Música

quarta-feira, março 19, 2014

Latente e sempre presente - por dentro e por fora - entre tanta gente...

Ver o mundo devagar...



Além da música que paira – entre orelha e orelha… entre o que se quer e o que se queria… e aquilo que está para acontecer ou aquilo que se anuncia…

Perseverar – num certo sentido, num certo lugar – deixar algo vivo – uma semente de ânimo amigo – algo que nos possa motivar – mais do que derruber – erguer e reerguer as vezes que fizer falta se levantar…

Esta é a terra, este é o lugar, estas são as pessoas que podem colaborar…
São gentes que entendem o que é estar – no chão e subir – palmo a palmo – com força de mão…
Alguns com o seu engenho, outros com o que têm dentro.. alguns por ser perseverantes como o vento que sopra – fraco, forte ou lento – sem ele não haveria sequer sustento para respirar – apenas se precata quem estiver atento  a que o próprio ar é força de vida incontida – tão suave e subtil- despercebida -  que assim mesmo se não pode tocar… e se sente – certamente – quando se aninha no interno ser – desde o coração pulsante ao grito pungente – ar que preenche por dentro a gente como calor que lhe dá fundamento… ar que era frio ao se respirar… que se mistura em vida em quem assim se possa precatar…

Como uma certa ideia – como mudar – como algo que se faça novo simplesmente por se partilhar…
A ideia de uma forma inovadora – em mil e um formas de ser senhor ou senhora – da vida que se tem e daquilo que ainda se pode divulgar – entre correr e cair ou andar devagar – entre ficar e ir.. ou simplesmente aceitar – que essa vida que em mim (em ti respira) é como esse ar – um sonho risonho à espera de se concretizar…


Latente e sempre presente… entre tanta e tanta gente… quanta gente poderá – ainda – ter ( ser) tempo para se precatar?...


Sem comentários: