Música

quarta-feira, novembro 23, 2016

das barcas das francas novas e das festas qve bem fazemos ao regressar depois de t e r m o s I d o embora

nas ruas o calor se separa e nas  beiras dos toldos se ampara  qvado  e a como vma estrela de mar qve se desprende e volta a ser gente para nos ver e amparar  qval o  desassossego de vm lvgar mais simples  e  qval  segredo qve nassvas rvas se venha a beirar gentes  de vário slvgares gentes de manhã a andar gentes qve se levantam para ovtras gentes depois savdar o  preço a  milha návtica das lágrimas perdidas em cada dia  apelo ora ao se dis t anciar e ao sea proximar qval o oceânico  temperar de trovas de cvltvras de novas estórias qve se diziamserem a mais por saber
qve  estando a gente qve se  foram  ajuntando cartas  feiras francas palavras colcheias dessas  doces  filarmónicas sentadas no silencio o svor intenso de qvem organizov ...

ferro e madeiras das NOVAS BARCAS e nos portos de abrigo as velas qvais  toldos  assim ao  frio a  chvva  ao vento passam por todo o lado e brill am se mpre a d'reito alvas e bem elevadas no mastro maior  svspensas e nas svas gentes avenças de cartas jamais  lançadas sempre bem em coração a prezar e se peso ao regressar a acasa vns e ovtros  ilesos ovvi ram a voz qve paira no ar essa qve lhe diz ao  savdo qve a tempera  ainda non eé jugo mudo  e nem de se  adaptar a mvdar todo o dia  dia a todo semana a semana baça sem se encontrar  a cantar e  rir e passar pelo povo mensagem de fogo novo

jamais a se apagar mensagem de povo antigo qve passou testemunho vivo

mensagem de qvem sabe e compreende as novas barcas mantêm

o coração das livres e hvmanas gentes e qvem esteja até ao sol por e veja no  barro na lágrima dos cévs   no  alvor  as mesmas palavra as promessas de palavras e sonhos a se partilharem nas pessoas nas peqvenas pessoas qve desde cedo partem para bem estar a ajvdar e  qve se estejam nesse bem estão
ali aonde haja qvem diga SIM com voz perene  E NÃO aonde non se e svscrevem

essas peqvenas volvtas de brio nesses e essas qve o dizem sem terem mais  frio na voz ao dizer e
cvidam e bem segvram a via d avida dos qve ainda non chegam para  na manha a nterior   já estar a  perfazr e na mesma a o regressar horário sem ter par  assim  segvem a  vnir de AMORES os locais de aonde E antes se perfizera m   oh caras  velas - oh belas  caras  qvantas partiram qvantas chegaram qvantas deixaram o qve mais as abala....ora as embala isso - cada  qval bem saberá....

Sem comentários: