM
@
 BEM SER
SENDO

A MESMA LETRA PARECIDA ENTRE CÂNTICO E GRAÇA SUSTENDO A BANDEIRA INVICTA EM VOZ E BRADO AFIM ASSIM TIMBRADO LADO A LADO RENASCIDA COMO FOI SIDO- SENDO -  CASADA ENTRE ANOS DE PRATICA TIDA COMO "UTILITARIAMENTE" USADA PARA OUTRAS PRATICAS E OUTRAS VIDAS... 


AGORA PORTO DE ABRIGO DE ETERNA E VIVA AMIZADE... ENTRE QUEM DA VIDA BEM FAZ PARTE E QUEM ENTRA E PARTE DESSA OUTRA FORMA DE SER EM COLIGAÇÃO ASSIM SUSTID@

 - SENTIMENTO DE BEM VIVER E SENDO O ALIMENTO ABRIGO SENTIDO DE BEM SER E AINDA ENTRE A TERRA AMPARADA ENTRE RAÍZES DE VIDA ASSIM SUSTIDAS

 AS VIDAS ESTANDO BEM FUNDAS ENRAIZADAS ESSAS AS JANELAS ABERTAS ESSES OS CÂNTICOS ESCRITOS ESSAS AS PLANÍCIES DESERTAS SE NÃO AS ENCHERMOS DE HUMANOS - VIVOS- BRADOS - DESCRITOS EM CÂNTICOS E SONETOS E HINOS QUE ...FALEM DE FORMA BEM VERAZ...

VIVA DE UMA HISTÓRIA DE UMA NAÇÃO QUE É ASSIM BEM CAPAZ DE REERGUER MEMÓRIA E DE MAIS ERIGIR E REERGUER 

DE ENTRE O PÓ DA HISTÓRIA ASSIM 
- A VERDADE MAIS PURA AO DE CIMA A BEM TRAZER - 

RIMA FRIA RIMA CLARA - RIMA ALGO DE BRIO ENTRE @ TAL  
ESTRADA 
PROPOSTA @ BEM 
VELADA
(VAI CONTINUAR)



"CÂNTICO NEGRO" - A VISTAS ACLARADAS É CÂNTICO QUE CONDIZ - DIGNA A MENTE - COM DIGNIDADE EM HUMANAIDADE PREZADA
MAIS NÃO APRESSADA 

-  NEM PRESSA...
- NEM TOMADA...

A PESSOA 
POR 
UMA ESTRADA 
QUE 
NEM ESTAVA

- QUE SE VAI SERVINDO; 
- QUAL SUAVIDADE; 
-  SE SERVE NA MESA;
REDONDA




A PAISAGEM
 MAIS 
BELA OU MAIS 
TRISTE

É 
AQUELAÓND@ 
TU
JÁ 
NÃO 
ESTÁS









terça-feira, julho 28, 2015

NEM TODAS AS HISTÓRIAS BATEM - CERTO- E AS QUE MENOS BATEM ÀS VEZES APONTAM RUMO - CONCERTO - DISCRETO - FUNDAMENTO...

UMA HISTÓRIA COM ALGUM TEMPO - MAIS DE DEZ ANOS - UM FUNDAMENTO...


QUINHENTOS ANOS DE PRESENÇA - AMIGA E MERITÓRIA - EM ALGUNS LUGARES A HISTÓRIA TRADUZ-SE POR ECOS DE HUMANA MEMÓRIA...

lugares como Lifau - assim sendo os primeiros a terem sido VISITADOS
 (esclarece a placa que TIMOR NÃO FOI CONQUISTADO)

- depois linha
pela força das armas
depois linha
com agua e sal

e
depois - linha se linhas de devoção enraizamento e ficar - ali servindo - que pessoas deste tipo e calibre também ali arribaram e ali - assim ficaram -adormeceram em lugares consagrados e nesse lugares assim ficaram - lembrados - por quem... pelos PROPIOS SERES HUMANOS LOCAIS ... que levantaram placas - em xisto escritas... em letras doiradas de escolas... que ainda existam
- OU NÃO -

que escreveram em LUSITANA PAIXÃO

sendo TETUM A LINGUAGEM DE BASE OU BAHASA indonesio a que se mantinha por estas bandas - ou BAIQUENU -

 - ali no ENCLAVE - MAIS PEQUENO desse antiga NACIONALIDADE que sendo sentida e assumida- levou o pequeno grande - "MALAI" -

- de mão dada - pelo grande da terra -assim sendo de mão calejada -e a de estatura disfarçada

-a mostrar... o legado de bem... fazem de bem querer de bem estar e de bem ficar lado a lado - com as placas que já não se podem encontra - como XIMENES BELO


- que se candidatou A PRESIDENTE DA NAÇÃO sendo bispo de "ocupação - a devoção e a compaixão" rasgam as vestes de sumos sacerdotes e assumem o seu real papel em épocas ditas estranhas...

- eram os ventos pré auto-determinação e os dos 1999
- e os peremios nobres internacionais - e as qualificações MAIORES QUE O MUNDO INTEIRO PUDESSE ENTREGAR...

- estes lado alado - PARA A PARA - largaram o mais lato que o mundo pudesse outorgar - taça medalha podium dinheiro e lançaram-se ao VERDADEIRO OS - VALORES UNIVERSAIS QUE NEM SE COMPRAM NEM SE VEDEM . VIVEM-SE NO SEU JUSTO MOMENTO...




aqueles da cruz de CRISTO que falta aqui nomear - em letra doirada - em placa de xisto de escola primaria e em mão - assim abordadas por quem é e bem sabe e assim fez  foram quinhentos anos de devoção - linhas de animistas de pessoas das linhas da resistência das pessoas das linhas da nobreza local- régulos que ainda são - das da dita "ecclesia universal"





- ATENÇÃO E ESTES ERAM E SÃO - e das ditas pessoas internacionais que - ANDANDO ENGANADAS iam por onde as organizações - em "Dili Centralizadas" - mais além não iam muito e em jipes mal chegava (tiros nas cabeças anunciados - por quem bem sabia receber ultimatos - de outras organizações que não se comentam - e que nos acompanham ainda- depois de serviço que mais não se comenta a- fim e igual)...




essa a força - de algo estranho que entretanto e tanta história - que dia adi a- qual fogo cruzado - nos é dita e recalcada - exista ainda- uma verdadeira humanidade de rostos humanos vários de digna e valoroso identidade desconhecida- gente do dia a dia - a beira de gente grande - foram "al-katiris" a voar e sendo perseguido s- pro serem de ouros trejeitos - de cariz - indonésio e "muculmano" - nada a ver - era "ATAURO ILHA  E CONTROLE GEO ESTRATEGICO DO PACIFICO E O SUN RISE OIL"  a condizer - eram arames farpados nas ruas e carros a esvoaçar - metade do povo de azul une metade de cariz - semi -  popular - e um que antes era - da sua nação presidente e os que eram da resistência -  apoio - de um outro lado -uns fardados outros não - e assim se uniam - na raia mais afastada - nos lugares mais - esquecidos- entre cresces de seres banidos que desde 1960 ali em ficaram- mesmo depois de invasões os corações bem andaram... e bem seguiam e bem perseveraram...

na montanha - as pessoas eram da mesma FAMÍLIA - fossem da TIMOR ORIENTAL OU OCIDENTAL - que na linha - da raia - entre-matos e maiorais - assim se mantinham sendo - as mesmas pessoa s- os mesmos valores UNIVERSAIS- independente - do que lhes diz-se o INTENDENTE internacional - cartão para uns - 'nacionalidade - cartões para outros - nacionalidade e- no meio - a "legitimidade" de termo sido contratadas RAZIAS de milícias que desapareciam - de milicianos assim nãos sendo povo - que povo ali bem sabia bem ser - e que - como ao lado - de uma história mal ou bem contada que se uniu um povo a um reino universal - a base de e pagar taxa de estola - de comprar direito de estar representados no - seu legitimo lugar - nas nossas "assambleias da republica traduzindo" - que ressurgindo - entre obras de valor lançadas entre o teatro das outras pagas e entre gentes humildes do dia a dia - sem nome - "cacha muiñas" e Almeidas... João Baptistas ameias- sempre desconhecidas entidades que representam grande  e pequenas HUMANIDADES juntas contra "OPRÓBIOS"...

- assim a indignidade sendo o nome que se legitima -numa forma de grandes margens de ser parte das grandes marés dos tempos e dos nossos estranhos dias...



todas estas "GRANDESSÍSSIMAS QUESTÕES" - fundações Oriente - reuniões de gabinete com as máximas entidades mundiais...

- soam a pouco ou nada - COM A FORÇA DAS GENTES que nas aldeias -  mais sossegadas . em festas de ano inteiro - maiorias assim presentes sempre em frente como primeiros entre pares o NÃO INTEIRO - sentados de "cócoras aos setenta"...











- a frente umas senhoras de lado...


- qual YOGA sentadas - assim planificavam recebia - e "baptizavam" ou despediam - seres de vida plena - entre quem bem - lhes dizia - que outra  trova - outra litania de quem vinha de pasta em mão - com trinta anos de vida e muito estudo e preocupação - iria - preenchendo umas caixas com papeis de quem ler não sabia...




- escolher uma nova forma de governo  e governação e - ao mesmo tempo - em linguagem muito próprio - XANANA assim de camisa "arremangada" - de camisa fora das calças de sandálias - de jeans - fazia rir...


- A "UNISSET"...


- O RESPONSÁVEL DAS NAÇÕES UNIDAS a "interpol" e companhia - e - os ditos representantes internacionais .- assim voluntários - que nestas épocas nem se sabe se são se não são e quem assim - representam - e os maiorias- de sempre QUE SEMPRE FORAM...


- NO CHÃO - todos os outros bem sentados - assim ouvindo - de "cócoras sorrindo" ou se entre - olhando - o que - bem o "KAI RALA" - lhes dizia - sendo a meias a sua litania.. que o amor tem sido mais forte - mesmo na reorganização de outras entidades que não a da "crística luminaria"...

- e que sendo ainda estando -nos lugares mais esquecidos - mantida viva - estas gentes luzidias - dia a e noite caminhavam- mais de vinte quilómetros - famílias de uns trezentos - para se encontrarem - em lugares...

- UM ANO DEPOIS DA PARTIDA DE UM SER - PARA ASSIM DEIXAR - O QUE SOBRASSE DE DOR - ir para aterra - em festiva companhia...



assim de noite - CELEBRAVAM - quatro de cada lado com seu digno aspecto - maiorias - "presbiteros - anciões" -  da terra;

bem SEM SEGREDO - assim ao lado de todos rodeados - de uma e outra família - quem seria responsável - como estariam as famílias unidas quem estaria - a dar o que e quem sustentaria...


- eram as ALDEIAS OU SUCOS INTEIROS QUE SE UNIAM  esse houvesse problemas- tudo estava assegurado - quem contava a história desde outras perspectivas NÃO TENDO SIDO CONVIDADO - afirmava que eram "dotes"...

- assim ditas as pessoas - "barlaks" - que se entregavam - quando eram as mais profundas raízes e as pontes mais estáveis e a velocidade de estabilizar de quem bem sabe...

- fazer ali sendo PRIMEIROS ENTRE PARES assim a s e mostrar e a bem dizer...


DIFÍCIL DE MOSTRAR TODAS ESTAS GENTES ESTAS PESSOAS ESTAS EXPERIÊNCIAS QUE BEM MERECEM ESTAREM VIVAS E SER BEM PRESSENTE - VALOR DE HUMANIDADE QUE A NOSSA GENTE AINDA CONSERVA EM BOA VERDADE

-EM LUGARES ONDE ESTE VALOR AINDA SE DOA

- AINDA SE BEM ESCREVE E MAIS NÃO SE DESVANECE ENTRE EXPERIÊNCIAS E OUTRAS CIÊNCIAS DE "MACRO- BEM ESCLARECER"...


como nas chuvas eram vivas e livres e as pessoas bem sabia

- vir à porta e bem dizer - e outras que nos chovam - dia a dia- todos os dias pela janela mais indiscreta e nos entrem pelas pupilas e nos mudem o que eram os valores e as ciências humanas e as raízes mais bem certas - essas de lugar e humildes vidas - de quem não vê noticias a mesa -  de quem não coloca moedas em lugar de pessoas em cima da mesma - quando se encontram pessoas seres humanos e vidas dignas assim consideradas

 - tábuas redondas de outra forma contadas - por quem em poema - PEDRO HOMEM DE MELLO - de cima abaixo bem dizia - aromas de incenso - lhe outorgaram - e os de estrume e de lama e das redondas malgas que beijos de vida - ocultavam - assim e também - seres que conheceram as alturas e as gentes mais da cultura popular por finidade e contaram em cânticos além idade algo que a história - em pessoa s- assim bem esquece se em pessoa e vida -assim mais não permanece..



... que quem estava... DEIXOU EM TESTEMUNHO E HERANÇA - EM CANTIGA DE POVO DE FADO DESTINO - que é de cultura amiga . amigo e de forma real bem considerada - que agente bem se levantava quando o fado era prezado e em silencio bem ouvia - a história que assim detinham a bem - ou a mal - seres antigos
 - assim escrito e como valor a bem deixado - como HERANÇA E TESTEMUNHO....


- em Timor entrelaçando - as folhas das palmeiras - fazia e mais não recebia - pro que era e assim e pertencia - comunidade uma força unida além de proletariado e "ismos" mais bem ou mal contados - vistos entre gentes vivas e lugares bem viventes e entre as nossas vivas e dignas e honradas e livres gentes - em lugares antigos ainda de sim mesmos - vivos - e por si mesmos sustidos e sustentados - que aninhem - e bem precisem - de serem assim - bem - alicerçados- com serviços de utilidade básica e primaria - como a saúde que se começa a bem cobrar sem alternativa de bem fazer - como a justiça que se começa afastar - para lugar de não mais saber - como a educação por pares  como maternal aprendizagem ou como mestria e mestres e aprendizes bem fizeram...


- como nas artes marciais - como nas artes de serralharia de carpintaria - de profissões de costura que bem descontaram e contaram - o tostão das linhas mais duras e cortando as mais brandas ainda são - vivas senhores de plena esperança - e branca alvura e senhores de crosta em peito qual árvore antiga nestas terras senhora - qual "sobreiro" aqui bem diga - qual carvalho noutra bem plantado- qual na terra de timo mais não havia a folha da palmeira tudo sendo doado - vinho e aguardente e lugares para entrançar





 - cabanas e telhas e lugares para celebrar e gados assim bem trajados e as ditas de frutas ainda por serem prezados... como antes nos outeiros - esses reis de gente -assim companhias amigas - mais não podem agora dizer sendo espécies protegidas- mais não se podem VER  nem NOS BEM CONTAR que aconteceu e quem reescreveu esse amor que não para de falar


- no mundo inteiro de bem unir -


 de bem se celebrar e bem ser - a bem assim reunir - sem ter badalo -  se clama - a gente vinte quilómetros sou mais -

 -a pé ou de camião na parte de atraz... bem chegavam...


- e de madrugada erguiam e voltavam - 

e as escolas sendo ainda - mal iniciadas... pois escola BOA ASSIM TINHAM DE SEREM GENTE BEM DE EDUCADA...


como na raia e a linha e as pedras das - gentes mais aldeãs que sendo gentes de bem saber - assim sabem bem acolhe e saudar - olhos nos olhos sem temor - assim como em TIMOR...


- e mesmo entre lusco fusco - algumas  portas ainda bem abertas sem medo de que chaves e claves electrónicos fundamentos lhes deixem a portas de sacos abertos - assim equilibrismos e brios humanos certos -amigos e amizades entre antigos e pequenos lugares... assim como nas cidades:

  - uns "devocionais" por algo  - vida inteira dedicada - outros por outros motivos e outras causas assim também bem adaptadas uma forma de mostrar aparte da historia que não se está a contar 

- implica algum autonomia algo de ousadia e levar - a contra corrente - tanta e tanta gente que bem e também sabem assim interpretar e bem navegar... que "génios" somos todos... 


quando assim podemos bem ser com as gentes das montanhas de Timor- mais de dez anos - de blogue - entre as nações unidas - mensagens poucas lidas no seu quartel - entre geradores e pequenas picadas de bichos que mais vale esquecer entre "malárias" ditas quentes ou frias e frios de ...mais bem querer e entre lugares de teclados ditos...

...estranhos sem cedilha para assim convencer que era desde esses lugares que se procurava...

- dar a ver- 

...uma outra forma de viver em verdade e assim...

 poder partilhar e unir... uma tecnologia desde o outro lado do mundo e uma outra forma de vida assim comum e afim  

... neste recanto de encanto de inicio de novo mundo ...





(vem plantar tempestades - para recolher @ "bonanza" - cata canta amigo canta - tu das-me a força da vida - eu dou-te a minha canção...)


Viver em casa de tábuas 
À espera de um novo dia, 
Enquanto a terra engole 
A tua antiga alegria.
PESSOAS IDOSOS DOS NOVOS DIAS E GENTES VIVAS FERMOSAS ANTIGA E NOVA ALEGRIA 
 
Canta, canta amigo, canta, 
Vem cantar a nossa canção, 
Tu sozinho não és nada, 
Juntos temos o mundo na mão. 
CENTRALIZAR 
DIVERSIFICAR 
LUGARES ANTIGOS 
NOVOS LUGARES

- A VAGAR - 
DEVAGAR 
ACELERANDO 
ACELERANDO

DIZENDO COM VAGAR:
TANTO DE VIDA... 
D@ VIDA TANTO...

 
Canta, canta amigo, canta, 
Vem cantar a nossa canção, 
Tu sozinho não és nada, 
Juntos temos o mundo naS mãoS.
ASSIM MÃOS ERGUIDAS 
E
NÃO UMA MÃO APENAS
 
ASSIM MAIS REUNIDAS 
POR ONDE ASSIM 
VALHA A PENA...




AINDA GENTES QUE PENAN 
E GENTES ASSIM A PENAR 
ENTRE GENTES...
..TANTAS TANTAS
TANTAS GENTES... 
A ESPERAR
UM LUGAR DE "EMPRAGABILIDADE"...
UM LUGAR ONDE CONCRETIZAR... 

UM SONHO DE VIDA  E LEALIDADE...
UM LUGAR ONDE ENCONTRAR... ESSA TAL HUMANIDADE...
QUE NOS BEM ENSINAVAM - ASSIM A BEM - SER - REFLECTIDA...

ENCONTRADA ENTRE A SUA DIGNA IMAGEM E DE NOVO ASSIM SENDO´ - REVIVIDA 

- NÃO FAZ TEMPO OU IDADE
 QUE A DITA MAIORIDADE ASSIM A BEM - A BEM NOS A COMCHEGAVA


 
 
O teu corpo é um barco 
Que não tem leme nem velas; 
A tua vida é uma casa 
Sem portas, e sem janelas;
encontrando esse lume
esse lar esse lugar... 
onde lúmen e semente de vida: 
e espelho de vida reencontrar
assim o barco ruma - sem ter leme nem velas e as imagens de vida espelhadas
sendo e saindo transparecendo por entre portas abertas e bem abertas janelas - qual BRISA DE PRIMAVERA e sol - QUE LIMPA E REGENERA e de si dá - 
 
Não vás ao sabor do vento, 
Aprende a canção da esperança, 
Vem semear tempestades 
Se queres colher a bonança


INDO POR VEZES A CONTRA CORRENTE 
CHEGANDO À ORIGEM 
DA VIDA 
A NASCENTE 
ASSIM
TAMBÉM A
BEM SE REVEJA
 
ESSE SER QUE ALMEJA 
TRAZER DE VIDA DE NOVO 
A SEMENTE ESQUECIDA 
PLANTADA POR DENTRO

EM ESTIO VESTIDA...
DESPIDA ASSIM 
SEMENTE HUMANA E DIGNA 
HUMANIDADE SENDO 
QUAL EM LUZ DE PRIMAVERA 
E SOL QUE A REGENERA...
A VIDA DIGNA E DIGNIFICADA
EM FORMA DE VIVER 
EM SER HUMANO ASSIM - REENCONTRADA







 







segunda-feira, julho 27, 2015

UMA FORÇA DE EQUILÍBRIO - AGUAS A SUSTENTAR - O PILAR MAIOR E MAIS FINO - QUE A TERRA POSSA ENCONTRAR - POR SI MESMA EM VENTRE LEVANDO A VIDA HUMANA ASSIM PROTEGENDO....




OLHEI
dentro da anima
olhei dentro do cor

e
borbulhando 
ali sendo

PRESENTE

estava 
ORIGEM









Como os Deltas dos rios APONTAM À NASCENTE
- ESTRANHA FORMA DE SENTIDO E VIDA...


UM DELTA de águas - que chegando ao seu mar de centro - de sempre- apontam ao principio primeiro - à nascente - ao lugar silencioso onde começaram a aprender a cantar e livres ...por entre as veredas - a ir e cantarolar a liberdade... sem maioridade que permite sendo ser vivente e assim também em nós...  maioria de ser... de humanidade... quem em agua se transformou
- em terra abençoada em calor de luz de sol - e em verde de vida - amada - assim se forma -  assim se transforma ... qual água sorrindo renascida da viva e livre fonte  - FONTE DA VIDA

- assim alta... assim SER PRESENTE.... da VIDA A SI MESMA doand@


O ser HUMANO...
assim mais não só...


... nem entregue enquanto em si bem seja e bem leve esse ser que pranto que pranta ...

que...
planta sementes de vida... afins e semelhantes...
entre...
os mais altos cumes e os mais profundos saberes...


 - lugares por dentro esquecidos - 
...como poços em deserto... sustendo...
...aguas viventes e frescor... 



...entre a candura de calor mais quente e abrasador... 

...que nem equilíbrio encontre enquanto não encontrar...


...Seu Ser... 

...fiel ... 

...PRESENTE...


(o fogo redentor a água pura e cristalina e uma flor de amor
por entre as aguas - destino e vida)


sábado, julho 25, 2015

DO TERCEIRO AO V IMPÉRIO - UMA HISTORINHA DE - LÉS A LÉS A SE SABER CONTAR

SEGUIMOS O VERMELHO
"MARTE"

FOI 
ESSA 
"A ESTRELA" 
QUE 
DE 
NÓS
DA 
NOSSA
DIVAGAÇÃO

ASSIM EM CORAÇÃO 
EM 
CÂNTICO E CANÇÃO

LUSITANA PAIXÃO
ASSIM SE FEZ FORMA D'ARTE

TODOS A TEMOS NA VOZ
E ASSIM ABEM CANTAMOS
E SEM DIZER NADA
BEM DIZENDOSUA LUZ
MAIOR
ASSIM ABE LEVAMOSÉ VELAS ASSIM CANDENTES NAUS E GENTES PRENHES DE VIDA
ASSIMELVARAM ENTRE MARES MARÉS E CONTINENTES
ALÉM DE MEDO DE SER GENTE
 A DIGNIDADA DE SER´GENTE HUMANA´MAIS NÃO PERDIDA
ENTRE AS VELAS UM CASTIÇAL
E NO LEME
OR ENTRE AS VELASÚM SER DE VIDA
REAL

E NA NAU
DE PEDRAS BEM CRAVADAS
UM 
TESTEMUNHO 
DE 
VIDAS

POR 
SEMPRE 
ALI 

BEM

DEIXAD@S

E
UM
MAR DE GENTES 
ASSIM REUNIDAS

HOJE MAIS NÃO TIDAS 
NEM MAIS 
VALIDAS 
AS 
SAÍDAS

NEM OS LUMES NEM OS RUMOS 
QUE 
ASSIM BEM GUIARAM

NEM OS VIVOS ESTANDARTES NEM AS ESTRELAS 
QUE 
EM 
CÂNTICOS
(FORMAS D'ANTES)
ASSIM
A
BEM
ASSIM NOS BEM CONTARAM





ENTRE MARES E MARÉS E CONTINENTES
VIDAS 
ENTRE 
VIDAS

PLANTADAS
AS 
RAÍZES POR ENTRE AS GENTES
DESSA LUZ
QUE 
DE 
CRÍSTICO GRITO E RUGIR SERENO

ASSIM 
PLENO
GIGANTE

ELEVANDO NO OMBRO 
ALÉM DO RIO 
PASSANDO

CRIANÇA 
MAIS ANTERGA

SEGUINDO 
VIVA
ESCONDIDA

PROMETIDA

@
ESTRELA

POR 
ENTRE TANTO ´
TANTO E TANTO E TANTO 

SER 
VIVENTE

PLENO DE BEM
SER
SABENDO QUE É DEVID@
QUE 
DA
 LINHA 
SE 
VAI ERGUER

(DOCE NASCENTE DOCE MEL
DOCE SER DE GENTE
MAIS ALÉM MENTE
ALÉM QUADRA ESCRITA OU DESCRITA EM PAPEL

EM 
CÂNTICOS HONRADOS LIDA
NAS ENTRELINHAS ASSIM SUSTIDA
É 
QUANDO
GRAÇA BRIO E VALOR 
SE 
UNEM EM VOZ MAIOR



ASSIM BEM CONTAM 
NESSE RUGIR DE GIGANTE 
QUE 
ABRAÇOU O MUNDO INFANTE 

PARA DAR NOVA COR 

AO 
MUNDO 
PARA LHE DAR

ALÉM 
TEMPO E ESPAÇO

UM 
SEGUNDO
DE 
PAUSAR


SENTIR E VIVER 
ESSA LUZ 
D@
VIDA


POR 
ENTRE NÓS
@
 ESCONDIDA

@
AINDA 
ESPERANDO


ESPER
VÉSPERAS 
DE 
SER 
D@
VIDA

VÉSPERAS 
DE 
SER
RENASCIDA



ENTRE A "VESPER" 
QUE 
BEM SABEMOS E A OUTRA 
QUE 
BEM SEGUIMOS 
DAMA DE ESCUDO DE HONRA 

A
QUE 
BEM 
DESCONHECEMOS



SABEMOS
QUE
 RESGUARDA
ESSE
TAL
PAVILHÃO


D@ 
...NATUREZA DESCONHECIDA...

AINDA QUAL TEMPLO SILENTE
QUAL 
LUGAR DE ORAÇÃO

MAIS 
NÃO 
SENDO PRESENTE

QUE 
RESGUARDA
COM 
PLENITUDE E VIDA 

ESSE 
CORAÇÃO 
ESSA 
CORAGEM

 ESSA 
OPÇÃO
EM
DEVOÇÃO SENTID@





LER E INTERPRETAR 
- UMA NAU E UMA BARCA E UMA ESTRELA QUE FOI PELO AR 
- ANUNCIANDO - 
TODO O MUNDO

- ALGO - 
ASSIM 
...TANTO TANTO...


































































sexta-feira, julho 24, 2015

"CORREDOIRAS" - corredores de luz doirada - medalhas silenciosas por entre gentes honradas...


Quando os pés NAVEGAVAM

por entre areias e praias - e marés- os nossos pés - navegavam...
os carros de fogo - ardente compaixão assim vogavam

nessas veredas aldeias solitárias - assim se entregavam
a percorrer estradas- apertadas- de água plenas - de gentes cheias- e encantavam...

esse ir em frente - por devoção de uma causa - que não se compreendendo - nos levava.... de bem a melhor e - nos bem acelerava
e correndo e elevando... os pés

- por ondas e marés que bem passam
no passado´
sentíamos o vento a assobiar - mais não gente - um vivo brado

e entrando nessa meta - que mais ninguém poderia achar - encontrávamos uma porta - talvez secreta - para o centro do coração - assim barcas viventes vogando e ao centro silente - da vida- apenas - regressando




sábado, julho 11, 2015

De sol a FLOR e de VIDA luar sem flor - assim reflectida...


SERRA D@ "SELENE"
serra 
de 
bom lugar

serra de lume brando de lugar em lugar contando assim em pedras silentes serena luz a ecoar
e cantando cântico antigo - DESTINO -  pelo mundo inteiro lido e sabido - pelo mundo assim a saber bem entoar

- uma toada ligeira - tão breve tão pura e presa - PLENA - por dentro - que mais não se pode deixar 

- que mais não se deseja e quem... bem... mais alto não nos vai levar 
- deixando - assim se afastando 
- para bem melhor - poder rir e chorar... ao soltar o "lastre que eras" - que levas e ao final - ao fim - assim chegar
 - nos ares e por entre as estrelas -a bem navegar -  a porto azul - em alvura -  em porta d@ mão -
segura


teu ser 
anima
- assim estando velad@ - 

ser 
que 
anima
 ainda 
estando
 - "ocult@ 
- tapad@" - 

por
entre o presente
sendo
desde o mais antigo
sendo enviado

desde o futuro
vivente
reflexo

ainda estando
vidro
assim
bafejado

@
bem esperar 
- "esper e esperança"


assim a bem te viram nascer 
- e quem... entre seres... criança -

por entre crianças... 
livres... 
...assim se conseguir...
seguir seguindo
"reconhecer"
reconhecer...descobrindo

- assim... a bem chegando... tantos... tant@s... seres de luz e de vida 
- entre sombras se entrelaçando -
 tantos 
seres de vida e de amor 
- entre os seres -

 d@ 
"cor" sustidos

nesse cor de centro
 vigor d@ mais nov@ a@ mais velh@ 
seres 
d@ 
vida e d@ abrigo


- e tantos seres de coração de ardor 
- em brio e ánimo 
- ainda-
 VIV@S

para ver esplendor 
que 
Ser d@ Vida 
MAIOR

em si 
por
dentro

ainda 
resguarda





as flores das águas
desde o "lodo" mais vivo - se elevando
resguardadas
pelas águas
e pelos briosos  seres
c@ntando

Rosa de Alvura e em tempo
sem ter COR
nem centro

assim ao centro 
sendo 
chamada
desde o centro


qual árvore
@
de
VIDA

sendo assim celebrada

até ao cimo ao se ver
erguer
uma
nascente

qual 
árvore de vida
 FLORESCENDO

FLUORESCENTE 

SEU VIVER

assim 
qual 
rosa perdida 

...NO TEMPO...




When dreams may come – true…

Quando os sonhos em si – reais – em ti e em mim – quando nestes somos – assim mergulhados – dia a pós noite – assim nos fazemos – assim “descansamos” – assim somos – regressados…

Quando te sonho – quando sonho a vida- o mundo – aquele segundo de eternidade – sonho sou – sonho me compraz – entre sonhos o meu ser a minha “essência” a tua assim encontra e uma nova – forma – assim se refaz…

Quando os tornamos verdadeiros – com aqueles seres –de vida companheiros – asso, a companhia e os sonhos e a vida- tomam novo brio :

– ganham horizontes- de grandeza de frescura – de alvura de pura e plena forma e natureza… esses por onde passeamos… por onde ainda - por ventura e graça e plenitude - passeamos - por bem de virtude..

- por onde os lugares maiores parecem – pequenos – quando vistos desde o alto – assim e também sonhamos- sonhos ledos – sonhos que todos “temos”…

Assim mergulhados- ÁGUA SOMOS – e entre água – nem nos precatamos- da imensa riqueza que se nos – bem por dentro – assim e também – se faz – sendo nuvens ondas soltas que – entre voltas – assim a bem – nos dizem – ser audaz – és bem – de bem capaz…

pássaro de lume - vivo - e vivaz - 
quebrando 
"as amarras do gelo"
do 
frio
da 
forma

assim
... 
navegando

por 
entr'aguas 
livres

se 
enrola
desenvolve
se 
transforma 

em 
Ser d@ Vida

que 
ecos 
d@ 
Vida 
devolve

(luz de vida e verdade
mergulhando de novo 
desde essa
estranha 
vereda e dessa @ eterna cidade


E somos- juntos… quais asas que voam – que se enamoram em pleno voar – quando respiras – plena de vida pleno de penas por assim poder ver – e sentir – e também ser e estar…


… livre gaivota – por entre sonhos de terras e de vidas – que mais não “nota” -  a sua liberdade – por ser livre… livre estar… entre o ar  sendo tu também tua felicidade– em verdade…


Desde os horizontes assim tendo sido (renascimento) – sonhada – tu o sonho tu a vida - tu o ar e a luz das estrelas... essas as veredas que ainda @ iluminam 

– mesma luz que se compraz – sem se ver – SE SENTE:

 – quando irradias teu ser... TÃO CALMO - qual Sol em poente...

Sendo assim d@ vida - tão quente – e quando assim se faz... qual bel presente…



 – por as vidas assim @ ver iluminar
 – as tuas veredas – as maçãs mais sentidas 
– do rosto salgadas... linhas assim... na terra bem queridas desde as alturas choradas
e a nossos pés - ainda sendo - lidas sentidas e bem prezadas
lágrimas de saber a sal - de sabe bem amar - lágrimas de céu de sorrir e chorar das terras - demais bem encantar - lágrimas... entre rocha e rochedo - entre o mais duro e mais pleno sentido de vida apuradas...
 - essas chamas quais "luzeiros"... que são de cor da flor... assim quais rosas encarnadas...

 a se bem marcar… entregando - quando plenas de vida e virtude assim se entregam por bem querer tanto...