Música

segunda-feira, janeiro 25, 2016

ess@'s tres... estrelas - quais caras quais iguais finas assim @ ' vi um@' es p@' d@'r a vma rosa e um @ma's a b@r ca ndo (...)





uma
sala
a sim
qual o tema
que começa fria
ora quente assim
se assume qual o tem





uma luz a nascente por entre a vida o dia por entre o coração poente as


sim qual o ser se entrelaçara ora incorporara assim qual um reunir agindo e qual um ser se 
@
'
 brindo




es
s@'s

TRÊS ESTRELAS
UMA
AO CENTRO UM SER DE VIVER ENTREGUE E UMA VIDA ASSIM TAO 
LE
V
ES
E
DO
AR

AR
DE
N
TE 



VELA QUE EX CLAMA


QVE

I
A



SEND@'

 I
V
R
@
|


BEM 


DIZ

E
R

@
'
pro
clama
da

A

uma 
chama
e

V
M
A

chor
a

e

r@'s
G
e
m
a

D
A
V
I
d    a




e
uma
v
e
r
A
cha
m @ r
a  d    a 






Sou do fado
Como sei
Vivo um poema cantado
De um fado que eu inventei

A falar
Não posso dar-me
Mas ponho a alma a cantar
E as almas sabem escutar-me

Chorai, chorai
Poetas do meu país
Troncos da mesma raíz
Da vida que nos juntou

E se vocês 
não estivessem a meu lado
Então não havia fado
Nem fadistas como eu sou

Esta voz 
tão dolorida 
É culpa de todos vós
Poetas da minha vida

É loucura, 
ouço dizer








ser
rei



d'alem
daquem

d@'r






Mas bendita esta loucura 
de cantar e de sofrer

Chorai, chorai
Poetas do meu país
Troncos da mesma raíz
Da vida que nos juntou

E se vocês 
não estivessem a meu lado
Então não havia fado
Nem fadistas como eu sou





É meu e vosso este fado
Destino que nos amarra
Por mais que seja negado
Às cordas de uma guitarra

Sempre que se ouve um gemido
De uma guitarra a cantar
Fica-se logo perdido
Com vontade de chorar

Ó gente da minha terra
Agora é que eu percebi
Esta tristeza que trago
Foi de vós que recebi

E pareceria ternura
Se me deixasse embalar
Era maior a amargura
Menos triste o meu cantar

Ó gente da minha terra
Agora é que eu percebi
Esta tristeza que trago
Foi de vós que a recebi

Ó gente da minha terra
Agora é que eu percebi
Esta tristeza que trago
Esta tristeza que trago
Foi de vós que a recebi






uma 
la
g
rima 
caiu na reia
nas 
areias do deserto

 uma
rosa 
sus
pir
@v@





na noite uma estrel
@
'
n
d@
s


on
da
h
v
m
a


n@'






PER 
te


assim uma la
g
rima

 rima 
assim
l'ad
ci
m
@'s
a
@'n
 cantava


a
qu
el

la
g

ri
mas 
oclu
i

@'s

a
m
a
d
as
 areias 
que
 bem

s@'

a

m
or
a

sa
v
er

sem
n
a
d
a

dize
r
e
m



(...)



Sem comentários: