Música

quinta-feira, maio 17, 2012

verdade desde dentro



Nada mais óbvio e - ao mesmo tempo - assustador... a verdade palpita dentro do meu ser...

Há um mistério, um insondável que se agita no que sou e naquilo que represento...

Ao princípio posso não o ver... não o sentir... não o viver... espelhos no meu caminhar acabarão por o revelar... a partir desse instante já nada pode voltar... pois sou responsável pelas minhas opções...

Seres livres - todos procuramos ser - responsáveis pela totalidade das opções que nos fazem mover e pelas suas consequências: aquilo que vamos recolher... ai entramos em padrões de pseudo-sintonia...

Anunciamos com o verbo meio carregado de verdade que "sim - quero ser livre" e mantemos parte da força para efectivar esta verdade trancada no medo de não poder, no medo de não conseguir... no fundo - no receio de descristalizar o anteriormente construído abrindo-se plenamente para a nova realidade que me é revelada...

O coração abre-se como rebento de rosa para a luz... apenas uma pequena resistência teme a sua ofuscante libertação...



A novidade - irmão, irmã... é que não estamos sós...

A feliz novidade - é que o teu libre arbítrio e a tua soberana opção têm a ajuda de todos aqueles que já rimos, saltamos ou simplesmente dançamos num nível algo diferente do habitual...

Como não somos sistemas isolados - toda essa boa onda, todo esse concretizar de sonhos (um sonho pode ser chegar à beira da praia e simplesmente arregaçar as calças, tirar os sapatos e caminhar pelas margens sentindo a areia molhada e a água salgada)... como te dizia - toda essa devoção, entrega e fé num mundo novo estão ai...

Aproxima-te de gente que queira rir, celebrar e que te impulse com palavras, gestos e presença para o fazer...

Eles estão sempre lá... a energia não tem sistemas isolados para se esconder: tu é que tens o poder de escolher qual a emissora de vida que queres sintonizar...

Depois - aproxima-te...

Deixa que os sentidos que a natureza te oferece possam mergulhar nessa luz boa, nesse vibrar vida nova... imbui-te desse sentir, impregna as tuas células desse querer, faz com que a tua vida beba desse viver...

E depois vai... para perto se puderes: pois assim vamos expandindo a onda de forma sustentada. Sei que queres mostrar ao mundo as tuas novas cores... que queres empreender uma nova cruzada...

Deixa-te disso irmão... irmã... agora a festa é outra...



Simplesmente aumenta a tua capacidade de estar feliz, ou bem ou simplesmente extasiado com o milagre de uma rosa que se desdobra e desabrocha, com a maravilhosa sensação da brisa no teu rosto e mãos, com o toque suave de alguma mão de irmão...

Somente isso... deixa-o entranhar... bem fundo no teu ser, na tua vida, no ar... que alguém respirar... vai lá estar... essa vontade suprema, essa melodia oculta... essa mensagem que se repete desde tempo singular...

Simplesmente - deixa-te aconchegar... não estás só...

Simplesmente abraça, acolhe, sorri... sente que este imenso vale está ca para te receber... para te reviver... para te fazer crescer...

Por dentro - sensibilidade sem par, intuições de pasmar, profundidade na visão do todo...

Por fora - capacidade de acolher, efeito positivo simplesmente por estares lá, abraço que dissolve a dor, toque que transmite amor...

É hora de começar a acreditar... estás preso e queres voar... nada mais fácil - levanta o móvel e diz alguém - de forma gratuita, honesta e incondicional - que amas...



O resto virá por si...

Lembra: o tempo neste plano é uma brincadeira matreira... parece passar sempre contra gradiente... as respostas aparecem noutro momento, noutro encontro, noutra experiência; os reforços são dados quando estás a precisar ir mais longe, abrir mais, vibrar mais...

Esperar que te reconfortem no mesmo momento que te abres é ainda estar distante da consciência de densidade deste plano... a luz demora a passar pelo espesso dos seus entramados...

Chega sempre, ainda que o seu relógio não é o dos tempos marcados que nós inventamos, é um palpitar bem presente no centro da consciência, um palpitar de amar o que se faz e com quem se está... esse é o verdadeiro tempo, o tempo real...

No fundo habitamos um um holograma marado, um labirinto lacrado recriado para a mente se transviar... pois é a mente que vens para libertar... e assim viver, sentir e ser aquilo transparente que és no teu interior... fina flor... Luz a brilhar... amigo do sopro, da árvore, da vida e do mar...


Sem comentários: