Música

quarta-feira, dezembro 07, 2016

DAS LÁGRIMAS DOS SONHOS AINDA A SE SABER LEVAR OS SONHOS SE ELEVAM E SE MORAM EM TI NA TREVA DA TREVA VÃO CHEGAR A TRAZER ALEGRIA DO FOGO DO LVME DO ÂMAGO DO LAR....




primor ao rever
a ma
i s fin a f l o r



 de cima ov de baixo ergver o  de amor de amar de Homem ov de Mvlher  em centro a  se ligar
nvma ode HVMANIDADE sem se deixar a ssim encerrar
em todo o lado em  qvalqver tempo e lvgar
se for  preparado mais  se poderia ver e qvalificar..


o ser  qve 
se r e nova 
bem 
alcançava




sendo de vida senda da viver senda de não trancar espaços para depois voltara escrever
qvando no fado se alinhavam os  seres qve ovviam bem forte e fvndo o tanger d esse acorde  qve doa  sse vida ao mvndo  qvando se eleva ora se elevasse desde o centro de aonde non existia  desde aonde nada se comprasse nem se levasse as festinhas qve agora se perfaziam  qval no coração a sim bem  fadadi nesse ser qve se demorassse  qval crianºça novo nado qve  na mais  alta  barca  assim  navegando  emv«beleçasse o sev doce pranto com o  ovvir de  svavidade e s em ademºao marcasse o sev  alto prado  pradarias e ternas mºaos  a flor  compaixão  asim bem lavrada  qve  de dvas  em  si de tres    aladas as  de ceptro do coração as válbvlas qvais flores  assim igvaladas já sendo encarnado  já estando no seio de vma barca qve não veleja nem veja  comoolhar qval aterra qval a avgoa  qval o mar qval olvgar e qval o horizonte  qve se elevam ese mostram e  bem e vocamo lob«nge mais al+em da miragem e  evocam o ser q ve de fronte  desde dentro a mais svave aragem  qve s endo  viva e  sendo leve apenas convida  ao qve bemse atreve s em medos  de navfragar pois naoovisse tal nome antes dde ser ao nascer doce lvgar a ficar
qvando em consciencia vogamos e viemos a ese lvgar oh fado oh tempera oh temperamento ph  tempo qve nos atrevemos  afestejar FESTEJÁVAMOSO MVNDO TODO  A A D REITO OH MENINO OH  MENINA QVE  JÁ VENS E NAO VÊS  OH senhora qve assegvre e agvarde o senhor qve  se perfeze non qvez a renovar qvais  soa joses dea zvlejo os«h seres qve  de viver fossem emsva graça oh amares maarias  aos   sevs ensejos  qg«ve  enseios  ascem  em«nqvanto nascem....

e trazem paz e alegria e boa bonança  no passar do cabo - esse qve  dá a boa esprança!...

alegria do mundo ao se bem  celebrara quie em tod aparte sem partir nem largar... a bom porto se chegava ainda  a ave  cantoora non dava sva hora e sem hora  qve é s empre diversa  a senhora  sepre  adversa  assim se a cometia  as ondas! do mar assim mar bemdomado e  nas maissimples e plenas  sobrescritos de amores sempre  atravessados por essa  lnçada de  lés a lés  qve  a passar passa  dreito e  sendo-o  tv nãoa vês nem a viste qvando a  vias nao lembras depois  te ASSVMISTE.....

para o menino e a menina nestas datas de festejar qve a vida regressa em formas - castas -  








Sem comentários: