Música

segunda-feira, setembro 17, 2012

Os Bardos das Idades

Porque te escondes?

Detrás dos finos véus da verdade vazia... que é a oca mentira transformada em enjeitada forma de falar... de olhar... de tocar?...

Porque te não mostras?

Tu que - desde sempre - saltaste com o teu ser à frente - pensavas que o pequeno e indiferente nunca te iria ver... sentir... reconhecer?...

Agora estás perdida - entre a vida plena prometida e a vida vazia da que partiste um dia...

Tudo é possível - ser de luz ou anjo de destrução - tudo é possível na chama vera do AMOR...

Ainda que ameacem a tua cabeça servir em bandeja de prata - simplesmente para os fazer sorrir...

Podes ter a certeza - que o nosso olhar - a força e coragem do coração da vida a inflamar.. o fogo da luz e da verdade te vai tocar... encontrar e libertar...

As sombras nada mais poderão do que fugir ou se inflamar... na força do que UNE E LIBERTA... aquilo que de nós emana quando evocamos a pura chama da vida MAIOR que em alta voz clama:

!SEDE LIVRES - SEDE VÓS!"

Invoca a VERDADE!

Regressarão os dias... os TEUS dias - nos que sorrias - convencida: do sentido deste mundo e da vida como o caminho a trilhar... passo a passo - devagar... para ir mais longe do queas medíocres vozes, matando ao de longe a tua sede de vida plena, a tua vontade de regressar...

Confia - pisa firme... vai seguindo a voz do teu puro coração a palpitar... nunca elas poderão o teu rasto assim encontrar!...

Por isso - vém!

Se te ameaçarem - vem!

Não deixes que os medos e as dúvidas lancem amarras no que nasceu para viver e congregar...e CONFIA!
A tua vida à minha vida - para que possamos aprender novamente a voar...

Estamos aqui, a desafiar o povo dos que prendeu a ilusão e aniquilou a luz da vida no nosso vivo olhar...

Estamos a provocar, os exércitos cinzentos, de seres tristes e velhos que se deixaram na prisão encaixotar!...

Mas - agora - Nós somos mais!...

desprende as tua mente do abismo onde pretendem deixar-te a balançat...

Solta os dedos da dúvida e do medo... abraça a confiança de que já não mais - nuncva mais SÓ!...

Salta no escuro pois eu já lá passei e aqui estou para te receber e abraçar!...

E se se interpuserem esses néscios que se proclamam senhores deste mundo e deste lugar...
Elevaremos nosso rugir, inflamaremos nosso querer e queimaremos o seu pó ao vento como se pedaços de excrementos que já não podemos mais suportar...

Por isso - salta - é o teu dia - de aprender a ser... a querer... viver... e voar...

quinta-feira, setembro 13, 2012

REVOLTA-ME! um apelo à indignação... primeiro passo para o sangue que palpita num coração vivo desde as sombras da inércia diária


Revolta-me!

Revolta-me que o amor e deleite com o que preparo o pequeno almoço apanhe com o tempo que gastas à frente do espelho para te preparar para mais um dia de trabalho; revolta-me que o tempo que quero passar: para viver contigo e contigo estar -  seja diluído em milhares de afazeres sem sentido que em nada contribuem para a nossa humanidade;
Revolta-me os milhares de rotinas que tenho de fazer para preencher uma vida vazia – quero lá saber de tai-chi de manhã se te tenho a ti para abraçar!
Mas – lá está – se não há humanidade na vida vou ter de aprender qualquer merdice vazia para me anestesiar… a diferença é que o Prozac custava uns tosões, a terapia uns milhões e o Tai-chi é só abanar…
Revolta-me a mentira que arranca as pessoas queridas dos braços umas das outras com a desculpa de que “é o mundo no que vivemos!”

Revolta-me!
A ti não?!?

Prefiro Morrer a ter de ver como –todos os dias – personalidades vazias teorizam acerca do mundo e da vida em cafés “chiques” :sem sentir sequer um arrepio –
 é o vosso filho o que está a morrer!!!: quando to arrancam todos os dias, dos braços e do carinho que tinhas para lhe oferecer – para o lançar nos braços do mundo que corre – é para morrer!

Mas – tu – não!...
Tu tens outra opção – que é “viver”…
Vamos lá ver então:

Revolta-me!  Tu não?...
Que ninguém fique literalmente louco ao sentir tanto outro ser humano a caminhar em passos de gigante para esta morte constante e – mesmo assim - se mantenha activo – soldado fiel do inimigo – que nos escraviza a cada instante e nos rouba o dom de amar… e o tempo para o fazer… e a qualidade para o dar e receber…

Revolta-me… deixa-me doente… como queres que sorria – para a mentira do dia a dia – quando te sinto esvair… vou sorrir? Vou-me divorciar? Vou lutar?... que faço – diz!...

Mas não dizes… ficas… nessa coisa indiferenciada: que às vezes é um tudo e outras é um nada… nessa amalgama de coisas bizarras que leste e ouviste… nessa cultura de retalhos onde as verdades são fáceis de inventar, e de retalhar… e de modelar – como plasticina…

Antes – dava um trabalho do crlh mudar um texto de vencedor em vencedor… hoje – basta correra  voz que o zum zum e o diz que diz que já fazem tudo – o pessoal já nem se rala sequer de verificar – tanta é a tralha que lhes metem pela goela que… hoje – é só comprar…

Chama-se cultura “pop”… e nós lá levamos com a coisa quando nos deixamos vergar… mas tu não sabes oq eu é cantar os meninos da Fogueira – porque Huambo já não te diz nada e os gajos apagaram tudo… só o ouves daqueles que ainda se dão ao trabalho de falar…
Mas – lembra!
Revolta-ME!
Revolta-me que uma menina produzida, em horas de maquiagem garrida, se sente todos os dias num vidro frio – à minha frente e à de mais uns quantos seres vazios - que olham copos de cafeína fumegante – e com total desatino…

Isso – antes – era nas tascas e os que olhavam os copos de tinto eram os que não tinham escolhido a vida e a família e que andavam perdidos… somos agora assim tantos? E a coisa vá assim tão disfarçada que tantos somos para não nos precatar?
Mas a menina la está  – vai passando imagens de medo degradante, de horror calcitrante, de desporto vibrante, de alegria inquietante e – na fábula do dia – compara-se tudo no espaço de vinte minutos para que o meu ser fique tão confuso que já não note a diferença da merda de mistela que lhe deram a comer…


quarta-feira, setembro 12, 2012

Viana


Terra sem par
Aberta para a vida
Com sua vida aberta para o Mar



terça-feira, setembro 11, 2012

Camino de Santiago - algumas ideias em Setembro

O caminho de Santiago é COMPLETAMENTE SEGURO. Pensa que é o Primeiro itinerário cultural Europeu e que - como tal - o Governo Espanhol investiu no bem estar e segurança dos peregrinos modernos de forma a que estes tivessem uma viagem completamente pacífica;




Agora - as responsabilidades do peregrino relativamente à sua PREPARAÇÃO PRÉVIA e GESTÃO AO LONGO DO CAMINHO - são importantes para o BEM ESTAR do caminho que DECIDIU percorrer.



Coisas a ter em conta:



A RAZÃO QUE LEVA A CAMINHAR determina o caminho. Pessoas caminham pelo DESAFIO físico e fazem etapas LONGAS; pessoas caminham pelo interesse cultural e PARAM em lugares de interesse; pessoas caminham pelo interesse Espiritual e discorrem por roteiros alternativos… o caminho oferece surpresas, vida e magia a todos eles. E há sempre algo a aprender – sem necessidade de ir muito longe com a imaginação – basta abrir-se à experiência e querer.



O CAMINHO TAMBÉM FAZ O CAMINHANTE.



Já vi muitos jovens trilhar o caminho; na sua maioria - como a grande maioria dos peregrinos - são estrangeiros; Jovens que terminam o Liceu e decidem fazer uma pausa prévia a escolher ou enveredar pelo ambiente académico.



A PREPARAÇÃO



Um bom livro GUIA do CAMINHO.

Existem imensos livros que falam do caminho.

Um bom guia - que justifica um salto a Espanha ou a encomenda pela internet - é a do PAÍS AGUILAR.



É completo, fácil de utilizar e actualizado. Vale a pena seleccionar as ETAPAS em FUNÇÃO do tempo disponível.



Depois a PREPARAÇÃO DO PRÓPRIO.



Convém CAMINHAR - de forma prévia - umas duas a três horas por dia, com o MESMO PESO e SAPATO/BOTA que se vai levar, pelo menos uns quinze dias antes e num terreno semi-montanhoso (algum monte ai da zona).



Assim não há diferença entre o início do caminho e a fase prévia e é mais fácil evitar BOLHAS e incómodos que - no início não se notam mas que - a longo prazo - podem arruinar a viagem.



Depois - o material:



As botas/ sapatilhas são o companheiro CONSTANTE de viagem - devem ser leves, flexíveis e - se possível de "Gore tex" que é um material impermeável que transpira bem. Deve treinar bem com elas para não ser novas;



Já vi pessoal a caminhar de Sandália – são poucos. A sandália é um apoio para o fim do dia, para o pé respirar e relaxar e – eventualmente – serve para os duches sempre diversos de forma a evitar micoses alheias e indesejadas.



Os pés não precisam de ser preparados para a “fritura” cremes e afins fazem deslizar o pé dentro da peúga técnica que já vem preparada para gerar a aderência necessária.



Uma boa massagem a seco – no entanto – é sempre bem vinda – pés, glúteos e base das costas agradecem já que o peso da mochila não exactamente o “natural”.



A mochila - não muito mais de 30 litros - O QUE IMPLICA QUE DEVE GERIR BEM O peso QUE VAI LEVAR E O MATERIAL QUE LÁ VAI METER.



A adaptação às costas e ombros deve ser tomada em consideração - treinar com alças - que se ajustam e deslizam - é importante. Em subida - mochila contra as costas; em descida - mochila "pendurada" a fazer contra peso. Estas pequenas coisas treinam-se e descobrem-se.



As peúgas: eu gosto da Thorlos - o tipo de peúga de trecking pode variar - semi-montanhoso é o melhor. Não são finas - o que implica mais atrito do pé e bota - nem grossas - mais suor. O tipo de ponto é importante - há um da "dupont" que é bem bom e que ajuda a transpiração.



O material a incluir - roupas e afins:



Se conseguir aproximadamente 10% DO PESO CORPORAL - na mochila é o ideal.



Três mudas de roupa e quatro de peuga é bom. T-shirts de algodão já usado (para não gastar muito dinheiro em material "técnico" como camisas especiais e afins) e com resistência demonstrada. Ter em conta que LAVAR A ROUPA TODOS OS DIAS É PARTE DAS ROTINAS DO CAMINHO.

Usar FRALDAS DE ALGODÃO como Toalha é uma forma de EVITAR PESO - são fáceis de lavar, não pesam e secam logo. A alternativa é material técnico - mais dinheiro a gastar.



Um impermeável - GORE TEX é o melhorzinho: é CARO. Se houver ou alguém emprestar - melhor.

Uma protecção para mochila e depois lembrar que a pele - quando se caminha - não se chateia muito com a chuva. Só a temperatura MUITO BAIXA e a chuva contínua e com VENTO podem estragar a viagem - por isso - não se preocupar muito com isto.



Comprar um "camelback" - que é uma bolsa de "borracha" com um tubo e um doseador que se pode utilizar a qualquer momento sem necessidade de parar. Tem a vantagem de ficar - CONTRA AS COSTAS pois a maioria das mochilas têm espaço para o colocar.





Truques - a água como o resto do material - fica melhor CONTRA AS COSTAS E NO FUNDO. O MAIS PESADO - NO FUNDO e CONTRA AS COSTAS. Quanto mais perto do centro - coluna - melhor. Quanto mais nivelado melhor - equilibrar o peso do lado direito e esquerdo.



Se o material for para a MELHOR ÉPOCA - Março/ Abril. O verde e a gente que caminha são diferentes. Alternativa - entre Setembro e Início de Outubro. Apanha-se sempre alguma chuva - a diferença é mesmo que numa se entra na verde galiza com Primavera estável e noutra se entra com as chuvas de Outono no seu início... chuva apanha-se quase sempre ;)



Um Forro Polar pode resultar interessante - já que na noite a temperatura corporal desce e o aconchego é importante. Como são fáceis de transportar e se podem usar depois como "outwear" - se usar uma casaca de fecho deste material serve para outras coisas e poupa-se no material técnico (mochila, bota, impermeável e afins despendem bastante dinheiro - por isso é bom pensar nisto desde o início e IR COMPRANDO O MATERIAL que não necessita usar para adaptar ao corpo - como a bota, meia ou a mochila).



O caminho - actualmente - é uma OPÇÃO PESSOAL que oferece cultura, arte, tradição, história, natureza, espiritualidade, desafio e muito, muito conhecimento de outras pessoas, culturas e tradições. Pessoas de todo mundo caminham diariamente, por vezes andamos entre centenas de pessoas (como no dia no que se passa dos Pirenéus para Roncesvalles e se arranca de manhã desde este ponto - o primeiro da Espanha no caminho da Navarra).



Que aproveite esta diversidade e que tenha bem prontinho o Inglês - assim pode conhecer e partilhar experiências com outras pessoas interessantes.



Caminhar o caminho implica ter uma CREDENCIAL DE PEREGRINO - que pode adquirir em postos de turismo ligados ao caminho Português, em paróquias ou em abrigos do caminho oficiais ou alternativos (como certas corporações de bombeiros). Aqui na zona de fronteira adquire-se muito fácil - não é dificuldade.



LEMBRAR - o caminho tem LOJAS e pode-se comprar alguma coisa que se necessite ou se tenha esquecido. Não há problemas.



O mais importante - é o caminhante (ou peregrino).



A sua abertura para o caminho vai determinar a forma como o caminho se abre para ele.



Agora - É UMA EXPERIÊNCIA EXTRAÓRDINÁRIA.



Qualquer dúvida que necessites esclarecer não hesites em contactar.

A caixa dos comentários serve mesmo para isso... e para conversar também - porque estamos sempre a aprender mesmo quando TEMOS MUITO A PARTILHAR :)



Um abraço

terça-feira, setembro 04, 2012

Como é Possível?!?!?


Como é possível que o amor humano tenha sido vencido pelo sistema concebido para dar ao seu criador o espaço e tempo necessários para se elevar para o seu Ser Redentor?

Como é possível que as prioridades se tenham invertido ao ponto no que um relógio comande e determine a prioridade humana?

Adoramos a Morte na forma do trabalho que nos rouba e nos leva o melhor tempo da nossa vida… uma religião de morte a tal ponto divulgada que se torna “normal”, “normativa”…

Números clausos de soldadinhos de chumbo marchando: defendendo um credo ronco que os esmaga e que eles – satisfeitos – louvam e impõem ao que são e ao que amam… coisa doentia que sorri com máscara óssea num esgar sem graça…


Como é possível que milhões de pessoas – despertem o seu dia – sem louvar o Amor na pessoa da pessoa amada? Que com eles desperta lado a lado nessa mesma almofada?

Existe mensagem escrita em forma mais clara? Com olhos, nome, sentir e falar de forma tão igual que resultaria impossível negar que está ali - mesmo ali na frente?

Que estranha cegueira ataca a humanidade a este ponto?...

Como é possível que o amor, na forma, calor, textura… na voz, presença toque e essência… no espaço ocupado pelo ser adorado - se tenha tornado tão cinzento, tão invisível… tão vazio: que um qualquer relógio, uma qualquer rotina… uma outra qualquer outra "prioridade" o faça invisível e o expurgue da nossa vida?

Como é possível que não desperte, olhe ao lado o ser que amo – ainda inerte – e logo que abre os olhos para o novo dia que nasce a não abrace, beije sorria e nela mergulhe o olhar para lhe confessar que é a luz do amor que nos une que dá sentido ao dia, ao despertar, ao existir, ao levantar… que tudo o resto são estruturas vazias, repetições de colagens mentais pretendendo ter a vida do humano Deus que temos que adorar – o Deus “Vida”, o deus “Luz”, o deus “Calor” - que se mostra a mim em forma humana, concreta e definida – em cada dia e que – por força da rotina vazia e de um exército de escravos que escraviza seus semelhantes – começo a deixar de ver?

Como é possível jurar fidelidade ao amor – e no dia seguinte ter já uma outra luz, um outro olhar - uma outra voz - que limpe completamente do meu ser a vontade de estar: o querer que ainda uns dias atrás me fizeram olhar para ver: verdade e querer ao caminhar na luz da seriedade que me estende a mão para a verdade na forma humana que amo e venero?

Como é possível que a humanidade se desumanize neste ritmo frenético, suba por sobre os cadáveres caminhantes que preenchem lugares de trabalho, ruas e estradas e não se precate – na sua cegueira – que caminha oca e seca e vazia de vida: apenas seguindo a batida ritmada de um tambor eléctrico, de uma lata criada para gerar autómatos:

 quando o verdadeiro coração, o verdadeiro ritmo - o verdadeiro tempo – lhes late no corpo e no centro do peito?

Que aconteceu neste planeta, que vírus mortal foi largado, que exterminou a vida humana e no seu lugar gerou escravos?... 

Que aconteceu?