Música

sexta-feira, dezembro 02, 2016

Nvma lágrima qve secov mvndos e nvmaqve os bem aclarov encontrar vtro ser no profvndo e trazer ao de cima o qve sempre e bem amov...

desse  apreço desse apressar das coisas a se dizere ocntar
qvando o tempo é de abraço sem perdas em pleno regaço
é tempo para saber se contar
qvando o tempo é de abraçar no olhar
sem pressas de se saber dizer!
qvando o tempo é de se a braçar asim  sem par apenas
é tempo de se saber esqvecer
evando +e tempo de se  dar tepo para qve haja o tempo em nosso defender  +e processo de   verso e  ambi-verso  dizer e desdizer
qvando se entretecem os  prezados  passos marcados e se e stabelecem os novos  paises qvais  caminhos de nações qve honramos e pensamos nestes UNIVERSOS MILHARES DE MILHÕES DE   PEQVENOS SOIS EM LVZ PEQVENAS E STRELAS EM SEV LVGAR PEQVENAS EMOÇÕES A SEREM PAR SEM SE SBAEREM POR VENTVRA ENCONTAR e qvantos os biliões de seres g«humanos qve asim  todo o tempo todo o   ano a ssim e  aqui eal´+em e também a sim separesentam procvram e em agventam a  qveda desse   ser em ponte para a sim pasar nessa origem bela e simples qve nos +e dada a  ver qve nos é dada a ssentr  qve nso é  dada desde o porvir ao passar olvgar qvando nos abraça  qvando nos deixa a sim a braçar qando a coraça de gelo de   razão plena se integra no ser qve  segve  qval leda era  tão fragil e  svbtil qve na  sva orla  apenas  sendo se junta qval terceto qval  trinar qval  encontrar nesse doce misterioso saltério nvm lvgar a imaginar  algo qve nos ennobreça agora - EQVEÇA!
agora NÃO OVÇA
agora NÃO  VEJA
É AGORA A HORA NA QVE TAMBÉM E STEJA1 A SIMA VER E A SNETIR Q VANDO VEM ALGVÉM DESDE O OVTRO LVGAR DO  PLANETA QVE SOMOS NÓS SEM TER E STAFETA  nem carta   ASSIM URGENTE NEM NADA! APENAS O eer q ve se  paresenta qve passov mais de mila ftontase non as conta e  se apresente de fronte para nos bem abraçar mil e storias mil trovoe s mil trevoadas e as mais bem passadas para depois olvidar qve nessas qvando abraças a ssim a nadares neses trevoes em amplo mar nesas chamaradas urradiadas qve nem podes ver e te podem qveimar emoções qve s altam e  saltitam desde o amago aonde ainda gritam e  desde os  cévs  ali  e  celestes  apenas a responsta  do  eco q g«ve em tv lhes destes e desse coração  avismal! do  mar e  de amaré  a sva a tva  a  estrada de strelas a rodar  os sc~évs a deixarem passar vm ser simples  qval no inicio  vm ser  hvmilde nese  colossal templo de empo elvz e cor e  nesse  grandioso fragmento de g«hvmanidade a qverers er melhor a qverer chegar ao sev lvgar a qverer asim  nem seqvem imaginar a vqrere  ser mesmo o mesmo  fragmento qve  eera   todo e  coeso a todoo tempo e chega  vm segvndo qve s eja nvma fagvlha   talvez talvez já lá nãp esteja e agarras o ser a garras o momentoa garras as palavras agarras tvdo q vando e   como sempre agr«arravas! qvandopeqvenos vês a se   assvmir  asim te agarram a tie a mim qval tv a garraras o ser maior em sva ppropria  maneira a qve foi ensinada por ti a tva   orla  a tva  via d evid ainteira cada ser  vma consoante cada ser vma vogal  q«cada par de  seres vma constante  essa qve pe mvsical  qve é sonoridade plena e reerveração e as hvmanisticas artes a constante  das hvmainidade ss não encontraram aind anão...
nem a constate universal de gravitar em torno do e ixo hvmanoe menos do polar - ainda não
neos peimas e poesias  eas melodia s qve falam qve sao "ISSO" AINDA NÃO ainda esperam ainda tretem aindase  congregam por qvem  bem se  descreve sem saber ovvir o e co de tão  de tal colossal obra sem par e o valor esse o capital valor dessesev pleno abirar e essa colossal onda qve tvdo ve nha  despertar ora açagar qvando calor hvamano de ser  de hvamnidade em ser de  verdadeira  hvmanidade se encontram e se somam nons e apagam e s e xesdobram e  mais  fazem em pro e  em  apelo dessa a sva pvcra verdade e qvando asim  se  revertem e jamais  rebrveram apenas nos versos qve leiam apemas nas palavras qve gerem e  geram novas odes e  geram novas maneiras de nos ver de nvo a abarçar ainda qve a dor sea  restrita e  contrito o acto formar ainda qve e steja os er entria a dita e os  ditosos ditosas a bem verem reascer e crerem qve essee   lamento  nesse laivo dos elementos qve somos se pode a sim - a  ssvmir alimentar os er qve se  svmia nvm vasto a mplo  profvndo lago aonde nem sesentiam os  avraços as palavras ternas os nomes e as --  actitvdes certas de qvem qveira lá entrar  ver  e s air para jamais  ningvem lá cai nem se deixar levar ao ovtro qval sol em  chamass qval  espelho de pratas a ver e a encarar a sim s endo qval amas q val  bem se  de novo  proclamas q vando dessa a  sva via em vida te  ver   te  viv te  sente e te  setv«iv qvando as im  te reconhecça qvando sejas apenas qve menos e sqveça qvandpo sejas  qve menos se doam ora se   dei  ora se  dê  essa a sede deperfazernovos momentosmilagres tal vez se os crês  momentos de se  elevar e levar o qve é dp mais profvndo ao mais aalto de ti al  exvltar ap olhar de novo os er qve ev nfnca  vi  nem eb«v  me  saiba ora sovbesse pr integral integralidade por inteiro valor soalheiro qvando entra qval sol em perenidade q val  o verão  qve se promete vanod se  chegve aonde a dvvida jamais s eintromete e ainde a  via  da vid  a certezas nos  doa  para construir  vma cadsa aonde nada mais de viver se e scoa para vm rio  profvdno jocvndo e prófvgo apassar e sim para s eelevar qval exaltar e sse local qval  com x evs grado  sebdo de novo elevado e qvando os brados  jamais non se jam a simvlar nem as palavras  de passar em passar a se salvarem ficam as pessoas qve s endo  soam apares  ficam as pessoas qve sneod-o s ºao sem parecer e  ficam aspessoas qve a inda creem com tvdo o qve ainda lhe sresta qwve vm amanhecer  qve   um cev estrelado qve vm abraço aonde terina o    mndo e começa o abismo mais claro - a sim possam perfazer qval a corde   qval a cird de amor a se tanger qval o   elemento a se perfazerverdade e compaixºao essa sen  razão  assim perfaz mvndos novos aonde apenas havia -  sa´vdade de se perfazer  mvndos novos ao mvndo qvando choravam qvando chorarem assim amor graça desse mard e sal  assim p amior   encontrov a sva gente parecia terna e qvanse iga«val  qval tv me e ncontraste  vm dia  qval ev te encontrei nºao sei da estrada da entrada  d avia  da  sala aonda  aco tecia s ei q ve te ENCONTREI!

Sem comentários: