Música

quarta-feira, junho 12, 2013

not alone pt VII

Algo fala através de ti... 
algo ecoa em mim... 
quem é esse que me vê? 
e me faz assim? 

qual essa força maior que surge 
de entre o olhar das vagas 
que se estendem nas praias 
e aquele que as contempla 
e as evoca 
- livre... feliz? 


qual o som da melodia 
- desta nova sintonia - 
assim entre dois tocada e sentida 
- entre o mar e as suas vagas... 
ritmos infinitos que em mim falam 
e a ti que em mim os vês... 

eu sei que ai estás... 
e que NOS lês:

a mim que transcreve, 
a aquilo que realmente escreve 
e a ti que a TODOS nos fazes ecoar

é tão simples e tão fácil que parece apenas divagar...

este que vê as reflecte 
sensações que universo repete
palavras e entoações ecoando intemporais
para além dos céus e dos seus divinos cristais...

Montes de vida que palpitam, 
coração desta terra a ecoar... 
em espelhos de vidro reflectindo
o eterno germinar...

Uma mesma vida... 
somos um mesmo olhar 
- que se vê em perspectiva 
entre os olhos da criança perdida 
e o mundo maduro que a vem habitar
um e outro a nos recriar..

em cada nova aventura, 
em cada nova causa que se faz definidida, 
pura 
- contida - 
luz cristalizada, 
vida concentrada 
- num certo rosto, 
numa certa voz... 
num certo sentido 
que nos faz ser maior... 

num abraço querido, 
na mão do amigo... 

no encontro verdadeiro 
entre gesto sincero, 
palavra sem medo

nascidos do centro primeiro 
grito em nos a se replicar... 

acordes, 
harmonia 
- múltiplos que se repetem em sintonia - 

neste eterna vaga 
do grande e imenso AMAR...

Temos o rio que flui… 
sereno ou intenso…

fluxo imenso 
em cada momento… 
mesma água… 
mesma vida a se mostrar…

Seja o rosto vivo..,
 o gesto amigo 
tudo aquilo que vem para nos ajudar… 

entre  tumulto e tempestade
há vida, há alegria... há sintonia
procura no fundo do Ser

maior e mais profundo
do que o restante e imenso mundo
é a imensidão...

em ti não se pode conter...
pois o caminho 
que leva de volta ao eterno ninho
está lavrado no profundo do coração...

no ser que olha desde o fundo
e vê todo o mundo

desde o princípio até ao fim 
deste estranho segundo
que é eternidade
na palma da mão...

 Estranho Mar…
saudade 
paz à que se há de voltar… 
as veredas da viragem
começam agora a se mostrar

a nova vida regressa
como água que  cai sem pressa
gota a gota
ribeiro manso
palmo a palmo
avançando
rio sereno...
mão em mão o segredo
que se vai fazendo o mar… 

que se esvai num instante
para ser de novo gigante´pairando lá no ar...
e se fica num sopro
que traz água no rosto
bruma como fina espuma
que lava o degredo deste nosso vale

essência que será novamente fonte…. 
Misterioso caminho que percorrerá…

é o presente feito novo amanhã...



Neste momento… 
confronto meu… 
via de vida 
opções que se fazem
pequenos passos que trazem 
vida viva para se viver…

Entre o ruído 
– se mantém o sentido - 
do mundo que é teu... 

e meu...

… perspectiva que renasce...
chama viva que ninguém esquece
ninguém deixa 
- mesmo enquanto parte - 

fogo vivo que te anima 
te fazendo arte
quem nos convida 
a juntar
e a roda da vida viva abraçar

sentindo a brisa em qualquer parte
aquela que não expira
– mesmo quando contida… 
entre as paredes que são
o grito eterno
desse teu livre
e belo
coração…

Procura essa vereda… 
em cada passo dessa tua essência… 
faz em verdade 
caminho que te permite “voar”…

de volta à sintonia
Vida que encaminha
devolta para o seu eterno amar

Centro que se anuncia
em cada segundo que se estende
além do presente
para a sua chama original

Entre as chagas do destino 
tecnologias em desatino
encerrando a mente para se perder

Fogueira de vaidades
aparentes verdades
que o fogo vivo faz florescer

Desde o teuâmago
Um novo dia desperta
desde o teu centro
uma vida nova se alimenta

Desde o que em ti vibra
eco do seu Verdadeiro som

desde a eterna vida
essência que em ti se anuncia
e que é o teu Verdadeiro coração


Há uma porta linda – fria luz… 
calor mais sublime 
para quem já não teme

encontro – entre a Luz e o teu Sol: 
se faz assim caminho breve
exaltando em ti o esplendor…



Já sabes quanto se te opõe… 
descobre amigo, amiga 
- agora – 
a força da vida que em ti aninha
o vento que contigo caminha 

asa de vida que se faz perspectiva
por demais antiga

amiga

que nenhuma força do mundo pode conter

essência escondida
que em  tudo se adivinha
e que em ti vai florescer



Escondida no tempo 
– na essência deste momento – 
no grã

Sejam vidas... sonhos
palavras que ecoam em teu coração...
pedaços... de outros tempos
feitos abraços
na recordação
daquele portal de luz
de onde tudo o que se produz
por onde tudo regressará

germina nesse teu chão … 
entre o coração de árvore que em ti palpita… 
vida que se estende e que em ti habita...
gargalhada de criança amada… 

ser vivo que te olha e se reflecte 
conscienia pura - vida que a vida promete
naquilo que se reconhece
sem sequer pensar
sintonia de alegria
vida na sua mais sublime forma ancestral

Vida que o tempo apura
ser vida original
tu és...
assim podes sentir
e viver
e ser
e assim anunciar...