Música

domingo, fevereiro 15, 2015

HOMENAGEM - à torre mais alta - DIGNIDADE HUMANA - sempre em alta





Umas mãos que cuidam
Uma esperança
Branca
Que se eleva
E congrega
Esperança
Por igual

Seres que creiam
Que assim anseiam
A que as linhas do cuidar
Sejam bem-estar geral

Juntos – no tempo
Passo imenso
Que ecoa
Da gente
De vida
De devoção
À força e forma de cuidar
Boa gente, gente boa
Assim antigamente a se chamar

Sendo milhares os pasos
Sendo milhares os na«braços
Milhões de corações
Feitos em mão
De irmão
Mão em mão de devoção


uma candeia
de esperança
entre o frio do estio na noite escura
que avança
uma imagem´
clara
uma estrela fugaz
um clarão de esperança´que se faz
mulher audaz
flor
de anuncio do dia
Florence
que assim chamada
com candeia
entre a crimeia
apagava a chama
da batalha
e acendeia a candeia de chamada
de boa esperança
assim a vida aconchegada
assim em bom porto
arrivada

um abraço
que ecoa
no espaço

em tempo
e fundamento
assim transformado

qual simbolo
que une
em gesto
consagrado



Virtude e cuidar
E mulher a começar

Milhares de anos de história
Milhões de seres em memória
Assim connosco a avançar
Assim connosco
Hoje
Neste lugar

Assim as vozes
Sem história
Que se perpetuam
In memoriam
Entre quem assim foi
Em suas asas
Entre suas mãos
Ser pequeno
Criança
Em mão
Ser grande
Aspirando
Respirando
À sua digna 
HUMANA CONDIÇÃO


uma fonte de agua pura
que jorra entre anoute escura
quando ha sede de ser
de se reconhecer
em digna humanidade
pontes de vida e verdade
relação de ajuda
que assim se perfaz
relção entre pares
quase
entre iguais
relação de amizades
filantropias tais
que preencheram vidas e obras
imemoriais

são valores
transcendentais
bem em tua frente
seres e humanidades
bem 
REAIS




E na eternidade
Se elevando
Enquanto alguém
Seguia
Atentamente
Salvaguardando
Tanto…
Tantos…


Assim hoje seguem
E perseguem
Um sonho
De vida
Devido à vida
Assim se nomeiem
Amigos
Amigas
Da linha vital
Dessa que nem determina
Nem afasta
Nem elimina
Ninguém em tratamento
Em cuidar
Em saúde
Bem e valor
Universal

Assim afirmado
Assim lado a lado
Assim não mais
Passível de ser esquecido
Ou posto de lado
Alienado
Não vai mais
Pois estão de frente
Em volta
No passadoe no presente
Um futuro que dê b«volta
A privatizar o particular
A dar nome de marca
A esses
E essas sem nome
Que nem a história toda abarca

Em memória
Assim inspirada
Qual soldados de paz
Palavra dada
Assim salvaguarda
Da via toda
Sejam em forma
De senhor ou senhora

Assim chamadas
Assim chamados
Quais anjos
Mensageiros honrados
Que prescrevem
O fundamento
De servir
O humano ser em forma e essência
Em opção e consciência
Em opção consciente por devoção
Em inspiração de arte
Em ciência nobre que faz parte
Desse algo que se traz por dentro
Que lentamente
Parto lento
Se vai sentindo e fruindo e sendo
De vida promotor
De saúde e vida
Por amor

(enquanto houver 
Humanidade
Vai sempre
Haver
VERDADE
Digna
Humanidade
- dita- 

Dignidade)

Sem comentários: