Música

sexta-feira, abril 27, 2012

Ritmos Entrançados




Se as minhas ideias tocassem as tuas palavras… e da sintonia se fizesse um novo falar…

Se o teu corpo tocasse minhas mágoas e, do milagre, se fizessem os nós desatar

Se o coração inflamado soltasse sua vida pelo ser amado – quantos poderiam voar?

Somos palavras no vento, ramos que ondulam no tempo, palpitações do eterno feitas brisa singular…

Um só momento, uma só volta de sentimento e tudo pode recomeçar…

O vínculo interno é secreto… presente… suave enamoramento… música para ti e para mim vibrando sem cessar…

Asas abertas - meu irmão que voas, minha irmã que sabes pairar… asas abertas para nos abraçar…

Dançamos na vida, deslizamos nos tempos… para nós não há momento nem lugar…

Soltamos amarras, abraçamos sonhos… sorrimos iluminando os recantos… somos verdade para libertar…

Vivemos nas ondas da vida… nosso calor invoca seu palpitar…

quinta-feira, abril 26, 2012

Chorus



A força que une… e liberta…
Do centro do ser um calor irradia
Da verdade do ver, uma nova luz se anuncia…
Fogo vivo que queima embalando o peito
Caminho de luz, vida, movimento… dança indefinida me elevando…

Forma que se não explica – que envolve e amplifica tudo aquilo que sou
Calor ameno, vulcão pleno, fazendo da paz e vida um roteiro na noite…

Dança entre a luz e sombra: entrelaçados rodopios que me fazem tremer
Entregando o ser – querer, avançar, vibrar… renascer

Ligar-se ao Ser mais amplo… luz que irradia sem cessar
Espelho sereno… essencial; em cada ser humano anunciado sem parar

Linhas entrelaçadas, florestas em luz elevadas, ramagens que se agitam ao som de uma brisa perene, seres viventes circulando em redor da majestade sublime…

Luz viva, sentimento puro, pensamento comum… já nada de teu tens…
És parte do cosmos inteiro, és a vida que te sustém

sexta-feira, abril 20, 2012

Dança Interior





Passeando… entre ruas entrelaçando meu querer, meu ser… à árvore que aparenta, à pomba que se sustenta… à vida que recorre meu devir, meu rumar, meu existir…

Passando, pés na alcatifa do real… nus… descalços… criança original…
Não me vês… tu que passas e olhas… não me vês?

No nosso espelho há bafejo... de sentir e de desejo… 
Oculta-se a imagem sensorial, passamos a existir neste mundo: paralelo... que catalogamos de real…

Eu… e tu… somos pontos entre os sonhos… estamos juntos frente aos pesadelos… medonhos…
Mão em mão… Coração em coração… tua vida, minha vida meu irmão…

Ainda bem que me viste ser que passa… que me distinguiste: da estátua, da pedra baça… ainda bem que sentiste sendo mais…

quinta-feira, abril 19, 2012

Carga Sintónica


Por vezes levamos o barco da vida a remo… pujantes: braços vigorosos, corrente acima, sem hesitar…

Outras o barco da vida transporta-nos a nós… suave, sereno… deixando-nos embalar…

Há momentos nos que cremos – aquilo que nos é dado a acreditar…
Há momentos nos que tememos – tudo aquilo que o mundo nos pode tirar…

Barco e leme, vontade e remo... vela e vogar… tudo parte do mesmo que passa, tudo parte do mesmo navegar…

Se um dia puser meu pé porta fora, se algum dia me atrever a andar
Sejam meus passos firmes… serenos… rumo ao sítio de onde vem meu vagar

Agora estou aqui – contigo – no hoje e no amanhã
Logo – estarei presente – para onde quer que a vida nos levar…

Somos barcos soltos no oceano da vida
Larga lastre, faz-te ao Mar!


Bando de Asas à Solta


Quando as aguas da vida clamam, removendo-se em espirais… arrastando o ser para longe dos seus sonhos… dos seus ideais…

Abre as asas, deixa que a tua força inflame… pede ajuda aos teus ancestrais…

Companheiros de combate, companheiros da danças intemporais... estão lá para te guardar… para o teu ser elevar...

Para que saibas que não estás só, para que sintas que o teu ser ainda não deu o nó…. Que ainda há muito para dar e vivenciar…

Pega na tua arte, sonha o que amas, dá a mão – e vai!

O mundo espera a tua presença… és importante – lembra… és importante!

quarta-feira, abril 18, 2012

Garças ao Vento


Quando nos embalamos… o silencio toma conta dos nossos medos, embala os nossos anseios, sopra as memórias para lá das fronteiras do pensar… ficam o sentir e – bem a seu lado, quase tocado – o SER, o ESTAR

No mundo do ser, esferas de luz que se entrelaçam….
Sorrisos, ecos de seres luz: crianças ancestrais; brincando com os corpos dos adultos terrenos e preenchendo-os de vida nova, de cura profunda, da luz que renova

Entregue  - a uns braços, a um olhar, a um ser e estar no aqui e agora… as linhas da mente servem para proteger este nosso pequeno navio – que navega nas águas da manhã: de todos os baixios, de todos os perigos – que a aparente realidade tem posto no nosso caminho tantas vezes já…

Esferas de luz, seres que planeiam – que plantam sementes de luz por onde passam, que modelam realidades adjacentes pela presença, que libertam suas células mais entranhadas com gestos de carinho, de dádiva… de vida…

Um “SIM” ao ser irmão que se encontrava rejeitado – e todo o ser de luz que compomos vibra, cresce e se inflama numa nova dimensão…

Um gesto desprendido: nova voz para quem aprende a falar… a voz das eras, o eco dos tempos, a nova luz a despontar…

Somos guerreiros de nova era; somos curadores de quem quer começar; espelhos de luz que mostram amores onde apenas se viam sombras, espaços ou simplesmente lutar…

Círculos


Nas Noites de luar, nos círculos antergos, nas fragas, à luz da Lubre
Há seres que são da terra, que se movem nas brisas e nas brumas
Meigas que nos encantam com olhares de sortilégios mil
Gentes que se aprazem, por cultivar o campo e ser dele um fim
O que há no interior – é parte desta terra - porque terra somos nós…

Vogamos na imensidão dos tempos, para nos reentre laçar
Procuramos entre os recantos e momentos, um mundo encontrar
Somos vento que corre livre pelas veredas, espelhando os segredos que nos são contados
Somos pedras antergas, modelos de arte pela chuva estival
Somos lume, que dá lume às trevas…

Despertamos consciências para além dos confins do mar

terça-feira, abril 17, 2012

Turn of the tide







Inside – deep inside – when the tide changes… you may feel the relief…
Down… in the shadow – there’s a beating heart….
Embers of the past…. Phoenix to be revealed and life to be succeed…

Remember – your heart is stronger than reality… your heart is life itself…

Remember – you are the extreme artist, the co-creator of dreams… real or not – that’s your realm, your mission, your goal – make them free!...

Free from within, one day – we will all look eye to eye… and we’ll smile…

segunda-feira, abril 16, 2012

Crianças de Luz








Uma praia, sol dourado, mar a vibrar
Gente livre, par sagrado, vida a despontar
Asas abertas: pairando horizontes… rumo ao eterno amar
Vida contida: feita presente… momentos no espaço… sonhos no amanha

Gaivotas feridas: garças no vento… crianças trazidas pela mão da manhã
Seres sem vida despertando sorrisos… vidas entrelaçadas… mãos a vogar: recomeçar

Sorrisos perdidos: nas ondas do vento… vidas sentidas... aqui… já!
Toda a vida passa num instante e esse instante vem para libertar

Livres… 

Asas de vento, crianças brincando na vida que se refaz…

sexta-feira, abril 13, 2012

Luz








Quando o vento da vida sopra de frente…
Posso baixar a cabeça e empurrar
Posso olhar a vida nos olhos e acreditar…
Posso recolher-me a meu canto, esperar que o mundo faça alto… ou posso sonhar

Há uma estrela no céu a brilhar POR TI – replica uma voz
Uma voz interior, aquela voz de amor, que todos ouvem ao passar
Eis a tua estrela a brilhar!

Vai em frente, olha a meta como horizonte, aprende que a vida te deu um nome…
faz teu nome germinar

Esta vida – é, inquestionavelmente – para amar…

Uma gaivota plana ao de leve, asas estendidas ao vento, corpo hirto – vontade presente… voando, pairando… seu corpo entre o efémero se elevando… aprendo… a voar

O horizonte anuncia o sol, as flores dos campos levantam o olhar… já é tempo de desabrochar

Força da Vida


Quando a vida bate à porta, diz “SIM”…

Quando a liberdade te permite ser quem és – não olhes para atrás – diz “SIM”…

Quando a dança Eterna te convida – abraça-a com ambas as mãos – diz “SIM”…

Vai em frente… o teu caminho está traçado e espera-te para caminhar…

quinta-feira, abril 12, 2012

Gaivota de Luz







E uma gaivota paira…
Asas soltas sem cessar
Num nada a alma abraça
Mundo por começar

Asas no tempo
Vida a elevar
Pairando sobre águas serenas
Encontrando seu rumo ao vogar

Ser… vivo, luminoso… PROFUNDO
Ser sereno que vem libertar
Prata viva, luz celeste
Asas de vento… asas de Mar