Música

quarta-feira, maio 30, 2012

A Fonte da Vida...




A fonte da vida está na verdade... está na entrega... está na simplicidade...

A fonte da vida está no todo que represento... no fluxo harmónico de dar e receber... no respirar de forma serena...

Apreciar a beleza da estrela que se levanta sentindo a beleza da que se despede... da mesma forma... intensidade plena...

Ouvir a voz do vento... sentindo por dentro... que é a tua mesma voz ecoando... no mundo sementes de luz plantando...



É estar no silêncio... ouvindo o canto do mundo... intuindo num momento... a melodia do tempo... o absoluto num segundo...

A fonte da vida está na confiança... na esperança... na força da vida para além do medo...

Está em encontrar o espelho... que tua alma segrede.. está em desvelar o mistério... que teu coração revele...

No ego te apegas... teu aferrar... tua dor...

Fluindo nas asas do vento... fazes com que o tempo... seja a qualidade sobre quantidade...

Criando raízes... sejam elas o teu caminhar... naquilo que crês está a porta... naquilo que dás está o entrar...



Sorri para as crianças... que brincando procuram definir o seu lugar, o seu poder, o seu acreditar...
Acaricia seu cabelo precoce, seu sorriso ingénuo, seus gestos sem refinar...

Procura tu o centro... flui nas forças do momento... na tua paz encontra teu lugar...
Mudar o mundo é força, sorrir para seu encanto: graça... olhando para dentro... encontrando teu centro... caminhar... devagar...

Inspira... sente a vida percorrer tua vida... vida em vida a oscilar...
Vida que se reflecte... no ser que passa ou te mente... no ser que pára e te ajuda a lembrar...
A escolha é caminho, centro, estrada, ninho via directa à verdade... despertar...



Ainda há muitas escolhas, muitos caminhos e rotundas, muitos atalhos que possas trilhar...
Em cada passo no engano, em cada momento de soslaio vais aprendendo o que é amar...

Em cada acerto... sentes o alvo... em cada engano... também...
Pois está o caminho gravado: no fundo... no teu âmago... na tua fronte... no teu vagar para o além...



Ajuda...
te...
ser sincero...
para além do medo...
está o abraço verdadeiro...
libertando teu ser refém...

segunda-feira, maio 28, 2012

Ascenção...



O caminho do meio é bem simples... amar... este é o caminho... por isso parece tão complicado... por ser uma vida inteira para o trilhar...

Unir... complementar... apoiar nas diferenças sabendo estar... presente... num momento... num lugar...

Um abraço... respirar a dois... a dois avançar...

Equilibrar o ego... diluir o fosso... lançar pontes... harmonizar...



Dançar a mesma melodia... aprender o passo um do outro... inventar a nova forma do voar...

Para além do eufemismo... teoria concreta... olhar no olhar do outro... sem distinguir o olhar...

Baixar expectativas... sem deixar de acreditar... simplesmente olhar em frente... vendo o verde e macio da relva...a linha do horizonte com seu Sol a despontar e - mais acima - o amplo mar...

E fazendo uma ponte... entre o mundo no que nos firmámos... aquele que sonhamos e aquele onde havemos de chegar... (regressar)... encontrar num ser concreto... num abraço directo... o mesmo calor, a mesma alegria, o mesmo lar...

sábado, maio 26, 2012

What Dreams May Come... Asas de Luz


 Quando tudo parece apagar...há um outro tempo... um outro lugar... onde o poder não impera... onde a vida é mais do que quimera... onde a verdadeira estrutura "social" é a pautada pela consciência expandida e o amor universal... habitando um e outro lado do espelho... procuramos estabelecer pontes de equilíbrio, verdade e paz...sendo pontes... procuramos unir o que muitas vezes se quer separar...


Tensão complementar... entre o mundo real... onde tudo é possível, o templo do Ser... e o mundo factual... onde as aproximações desenvolvidas, pelas mentes mais evoluídas, promovem o crescimento piramidal em busca da dança das esferas... harmonia universal...

Habitando o mundo do meio... intuindo, expandido, visualizando em amor, vida, paz... somos guiados... pela verdade elevados... unindo cada vez mais nossa vida ao Ser Universal...



Cada passo dado, no sentido determinado - abraçar, fluir, voar... é uma nova pedra, na ponte que une os mundos... interior... e factual...

Até um dia... no que a cortina se dissolva... e a água do espelho já não mais escorra... e o abraço ao Ser Total te volte a despertar...



De momento espera... compreende que a medida da dor que sentes é a distância em separação da verdade que habita teu peito afinal...



Integra... que cada parte do teu ser é uma nota da harmonia do teu Ser Universal...

Medita... que a dor e alegria do mundo vão o teu veículo etéreo tocar... que podes ser artista talentoso e certos acordes aprender a tocar... para fazer reverberar... vibrar... aumentar... sintonizar...

Desperta... enquanto és vítima dos elementos, cavalos selvagens teus sentimentos, potencias por harmonizar...

Descobre... qual a tua frequência, qual a tua essência, qual o teu canal para a luz do Todo Sintonizar...

Inventa... o teu caminho entre caminhos... tua forma depois de seguir as linhas e rectas propostas neste lugar...

Reflecte... vida que provém do centro... verdade do momento... luz do teu amar... traz essa vida ao nosso vagar... para que haja estrelas no céu... e estrelas a caminhar...



Coragem amig@ peregrin@... o Sol brilha no teu olhar




sexta-feira, maio 25, 2012

Green and Blue... Red of Hearts...




A árvore movia-se... o vento por ela ao passar...seu verde enchia-me... da vida que habita no ar...
A brisa soprava... a superfície do rio a agitar... suas águas limpam... meu ser do peso a carregar...
as nuvens passavam... suave miragem a voar... sua suavidade minha luz a brilhar...
A gaivota pairava... serena...imensa no ar... sua essência... minha vida... asa com asa a entrelaçar...
Um ser me olhou... seu reflexo sentado num bar... comungamos ideias.. vimos o mesmo com diferente olhar...

Vejo o que padece... seu sofrer o meu cantar... toco o que adoece... sua vida a minha a definhar...
No círculo das eras... todos temos o nosso lugar...uns elevam a vida e outros vêm para a enterrar..
Dançamos nas marés... procurando o caos debelar... vida esvaindo-se a nossos pés... sonhos velados nas nossas mãos...


E tempo de florescer... esperança: rosa em botão
Escolhe o caminho da luz... tua verdade quebrará a prisão...
As rectas e linhas cravadas neste chão, já tiveram tempo para se glorificar
É momento de ser quem tu és... deixa as raízes profundas as pedras quebrar



Sim por crença... sim por fé... sim por verdade... sim por querer
Sim pela vida, daqueles que estão para chegar
Sim pelos sonhos, que nos foi dado a guardar

Levanta o olhar... peregrino... levanta o olhar...
Neste tempo ainda vazio, tua vida vais elevar
Sim pelos que clamam, sim por tua voz imortal
Sim por tudo o que amam, sim por teu Ser original


quinta-feira, maio 24, 2012

A Ilusão do Ser..



Quanta energia invisto na transformação dos meus sonhos em realidade? Quanto de mim está centrado em ser verdadeiramente feliz. honesto e coerente?

À partida parece estranho que, começando a discernir o que é realidade do que é ficção, ainda se esteja no limiar de sacrificar o SER pelo TER... são os tempos que correm... nunca melhor dizendo...

Existe uma consciência interior que alerta acerca daquilo que é verdadeiro nas opções que tomo e acerca daquilo que é obviamente falso... o curioso é as vezes que se deve repetir o círculo até estruturar a solidez suficiente para sair do pesadelo e começar a viver o sonho... a verdade exige coerência e determinação... qualquer hesitação enviará dúvidas: energia dissipada - para o universo interactivo onde se encontra imbuído o ser... e lá terão de ser levantadas novas situações para que a resposta serena, centrada e firme apareça desde o interior verdadeiro de cada um de nós...



Entremeias, a consciência de estar na "inverdade" (ou na verdade a meias) vai consumindo parte da energia que nos está a ser outorgada para entrar em sintonia com padrões de vibração mais harmónicos (diríamos menos densos, mais subtis... o que as pessoas consideravam "poder" é apenas uma sombra - um miasma - que se alimenta a si mesmo e a nada ou ninguém serve... como um buraco negro). Falamos de estados de espírito livres, transparentes, expansivos, criativos, plenos de intuições frutíferas e de efeitos colaterais que nutrem um ou vários seres como efeitos secundários... isto são sinais e sintomas de alinhamento...

Para se chegar ao alinhamento, o primeiro processo é interno. Todos temos gravadas dentro de nós as sementes da verdade, do amor e da pertença ao todo... o Ser Universal mantém fios de luz e ligações internas desde o mais profundo do nosso ser no tempo (memórias vitais... a criança livre e feliz) e no espaço (carga genética potencial em espera de se concretizar, fios de radiação positiva acelerando os núcleos celulares e promovendo estado vibracionais cada vez mais complexos e - simultâneamente - harmoniosos).

As sintonias acontecem em espaços ditos "sagrados" - locais de vibração luminosa livre, transparente e libertadora. Estar num destes locais é como ser lavado por uma torrente de água pura jorrando pela encosta de uma montanha sem macular...
Estes locais são cada vez mais "evidentes" na medida em que nos elevamos e começamos a "ver" as coisas que pensávamos estáticas e imutáveis desde um prisma novo.... dinâmico, evolutivo, tendente à harmonia..

Nesta espiral, cada vez mais seres entram em contacto com realidades internas que estavam latentes para a consciência vulgar (a que utilizamos regularmente nas tarefas do dia a dia e que nos assemelham mais a seres-máquina repetidores de tarefas com certo grau de refinamento a seres livres com total opção e livre arbítrio para integrar a realidade como recriadores).


Assim, despertos para estes novos elementos (novos para quem desperta... de facto sempre estiveram lá presentes ao longo do espaço tempo), procuramos sintonizar, estar cada vez mais perto, vibrar junto destes locais, entidades e pessoas que nos impelem no sentido da expansão de consciência, refinamento de sentimentos e aumento da vibração energética no sentido de nos transformar em pólos geradores de mudança).

Já não falamos apenas de espaços sagrados ou da sacralização de espaços pela harmonização das suas energias... falamos de seres de luz - aparentemente tão humanos como tu e como eu - que, pela sua simples presença alinham os que despertam no caminho da verdade e da vida plena que são sua herança Universal...

Perguntaremos - então porque nem todos aderem ao processo sublime e subtil de reformulação interior? Simplesmente porque ainda não verbalizaram - com a serenidade e solidez suficiente - o seu compromisso pleno com o processo de transformação que está a decorrer. Partes destes seres ainda se identificam com os padrões de dor/ controle da matriz tri-dimensional e o seu desbloqueio (ou desfazer de nós que impedem a clara visão da sua própria natureza, da sua ligação intrínseca ao universo e da sua missão existencial ainda não vibram o suficientemente forte como para desfazer o casulo de sombras que os envolve.... lá chegará o seu tempo e momento).

Assim, muito simplesmente - sem que ninguém se precate, jogamos uma partida na que as peças de cristal transparente se vão alinhando - sem que, para isso as suas opções semi-conscientes interfiram. Alinhar-se com a luz e com a harmonia é literalmente perder-se num mundo expansivo... a opção e o poder de escolha passam para um outro nível. Simplesmente confiamos e sabemos que estamos no caminho correcto... a opção é dar o passo em frente, como que pairando no vazio... depois a tarefa é manter-se centrado para "ouvir" as informações internas que a luz vai depositando (ecoando, relembrando) no teu sacrário.. no teu coração...


Do outro lado, o mundo denso faz os seus movimentos.. em cada vez que sintonizamos, vivenciamos ou projectamos aquilo que nos faz "encolher" e perder  a ligação à verdade, entramos no jogo da estagnação. Nada que não se conheça... nada de novo... a questão é manter a perseverança, o foco e atenção consciente e cultivar uma ou outra rotina que permitam alinhamentos diários com fontes de luz, bem estar, vida, felicidade: canais através dos quais as mais puras intuições vêm ao de cima.

Temos cada vez mais pessoas que partilham, cada vez mais grupos de seres abertos à mudança e que honestamente dão de si para promover autonomia, bem-estar, serenidade... paz. A harmonia é fácil de reconhecer: é simples e promove bem estar de forma imediata sem pedir nada em troca.

Por isso, irmão, irmã... se já sentes o chamamento e já vês os locais que te revitalizam e as pessoas que sintonizam a verdade do teu coração... sem pressas, vai procurando um caminho que te deixe perto. Assim vibramos cada vez mais em uníssono e a harmonia adquire nova dimensão e intensidade...

A tua energia é inesgotável desde que vibres no amor. Assim estás ligado ao todo. A tua alegria é uma bússola fascinante... reconhecerás os seres irmãos por esses sentimentos súbitos de alegria inexplicável, de reencontro, de pertença... abraça para tirar a prova dos nove se ainda há nuvens do antigo mundo da dúvida e do medo a ofuscar o teu olhar...

Vamos despertando. Alguns de nós pelo caminho longo, outros simplesmente olham um dia e o mundo já não é o que é...
Como se vissem uma nova luz a brilhar nos céus e se distanciassem lentamente das aparências que vão sendo plantadas pela força densa que pretende cristalizar a estrutura tri-dimensional...



Vamos despertando... e sonhamos...
No nosso sonho já todos dançamos... integrados na Harmonia Universal...
Nesta há fluxo, vida, enlevo... e abundância plena... pois toda a vida e beleza se encontram ligadas ao teu coração intemporal...

Abraço de luz...

quarta-feira, maio 23, 2012

Desbravando Horizontes



Os meios para concretizar as promessas do coração... é isso que são... dinheiro, fama, prestígio ou poder...

Não se podem ver, não se podem comer, não se podem levar para o mundo interior... apenas brincar com ardor neste plano onde todos brincamos...

O caminho é arte e marcial: o foco é promover o ser humano integral, a via é a formação e constante prática: dedicação...

O sentido é ir encontrando amigos que no percurso queiram caminhar... é descobrir as pontes de onde nos nutrimos para poder irradiar...

Cada ser humano a teu lado é um novo lugar... planta tuas sementes de flores... algum dia será jardim para admirar...

O momento presente é melhor que o de amanhã... se tens vida para dar... não exites... sê jardineiro... planta sonhos para que cresçam já!...

Sonho com sonho temos o futuro a admirar...

Mão com mão - caminhamos mais perto da concretização...

Coração em coração... podemos já sentir o outro como um irmão...

Irmão de lutas, irmão de birras - sobretudo irmão ideal... esse ser que se desdobra por fazer do dia um momento melhor para recomeçar...

Há gente que procura alegria, em doses pequenas como açúcar de café...
Vai indo todas as noites, sem ver que a dose que necessita nunca vai dar resposta à sua sede de viver...

Mão em mão - coração em coração... irmão...

Há uma força mais forte.... que nos impele a avançar... marchamos de cara ao sonho... e nenhum de nós vai despertar...

Ouvem-se passos sintónicos...  exércitos da vida a achegar...

Saltitam como bailarinas... seus cânticos de vitória espelham vozes de crianças no ar...

Quando o mal perde poder... deixamos de o ver... pois o que temos é amar....

Quando a dúvida se desvanece... fica a certeza que aninhava no nosso peito e no nosso olhar.....

Quando a falta de fé nesta vida cai perante os milagres que se estão a revelar, então sabemos: tropa garrida - não estamos sós a marchar!

Algo... profundo como o tempo... amplo e brilhante como o mar... reflecte o Sol cá dentro e fala ao ouvido que - todos - vamos lá chegar...

Vida: esta-se a manifestar... o milagre de se elevar...

terça-feira, maio 22, 2012

A busca da felicidade...


Temos o sentido de ritmo, já nos foi dado o padrão de harmonia... que nos falta para ser felizes?

Nesta vida que é uma dança, podemos começar por ver tudo o de positivo e bom que a Natureza coloca à nossa volta... desde o riso de uma criança, à rosa que desponta plena de vida; desde o Sol pôr numa praia até o passeio entre árvores antigas...já tenho intenção...

Depois.... o foco.
Para onde dirijo a maior parte da minha energia, para onde se orienta a maior parte da minha atenção?

Passo o dia a resolver problemas, ou procuro plantar sementes de sonho... um novo mundo... uma nova visão?...

Aqui estabeleço um compromisso comigo mesmo... quero ir mais longe, sentir mais fundo, ver mais alto.... em resumo, amar mais a vida... coerência e opção

Se já tenho em mente o foco e sei que pretendo crescer... no sentido de ser e concretizar aquilo que sou... então preciso precisão...

Se já sei que quero harmonia, maravilha, magia... que pretendo ajudar, promover e fazer crescer... libertar... então toda a minha atenção, a pequena opção do dia a dia: onde coloco o meu dinheiro, de que forma descanso, como regulo a minha actividade... encaminham-me para pessoas e lugares onde se cultive o bem estar, a saúde integral, a autonomia das pessoas, a visão alargada do mundo e um ideal...



Se creio no ser humano como um todo, e o meu caminho assim mo fez entender, vou procurar actividades de vida que me ajudem a ser e a transparecer essa mesma crença ou visão... qual então a intuição?

Um lugar onde se promova a terapia - não no sentido de cura ou substituição - mais como uma academia, onde se forneçam ferramentas úteis para o crescimento: a auto-bulição...

Neste caminho já sei identificar patologias.. passei bastante tempo no mundo da "saúde" a labutar... tenho ferramentas que me permitem mobilizar outros - como forma física, projecção de pensamento e consciência de movimento... no fundo, o caminho da arte marcial...

Muitos pensam que o treino regular é apenas exigência do momento - forma de manter uma certa "forma" física exterior... mas, na arte marcial, há muito mais...

Há a consciência da vida que nos preenche e dos pontos onde nos pode ainda ajudar a crescer mais.
Há o desenvolvimento de estados conscientes de pensamento, vivência de estados anímicos que em sociedade nos podem ajudar...

Há a junção da vontade ao corpo e o prazer do sentido holista de cooperar..

Há o crescimento de sintonias... em cada praticante e no grupo em geral...



Agora a busca:

Já tens a tua "espada" - ferramenta de trabalho que te ajuda a manifestar os valores que são guardados no teu coração... e cuidado - que há muito por ai que ame a espada pelo simples poder que esta lhe dá e outros tantos que admiram as milhentas espadas que outros tantos trazem penduradas só para se fazer notar...

A tua espada, mago-guerreiro do coração... é o saber que incorporas na tua essência e que serve para a libertação... em cada ser humano que ajudas a caminhar, em cada momento que ofereces vida e dinamismo para poderem avançar, em cada sonho desperto que ajudas a despertar... olhos abertos, mente alerta, coragem para continuar.... estás a plantar cada vez mais sementes de luz neste jardim... e a luz vai triunfar...

A tua espada dança... com a sombra: a dificuldade e a ameaça que se te quer atravessar... lembra que o medo é apenas a resistência que te mostra a força do teu verdadeiro caminhar... nenhuma montanha tem culpa de ser íngreme por nela estares a avançar... mas quando sobes e olhas em frente compreendes a força que te ensinou a canalizar...



Medo, dúvida e falta de fé... três oponentes frequentes nas tuas danças com o amanhã... procura os companheiros dignos, que contigo querem dançar... dançar só, entre as sombras, é inseguro... dança sempre no teu grupo e no teu lugar...

Se desafiares algum dia a lua e suas sombras para te fazer notar... lembra: por detrás das paredes escuras há sempre seres de luz para te ajudar...



O que te quero dizer... apesar de tanto descrever... é que poderá tua mente temer e se escudar... dizer-te que estás só neste peregrinar...

Lembra - sempre - cada coração já está em viagem... e todos vamos para o mesmo lugar... apenas os que conduzem as carroças neste mundo, ainda não quiseram as rédeas entregar...

Assim alguns puxam quando podiam acelerar e outros açoitam suas montadas viventes quando estas deviam descansar...

O último truque é encontrar teu rimo, teu passo, teu andar...
Uma vez sintas que já vais dançando, o resto passa bem e a brincar...

Somos peregrinos da vida... vida feita pó a caminhar...
Pó que caminha no sentido da vida... pó feito para amar

E - se um dia sentires que o caminho não te leva a nenhum lugar
lembra que tu mesmo existes... em ti já há luz, paz e jardins a plantar...

Por isso senta-te, baixo uma árvore... numa rocha a descansar...
Verás que mais cedo ou mais tarde... um outro por ti virá...

E encontrando tua sombra inquietante, contigo se porá a falar...
E ai mostrarás tua luz, teu coração, teu acreditar...

E sereis dois a caminho, sereis dois para dançar...
Neste rio que flui, fonte que mana para o seu mar
Há caminhos que a vida conduz, outros que são para estagnar...

Tu que lês já sabes a quem pertences, já conheces o verdadeiro som do teu próprio falar
Pois - se aqui chegaste e até aqui leste - é porque és alma amiga, espírito irmão...

Agora - já estamos mais juntos - tu e eu - mão em mão...
Etéreo dormente despertando a razão...



Seremos luz que se espalha sem cessar
rostos sem forma que sorriem sem descansar
corações vivos num eterno palpitar...

Poderá a rosa esconder sua beleza, poderá a ave deixar de voar?
Poderá o humano deixar de sonhar?

Mão em mão... irmão
Tu que aqui chegas e vês a razão
Pela qual os filamentos de luz que nos cercam se vão esvair
E as aparências que velam o templo deixarão de obstruir
A clara visão do mundo real
A doce sensação de estar... chegar...

Pois - livres - do tempo e de lugar...
Das paixões, do prender, do desejar...
Estaremos já no cimo e a paisagem será para contemplar

Veremos o porquê das coisas, o sentido de tanto divagar...
Olharemos as espirais dos irmãos a caminhar...
sentiremos prata fluída, sentido da vida na tela do eterno a palpitar...


Será pintura garrida, estrutura não tecida, plena de luz e de cor... devida

e veremos que - onde aparecia cinzento, eram apenas sombras de árvores a agitar ao luar... fruto prateado da tua vocação de amar...
e onde parecia dourado.. eram maçãs de Inverno recolhidas nas mãos do Verão... sinal dos tempos nos que todo o ser será teu irmão...




segunda-feira, maio 21, 2012

Dionísio ou a visão do céu vista da Terra...



Seres humanos com um acordo tácito: darem de si tudo o que são para que o amor triunfe...

Além das prescrições morais... que quase todos eles já falharam...
Além do politicamente correto... procurando paz, harmonia, vida, movimento e afetividade...

Procurando as raízes vitais humanas: para que o ser de luz, aninhado no coração, possa despontar seus ramos até às estrelas... desde as raízes mais firmes da nossa querida terra...

Ensinados a pensar de forma desintegrada, fomos convidados a separar partes como o corpo, mente ou as emoções... necessitamos quase 5.000 anos de história escrita para que a ciência nos fale de Holismo, holomovimento e todos os neurónios espelho que representem a relação intrínseca e completa entre seres que se desconhecem por fora mas que estão unidos desde sempre no interior...

Assim: ser feliz, respirar alegria, expressar-se para além dos limites artificiais impostos (não se diz com isto invadir limites alheios, mas sim tirar partido pleno dos espaços que a sociedade atual nos oferece para manifestar a luz, criatividade e vida... para que o SER se manifeste segundo o seu plano ORIGINAL.

Chegamos à conclusão, depois de quinhentos anos de tentativa e erro - de Descartes e do método - que algo importante como a carícia, o toque, o abraço, o sentido de pertença, a vivência do prazer de ser e existir, a propriocepção e sentido de corporalidade, o sentido de grupo e a interligação intensa entre estes factores e as linhas que nos podem levar à transcendência ou optimização do nosso ser se encontram enterradas debaixo de planos teóricos idealizados como conteúdos programáticos a cumprir para ser cidadãos médios exemplares...

O Sistema - tal como o criamos - esta tendenciosamente inclinado para fazer do seu criador - Ser livre e completo - mais parecido aos instrumentos de que se vale para explorar e recriar a realidade.

A ferramenta transforma o artista em si mesma segundo os seus esquemas e esquemáticos cartografados para servir de orientação parcial, enquanto se viaja neste plano dimensional dominado pela mente e as suas quatro coordenadas de orientação...

O que notamos é que - o plano ORIGINAL - no qual os dons depositados no ser humano embrionário - deverá ser reinserido paulatinamente na perspectiva de todos aqueles que se vão precatando da sua verdadeira dimensão como cidadãos de um cosmos demasiado amplo para caber nos mapas high tech que a mente limitada tem tendência a recriar de vez em quando...

No fundo, erguer-se lentamente, respirar o ar fresco e puro de estar erecto, acima do pó dos que lutam por sobreviver; estender as asas de que somos dotados e voar: transformando sonhos em realidade... a NOSSA realidade... novo mundo a despertar...

E começa com coisas bem simples... com cantar quando te apetece cantar, dar um saltinho na rua por estares feliz, escrever, dançar, manifestar o teu ser em cores garridas quando te apetecer... pequenos detalhes que denotam grandes mudanças... tua vida... que toca e inspira a minha... que se liga às vidas dos que connosco renascem...

sexta-feira, maio 18, 2012

Tempus Fugit



O tempo humano é pessoal e intransmissível...


A criatividade humana... rebento de flor de vida... precisa tempo, atenção e todo o deleite para que floresça a flor mais luminosa que este universo plantou...


Na esquina da rua, perto do passeio... entre os bordos rectilíneos: pensados para ser eficazes... uma pequena flor brotou onde toda a gente passa em velocidade endiabrada... mas - quem comanda a manada?


A campaínha toca - todas saem... a campaínha toca - todos entram... e quando parece que entramos em sintonia profunda com algo mais alto... há sempre um algo mais importante e mais urgente (para quê, para quem?) que motiva o afastamento da consciência do expandido, do belo, do extasiante... do transcendente...


Editamos leis que proibem o extase: programamos férias que permitam apenas o arejamento dos lugares de origem sujeitos à rotina que mata o novo...


E a flor.. a flor da berma da estrada germina... quase ninguém a vê... mas germina...


E - no templo - em plena catedral de santiago - entra um pássaro cantor e começa a anunciar primavera entre as sombras e as velas... como é possível tal coisa?


E - na multidão... dou por mim a sentir pensamentos e emoções em catadupa... tanto que não é só meu... tanto... serei novamente célula de um todo maior recebendo mensagens através da sua nova membrana celular - outrora dura e coesa e agora prestes a rebentar?


E o dia... tem tantas cores... tanta melodia... cada forma de ser uma aproximação do grande ser que vai dentro... em volta... daquilo que é...





As horas, com os seus sessenta segundos - mandam pautar atendimentos para um ser humano no espaço de tempo inventado, correspondente a 15 minutos.


Neste espaço virtual, devo acolher, ouvir, compreender e satisfazer as necessidades do ser humano bio-psico-social que me é apresentado... em 15 minutos senhoras e senhores...


Tivémos 15.000 BILIÕES de anos de história para que o Universo adquirisse uma forma pragmática - falante, pensante e muitas vezes rastejante face ao seu potencial - para que agora: no meu lugar de trabalho inventado, nos tempos pautados por contas e matemáticas - eu tenha de abraçar este ser - que não se encontra desligado nem de mim nem do todo - num espaço de tempo pautado - fruto do acordo tácito colectivo a que chamamos protocolo de consciência - para que possa ser "melhorado"... tudo isto no espaço de tempo que o sistema de gestão atribui à sua humanidade...


Algo não está bem...


A recta sobrepõe-se ao padrão ondulatório. O pentagrama procura conter a exapétala.. quando são duas realidades complementares e contingentes... cada uma ocupando o seu lugar...


A vida que sou manifesta-se em abrangência... é impossível de definir e muito menos de conter...


Senhoras, senhores - não existem sistemas isolados de energia - tudo é fluxo e interacção!


O calor que emano é o calor que recebes, o ar que respiras é o que vou respirar... as tuas emoções não me passam despercebidas, as minhas intenções pairam no ar... tudo é movimento...


Esta ode às rectas e aos quadradinhos é uma forma alegórica de saudar o seu fim...


Neste tempo que desponta, sentimos e vivenciamos com tal intensidade: realidade interna e externa na sua absoluta e maravilhosa magnificência... é impossível deixar de irradiar o que se é a anos luz de distância... e é impossível de ver tantas sementes de luz e vida vergadas pelo seu próprio esforço de se enquadrar num sistema fantasma - idealizado debaixo da interpretação errada das premissas cartesianas...


Descartes acreditava... ora vejam bem... ACREDITAVA!


E - procurando descartar efeitos, inventou uma escada (como a de Jacob por onde os anjos podem ir e vir a bel prazer) para ir subindo à procura da Causa.


Quando já não duvidasse, quando fosse transcendida a sua capacidade de definir, circunscrever, provar falacioso através da mente - tinha encontrado a causa subjacente, motor imóvel, princípio imanente...


Estão a ver a voltinha que isto deu na mentalidade das gentes modernas? Foi o "ataque" ao problema...
O método científico assim começa... o ataque ao problema...


Milhares de milhões de consciências a adorarem a força que está entravada... milhares de milhões de seres humanos condicionados desde a escola e reforçados pelos média para dar atenção - a sua energia vital - ao problema...


Glorifiquemos o problema, ergamos templos ao problema e altares para sacrificar diariamente sementes de luz ao seu obscuro plano de manter a humanidade presa na teia que esta força define para nós...


Todos os dias lavados com mais informação produzida e repetida como as cadeias de montagem de Henry ford ou a comida lixo que se nos dá nas fast food... o mesmo método o mesmo sistema nos níveis mental, emocional e físico...


O que é que isto tem a ver com a procura do centro imóvel, da causa ou daquilo que - em palavras occidentais seria definido como o "Divino", o estado de graça, o estar Uno no seu centro ou a santidade?


O que tem isto a ver com estar radiante, com despertar os dons que algo - aquilo que aqui nos pôs antes de que começássemos a pensar como esppécie - depositou no centro mais precioso do ser humano... o seu coração imaculado e a sua capacidade de vibrar electromagnéticamente mais do que muitas caixinhas de pilhas que prai se vendem em supermercados de ocasião...


O que alimentamos com a nossa visão torna-se real... É o real... o protocolo tácito de consciência que reforçamos em cada dia que passa quando dizemos sim e queríamos dizer não..


Não se fala aqui de revoltas - não é dizer não quando pedem para dizer sim.



Fala-se de expandir consciência, subir ao monte, ver do alto, ver com sentimento, integrar o outro e o que te rodeia para além dos limites aparentes que a pele e os teus pensamentos parecem impor...


É saber - que o que te compõe... aparece e desaparece assim... sem mais! A maçã que comeste deixa de ser conceito e passa a ser metabólito... tu e a maçã sois um...


O mesmo se passa com a informação à que te expões, os filmes e música que te deixas levar para casa e as pessoas com quem estás...


E - no fim - ainda tens um papel maior - ganhar consciência da qualificação que estás a dar ao tom de cada palavra (energia, vibração sonora) dos teus gestos mais básicos (luz que irradia) até dos cheiros (de novo radiação electromagnética) que não tem muitas fronteiras para se expandir...


Qual a estação de frequência que estamos a sintonizar neste momento? Para onde apontam os pensamentos que pairam no ar? Que nos diz a caixinha parva que sustentamos sobre os ombros?


Fala-nos de alegria, vida, flores que despontam numa primavera magistral?


Falam-nos da extraórdinária dimensão de cada um dos seres humanos que passaram a contramão... vimos a sua energia projectada no olhar, sentimos como nos estão a tocar... e fazemos de conta que não é nada?


Entre alguém na sala... vibra estática até no computador onde escrevo. 
A máquina de avaliação de tensões da erros seguidos... vou ignorar... são sincronismos...


Procuro sintonizar aquele irmão para que possa ver um pouco melhor nas opções que lhe são soberanas... ainda não estou parado e ele ainda não passou para o outro lado...


Despertares... com grande visão vêm novas responsabilidades...


Despertares... do pentagrama mágico que nos continha encontramos o falhanço na estrutura e olhamos para a hexapétala que se estende lá fora... expandimos consciência...


Talvez o teu mental já não é o que era... talvez já não mais preciso, rectilíneo, regular... pois expandiste o teu ser para além do seu plano e às vezes resulta complicado olhar para atrás...


Lot - tua mulher feita Sal...


Despertares... no tempo, no espaço, na forma de ver, sentir e abraçar o universo que somos e aquele que nos rodeia num todo interactivo, constantemente coeso...


Lembrar só uma coisa: o princípio da coerência é legítimo... se vibras a verdade do teu coração as cortinas do tempo e do mundo desdobram-se para te deixar passar. 


És acolhido no coração palpitante.


Por isso - se tu vais mais longe - parte de mim já está contigo também...


E - nas coisas mais simples... como respirar - pode haver tanta vida, tanto extase a encontrar...


Não é uma questão de shoppings ou poder, muito menos um "trigger" mental... é - simplesmente - a ousadia para SER... O Universo vai rejubilar... os outros... bem... logo se verá ;)



quinta-feira, maio 17, 2012

verdade desde dentro



Nada mais óbvio e - ao mesmo tempo - assustador... a verdade palpita dentro do meu ser...

Há um mistério, um insondável que se agita no que sou e naquilo que represento...

Ao princípio posso não o ver... não o sentir... não o viver... espelhos no meu caminhar acabarão por o revelar... a partir desse instante já nada pode voltar... pois sou responsável pelas minhas opções...

Seres livres - todos procuramos ser - responsáveis pela totalidade das opções que nos fazem mover e pelas suas consequências: aquilo que vamos recolher... ai entramos em padrões de pseudo-sintonia...

Anunciamos com o verbo meio carregado de verdade que "sim - quero ser livre" e mantemos parte da força para efectivar esta verdade trancada no medo de não poder, no medo de não conseguir... no fundo - no receio de descristalizar o anteriormente construído abrindo-se plenamente para a nova realidade que me é revelada...

O coração abre-se como rebento de rosa para a luz... apenas uma pequena resistência teme a sua ofuscante libertação...



A novidade - irmão, irmã... é que não estamos sós...

A feliz novidade - é que o teu libre arbítrio e a tua soberana opção têm a ajuda de todos aqueles que já rimos, saltamos ou simplesmente dançamos num nível algo diferente do habitual...

Como não somos sistemas isolados - toda essa boa onda, todo esse concretizar de sonhos (um sonho pode ser chegar à beira da praia e simplesmente arregaçar as calças, tirar os sapatos e caminhar pelas margens sentindo a areia molhada e a água salgada)... como te dizia - toda essa devoção, entrega e fé num mundo novo estão ai...

Aproxima-te de gente que queira rir, celebrar e que te impulse com palavras, gestos e presença para o fazer...

Eles estão sempre lá... a energia não tem sistemas isolados para se esconder: tu é que tens o poder de escolher qual a emissora de vida que queres sintonizar...

Depois - aproxima-te...

Deixa que os sentidos que a natureza te oferece possam mergulhar nessa luz boa, nesse vibrar vida nova... imbui-te desse sentir, impregna as tuas células desse querer, faz com que a tua vida beba desse viver...

E depois vai... para perto se puderes: pois assim vamos expandindo a onda de forma sustentada. Sei que queres mostrar ao mundo as tuas novas cores... que queres empreender uma nova cruzada...

Deixa-te disso irmão... irmã... agora a festa é outra...



Simplesmente aumenta a tua capacidade de estar feliz, ou bem ou simplesmente extasiado com o milagre de uma rosa que se desdobra e desabrocha, com a maravilhosa sensação da brisa no teu rosto e mãos, com o toque suave de alguma mão de irmão...

Somente isso... deixa-o entranhar... bem fundo no teu ser, na tua vida, no ar... que alguém respirar... vai lá estar... essa vontade suprema, essa melodia oculta... essa mensagem que se repete desde tempo singular...

Simplesmente - deixa-te aconchegar... não estás só...

Simplesmente abraça, acolhe, sorri... sente que este imenso vale está ca para te receber... para te reviver... para te fazer crescer...

Por dentro - sensibilidade sem par, intuições de pasmar, profundidade na visão do todo...

Por fora - capacidade de acolher, efeito positivo simplesmente por estares lá, abraço que dissolve a dor, toque que transmite amor...

É hora de começar a acreditar... estás preso e queres voar... nada mais fácil - levanta o móvel e diz alguém - de forma gratuita, honesta e incondicional - que amas...



O resto virá por si...

Lembra: o tempo neste plano é uma brincadeira matreira... parece passar sempre contra gradiente... as respostas aparecem noutro momento, noutro encontro, noutra experiência; os reforços são dados quando estás a precisar ir mais longe, abrir mais, vibrar mais...

Esperar que te reconfortem no mesmo momento que te abres é ainda estar distante da consciência de densidade deste plano... a luz demora a passar pelo espesso dos seus entramados...

Chega sempre, ainda que o seu relógio não é o dos tempos marcados que nós inventamos, é um palpitar bem presente no centro da consciência, um palpitar de amar o que se faz e com quem se está... esse é o verdadeiro tempo, o tempo real...

No fundo habitamos um um holograma marado, um labirinto lacrado recriado para a mente se transviar... pois é a mente que vens para libertar... e assim viver, sentir e ser aquilo transparente que és no teu interior... fina flor... Luz a brilhar... amigo do sopro, da árvore, da vida e do mar...


quarta-feira, maio 16, 2012

Caminho do Meio



Yang... poder completo, pedra priscina, atracção ao concreto: que prende e cativa a vida...

Ying... leveza subtil, expansão ao infinito, dissolvendo o diamante e retornando sua vida ao fluir...

Yuang... momento eterno, pausa serena...consciência aberta... percepção plena...

Batimento Universal... contrai...estabiliza... dilata...estabiliza...contrai....

Coração do Centro Vivo do Universo...

Microcosmos e Macrocosmos em sintonia Universal...


terça-feira, maio 15, 2012

Ribeiro de Esperança





Pensar fluído...

Se respirasse... ao mesmo tempo me concentrasse... a fazer ou a ser...

Se o ar que me ocupa... ocupando montes e vales... se purificando nos mares... fosse também o meu ar...

Sereno... entre as rochas fluíndo ameno... quanto poderia meu ser acalmar...

Na tempestade... que dicta o mundo... que marca a idade

Reencontrar esse fluxo de vida... movimento perene... subtil... sustentado...

Harmonizado através de movimento... estado da mente... centrado...

Desperto... para o alimento... minha força e pensamento...

Alerta... para sentimentos que aninho... e quais quero alentar?

Consciente... de ser responsável... pela orientação das palavras, dos atos, da vontade

Vivo... para impregnar palavras com serenidade... interpretações do mundo em liberdade... abraços às pessoas plenos de paz...

Feliz... por estar aqui e agora... por vibrar o que sou por dentro e fora... por fluir num mundo que precisa de mim...

Deste ser... deste saber... deste dizer e fazer...


Dos momentos nos que tremo pois mostram que levanto...

Dos momentos que vacilo pois mostram que sei escolher...

Dos momentos nos que paro... pois prometem que estou a voltar a viver...


Sereno o fluxo... movimento constante... respiração circular, espiral, modular...


Vida que se fez presente... com roupas de gente... ser a fluir...

sexta-feira, maio 11, 2012

Peregrino



Quando as brumas ofuscarem teu ser
E a clara visão de quem és se perder...

Quando caminhares por terras de além
Sentindo-te o estranho que as percorre por bem

Ouve o teu próprio cantar
Tua voz a germinar
Saberás que não estás só
Que és paixão e vida neste pó

Quando as direcções forem muitas
E ninguém te disser como chegar
Quando as tentações puderem mais que a tua vontade de lutar
Ouve bem... no silêncio da floresta, junto às vagas do mar

Há uma voz que suspira... há uma brisa a vagar
"Confia filho da aurora, confia gaivota do ar
os passos te guiam sem demora
para o teu eterno lar"...

Assim... simplesmente... saberás o caminho
E caminho é ao andar
Cada passo de mansinho
Cada avanço ou tropeçar

Serás reflexo noutras gentes... nelas pintarás teu olhar
Serão outros cantos tua vida, para juntos voltar a cantar
Entrelaças destinos na tua sina: envolves na luz ao abraçar
Todo belo e imenso das gentes que levas contigo ao passar...

Sejam os entes queridos ou o vagabundo com quem quiseste conversar...
Os grandes e estóicos pilares ou aqueles que varrem a rua ao luar
Seja o jogral da corte ou o rei com séquito a desfilar
Em ti todos ganham sentido, no teu coração os fazes palpitar...

Ama ser livre, ser puro
Ama a vida a rodopiar
Nas crianças de barro de cabeças graúdas
De vestes garridas à luz do despertar

Todos eles ocupam um espaço, na tua alma de ser a vagar
Todos eles uma sintonia, na melodia que tens de tocar
Aprende peregrino das eras, aprende a ser músico e a cantar
Cantarás com as sombras, sorrirás para o Luar

Verás além da mente... com teu suave olhar
Irradiará luz do peito e com luz vais iluminar
Verás o mundo de novo... outros olhos para plantar
Sementes de luz e verdade no coração dos que te são dados a amar...

Ama o rio que flui, como amas o seu grande mar
Aconchega a gota de chuva no cabelo e com ela dispõe-te a vogar...
Ama o sorriso da criança e a lágrima de quem quer já descansar
Leva seu sal na tua pele e dilui-te com ela ao deitar...

Olharás o horizonte um dia... novos tempos a dealbar
Aurora raindo de mansinho, Oriente puro a despertar
E poderás sentir-te perdido: oh peregrino neste lugar!
Lembra que nem as vestes são tuas e - assim livre - dispõe-te a passar...

quinta-feira, maio 10, 2012

Dança Ancestral... Tempo Actual


A segurança vem de dentro, da raiz que me faz crescer, vingar, florescer e alimentar.

Entusiasmo, paixão, entrega, criatividade, fé, alegria, gosto por estar em sintonia com um grupo de iguais...

Ainda assim, nem tudo é campo aberto, nem tudo é livre e existem valores que são fundamentais...

O respeito pela pessoa humana, semente de luz e vida ainda a germinar, independentemente do seu ciclo interno de desabrochar: é uma delas...

Seres com percepção alargada sobre a energia que carrego em cada palavra, cada gesto ou emoção: têm responsabilidade acrescida na hora de canalizar o ser para a melhoria e crescimento das nossas sementes de luz irmãs...

Esta percepção não se limita a um certo cerimonial de iniciação, a uma certa partilha no ambiente de aula, a uma disciplina em termos marciais... aquilo que faço no espaço sagrado e protegido da celebração ritual fica sem sentido se não levar comigo a peugada indelével do nível de consciência a aplicar na vida diária posterior...

Cada guardião ergue sua palma aberta - de forma firme e serena - em cada passo que possa significar agressão - por verbo, acção ou intenção... destacando puramente que a mensagem anterior - do atrito e do fluir de vida para o máximo gradiente desnutrindo as células irmãs - são inoperativas no universo para o que começamos a despertar.

Não há espaço para estratégias de controle... não há espaço para a direccionalização consciente de pensamentos ou palavras no sentido de ferir de forma propositada o ser do outro...

Muitos de nós podemos estar dormentes e ainda estar ligados ao referencial antigo do atrito e da recepção de energia de outrem.

Outros que já se vão ligando à fonte têm um grau de responsabilidade expandido: em não voltar atrás nos relacionamentos humanos da era de peixes, em manter uma posição coerente para com a consciência expandida e o extase que vamos vivenciando à medida que cada botão de luz desabrochar o seu potencial latente...
 
Da minha parte... há valores que não permitem entrar num jogo de ping-pong com a energia que sei ser negativa: não qualifica, não ajuda, não faz crescer e auto-alimenta-se da pessoa até drenar a sua auto-confiança, vida e potencial.

Conheco a vibração, sei o seu nome e digo-lhe "não" em cada vez que se apresente para me tomar.

Por vezes penetra em mim, apanha-me de guarda baixa, sem estar alerta... desperto.

Ai devo transmutá-la... palavras, poesias, dança, canto, arte marcial... são as formas que encontrei para o fazer - são pessoais e poderão ou não ser partilhadas por outros na medida que sintam que lhes é útil: cada dom que foi sendo cultivado cá dentro serve para servir... o todo.

Será talvez importante ir à raíz das defesas e limites, à razão profunda do provocar para colocar o outro num estado de vibração sintónica com energia de dor, raiva, sofrimento ou incapacidade: aqui fica o alerta...

Cada ser humano está ligado ao poder recriador da realidade... orientar o foco de atenção para o problema nutre e aumenta esse problema... dai a mente de relâmpago necessária para fluir pelo problema sem envolvimento e orientar toda a força da atenção consciente para o seu descristalizar...

Esta alma minha veio para abrir caminho.
Quer aprender o sentido do ritmo e da harmonia... dança da vida.

terça-feira, maio 08, 2012

Caminhos



O caminho da arte... do mundo marcial no sentido de perseverar num método que tende a elevar o ser humano às suas qualidades superiores... a refinar a sua essencia para os conteúdos mais subtis... a dar tempo e espeço para madurar essa consciência nas obras e no ser... caminhando sereno... na alçada daqueles que são irmãos maiores na caminhada... ir estabelecendo vinculos de verdade, honra e compreensão... vibrar no mundo com uma vida interior plena de amor...

Amor à arte... amor à vida que se move de dentro e de fora...

Amor à partilha... à sintonia que se encontra quando os practicantes do caminho se reconhecem com um olhar, se respeitam para além das suas cores e sabem que todos... todos eles se encontram a caminhar...

Zen, Satori, Nirvana, Extase, Paradiseos, Eliseum, Santidade... Nomes para vivencias humanas que se encontram ao alcance do practicante honesto...

Bem haja

segunda-feira, maio 07, 2012

Despertares




E vês a sombra... que te seduz...
E sentes a vida... que te conduz...

Semente irradiante de filamentos de vida vibrante...
Sintonia das árvores, dos verdes prados... dos rios e colinas outrora amados...

E caminhas no passeio dos sonhos... onde tudo é vivo... tudo é verdade... tudo é sentido...

Falas com as árvores e pássaros fronte estrelada... e ouves a voz interior de gente nesta mesma estrada...

Ecos... lamentos... sonhos e aprofundamentos... vidas que fluem como regatos pela encosta da montanha sagrada...

O teu olho interior vê, sente e sabe... que o teu ser pequenino aprenda a voz da verdade... dela se faça discípulo e ganha coragem para caminhar...

Começas a olhar... em redor o verde te ampara... luz de vida e de amor que se espalha...

Em teu redor erguem elementais... pedras vivas que reverberam a luz ancestral... guardiães da paz do círculo e da espiral...

Viajante que começas caminho... que provéns do mundo da rectas lógicas da vida mental... lembra que como em todo o sítio - há guardiães, sacerdotes, curadores e jograis...

Aprende a ver as sombras... para que possas orientar teu caminho na luz...

A vida que emana sempre liberta... o poder que te reclama seduz...

Bem vind@ ao mundo novo...

Onde o que parece oposto se faz complementar

sexta-feira, maio 04, 2012

A Vida te Dance



Porque HÁ um rumo na vida... e todos caminham já a rumar...
Porque HÁ uma estrela renascida... e todos a olham sem o notar...

Porque cada latido de ser humano, coração inflamado... é um rumo e um caminhar...

Porque cada escolha... cada instante de recolha... é uma pausa para recomeçar...

Porque cada instante é um presente... tem sabor para além da mente... nos ensina a olhar acima... convidando aprender a voar...



Pairas entre as palavras da vida... entre sonhos de tempestades garridas... num arco íris plantas-te tuas maçãs...

Por isso dás o dó de peito... por isso teu canto de cisne... por isso: ser único que me faz despertar...

Tu motivas meus dias... tu és esperança da vida... e a vida em ti está a despertar...

Tu que te sentes cinzento... que em ti se refaça cada momento e que o tempo tenha qualidade e sabor de Verão...

Que o Inverno te seja querido, que na primavera te encontres garrido e no Outono se dispam as mágoas que ousaste carregar...

Toda a beleza da criação anterga te vislumbra na noite e te protege na manhã...

Deixa os horizontes serem amplos, recolhe teus sonhos e fálos cantos que possam todos aprender a cantar...



Tu e eu SOMOS A VIDA...

(e a vida não repara nas filas de carros de manhã)