Música

quinta-feira, março 05, 2015

QUEM JÁ FOI E VOLTOU assim ampara quem ficou









Uma linha sem história
uma história sem linhas
Linhagens de linhos da terra
que eram brancos de alvura – eternos
que se usavam com premura
na noite mais viva e mais pura

Que assim eram entrançados entre os da viva via e os da linha aqui nascida
Assim de novo chamados
para de novo serem ligados
Assim entre tantos  e tantas – convocados
em sonhos e predestinações
Em convites de fundo – de vivos corações

entre o sentir do lugar e da terra a chamar
é o sentir das estrelas – tão belas – quais pontos de luz a convergir
que se faz por dentro e que por fora nos ajuda a luzir

nem tanto roupas de ocasião





segunda-feira, março 02, 2015

Entre o Céu, a livre Opção e a Submissão d alivre opção e da vida por vocaçãoe via... qual o caminho - saida do labirinto do dia a dia...para a vera VIA



Assim o crer
assim perseverar

entre limiar
e limiar
e faces do espelho´
deste aparente lugar

crer - acreditar
e suster
ser de amor e ser de amar

vida plena em pespectiva
cheia de si - para partilhar

coragem em vida 
para 
anima amiga 

assim de novo 

sentir e ser e abraçar

juntos
assim abraçados
de mão em mão 
assim un e outro
entregues
doados

éntre os fogos - FÁTUOS - passar

em nova via e vida 
- emergir e de novo ser -
estar

nesse tempo sem tempo - nesse lugar sem nomear






se 
o medo
falta de fé
falta de confiança no que se é

assim 
impera e nos drena
chega

qual mentira amena

anulando
tantos e tantos 
tantas e tantas 
que 
tanto amaram e amaram tantos...

tantos anos 
que 
aqui 
ainda
assim
ti
mim
nós 
nos atestam


que se passa
nesta passagem

que sucede
nesta nossa 
"paragem"

´que assim
se 
presta
confirmar:

á incapacidade e invalidade
 de uma 
TOTAL HUMANIDADE

de 
uma terra, nação ou lugar

para 
sendo
SELECTA
seleccionar

OLIGARCAS 
quais as parcas
que de tesourinha se prestem a cortar
á 
linha 
devida´

que era 
a vida e a linha 
de vida 
salvaguardar

as linhas da vida teimavam
esses e essas - que escavam
escravaturas por maior

escravatira anunciada e assim publicitada 
- como bem maior- 

quando nada mais há, nem caminho nem sentido nem origem nem final
é curtir e queimar e depois vender oque havia de ser ovalor a nos reerguer para de novo "lá"chegar

a bem
não vão poder
pois poder vão são 
afinal
a mal tampouco têm mandato para assim teimar em perseverar e continuar
trancados
sm lugar
nem tempo para imperar´pretendendo erguer impérios
onde é imperatriz
VIDA
por igual



quando são as nossas
linhas e águas 
mais puras

para
beber e redescobrir e aprender
a
renascer
e de
entre a poça e o poço
de
novo fluir

pelo caminho mais óbvio
que fala
- directo –
sem intermediário

de noite ou de dia
- em cada hora –
sendo
diário

que te eleva e te sustém
e
que nada pede
e
nada exige
nada retém

sendo o que és
tu
também
o
sendo

parte de VIDA
em forma humana
assim
se
transcendendo

reencontro
sem tempo ou lugar

eis
abraço antergo
para se voltar a entregar


assim qual entrelaçar
assim qual "voar"
qual coros
de novo
a
entoar

antífonas gloriosas de vitória
pelo regresso de mais uma anima ao lar
mais uma coragem assim em plenitude a entoar
antífonas de eterna e plena glória

assim vidas de novo preenchidas
além da mente e da memória
idas
para onde vai
quem não tem medo de naufragar
esse tal atravessar do mar de amar

e

encontrar
 ilha

de 
verdade de luz e de virtude 
vidas que assim se reúnem
mais não caídas
veladas
até
estarem de novo em vida
 é
em vida
sendo assim consagradas

-como sabemos bem-fazer-
asim 
algo 
se atreveu 
a nos gerar

em semelhança
- assim sentir e entrever -
vida toda 
por entre nós
a trespassar e transparecer

nós desatados
nos entrelaçados
no mais sublime 
dos belos fados


sentido da vida a preservar
e a 
via 
(antiga amiga)
mais não esquecer

( a ajudar a partilhar,
a fazer valer
– valor universal
impossível de relativizar)





nem causa
nem fundamento
para o que está
lenta
mente

ser
desfeito

apenas
negras sombras 
que 
clamam
e reclamam
a propriedade´doque lhes é dado ém liberdade
em verdade
pequenas crianças de eh'gos fortes e fúteis
qu encontrando seu Norte
deixarão de ser 
- para a via e a vida - 
INÚTEIS

as 
negras sombras interiores
assim tão fortes reclamam

sendo que a força da VIDA
e o 
foco de atenção
desta vida 
desta nossa vida em via de despertar


opta
por amor, devoção e libre e soberana opção
assim

libertar

as sementes em potencial
de navegar em mar de amor
e em mar de amor 
não mais naufragar

plenitude devida
ao ser vida por igual

qual gota que
- sendo reconhecida -
em água devida
é água por igual



apontar forças coragem e devoção
foco vital de atenção
á 
vida
e a tudo o que nos bem dizer

e ao que esta 
em ti, em mim
em si representa

pouco ou força 
alguma
resta
assim à sombra
que da nossa vida atesta
o seu poder
de interferir
de
existir
ou
sequer
chegar a ser

pois é residual
da
via nominal
da
vida
UNIVERSAL
assim em tudo e em todos
por igual

em ser e estar
 humana forma
a se
transcender
em cada momento
presente eterno a optar
o SER

até se integrar
na
VIDA maioral

essa
que é em tudo e tudo preenche 
e
que dá vida e é vida
e
assim a todos de vida enche

esta 
VINCULO VITAL
existe em cada ser
que
é
gerado

em afinidade
em vinculo vital
desde sempre ligado




em 
bebedeiras de azul
de 
sonhos qual imagens
que 
VIDA nos passa
qual
terna aragem

assim de vida nos trespassa

através 
do
ser e sentir e viver

para transformar
poemas de vidas plenas
seres de alvura
com peso de fermosura
qual vivas altivas penas
que pesam enquanto pairam
o que nos resta do que nos agarra

vida renovada
por dentro 
fonte sagrada
assim reencontrada
assim jorrando
entre o tudo e o nada
assim restituindo
tanto...
tantos...
assim
já livre
VIDA
humilde
simples
partilhando

via e virtude
da 
vida humana
assim 

HONRADA

num partilhar
assim a vivenciar e ser
mar de amar

logo
logo a regressar
prestes
a
inundar de vida
vida que de Vida clama
e a 
vida
quando regressa
é 
cristalina e pura
mais não se engana


"em verde
oiro
se agitam"


qual 
mar de amar
entre
pinheiros e lugares
sérios e verdadeiros

formas que se abrem
para nos deixar entrever

a
força da vida em essência

ESSA
A
que em nos ecoa

sem se fazer ver

assim em Harmonia ressoa



pela mente
assim controlado
mente que mente
por se sentir ainda
o pequeno “ego”
persona ou máscara
papel a representar
qual ser ameaçado
sem terra, sem pátria
sem via ou caminho
para ser andado
de onde advir e para onde voltar

assim será de novo acolhido
nos braços da vida

Assim de novo amigo
É lentamente assumido
qual igual
Via e vida e virtude
Assim
sem mal



pelo canal da vida
em via de forma humana transformado

lembrar 
qual 
lembrar o regressar
lembrar como activar

o
legitimo canal´

para a fonte nos alimentar

e
partilhar e reforçar e multiplicar no partilhar
mil e uma formas 
além e através de nós

a
trespassar
olhar 
luzes de alvor
e ver 
auroras de ser maior

sentir a vida toda através de nós a fluir
e o universo inteiro
trespassar o nosso devir



à sombra 
que do medo e de duvida e da ignorância se atesta
pouco lhe resta
pouco ou nada lhe resta

(a 

OPÇÃO É TUA

ASSIM TE DECLAROU A VIDA
LIVRE

COMO ESTA
É
ASSIM

TU
E EU
EM SEMELHANÇA
como esta em semelhança 
e
assim entender - mais além- viver
esse tal eterno jardim
que 
palpita
ao 
ritmo da harmonia 
"dita"

...assim ...

latente e presente

de 
eternidade 

sem ter mais oumaior fim
do que aquele latente
em ti e em mim


EM SEMELHANÇA
VIDA EM SIMILUTUDE QUAL VIDA EM FORMA HUMANA
VIDA EM FORMA HUMANA CRIANÇA
SE RECONHECENDO
DESENVOLVENDO AMADURECENDO
O SEU SER MAIOR
PARA O REGRESSO E O ABRAÇO
SEM HAVER FRACASSO
FESTA E PRIMOR
EM RECONHECIMENTO REDENTOR