Música

quinta-feira, fevereiro 04, 2016



@ '


v i
A
s

PRAIA assim bem forjada em areia qual relampago que sendo assim tres
passo

baço ainda por pulir quando o fogo seja baço asima noite seja abem se es vai r  quando assim bem mais seja a sim bem também o ser de viver asim qual nota escassa bem breve asima is bem concede qual ser quem bem ha de chegara a ser
assim bem fria a noa aparia a o mundo a bruma vazia  dessa tal augua assim a tal nota bem esgrimira as cinco petalas dessa rosa asim em calice asim em força e nome de bem ser assim qual uma crista lina assim agua salina a sim qual magoas quais a magoas a ebm se traduzir ora abem se  reescrever
quando assim bem se dizem e bem se deixam entre vistas rever
assim qual os er de vida qual os er de estar con tigo em vi d
ro firme solidez sabereescrever a tua imagem maila minha a sim num rio escrito a ceu  bem preservado qunado por entre os cristalinos ecos do mar  da terra do a sua nascente asim sesendo presente se pre ci pitara quando desde as
tur assim sendo desde as EUROPAS também bem soa ara is desde esse rio mais firme desdeeessas pedras escassas AS HORAS AS HONRAS que bem dizem - que o tempo assim é qul bem se
diz
GRAÇA
ao vento graça ao luargraça sme fundamento por entre o tempo que se  es vai assim es capar
um amor um ser de amores vivo um ser assim a de bem chorar  quando asim se vem - esgrimid
@'s
sendas palavras as sendas notas breves ora castas bravas
assim quando por entre a slinhas as bravuras os bramidos os candores as aguas mais puras passam porentre a trevas e os ecos -s enhor@'s
assim estando - bem gravadas as palavras as capas e a espadas asim quais ecos de dons senhores viventes
assim e cos de vidas elos presentes quando asim tam bém os chamastes e quando asi recobertos os ecos luzidios asim sendo quais os antigo smais novos outrora e por ora vazios
e quando asim bem se preencham a sim bem jamais se esqueçam que a vida e a obra de quem bem desejam e bem ensejama sim - anaeisa sime ntre tres aros de veus mais non vedes  asim sendas horas vedadas quando pro entre as capas e a sbnascentes honras eas horas e as espadas e as cinco mais duas a smãos bem gravando ora a ssim sendo oraa ssim se entronizam ora bem se creiam assim bem sejam esper a das as magoas das aguas passadas regressem sem mais de reg
assim as voltas das mares  a sim voltar talq ual sejas a sim bems ejas tal qual bem és tu também sem capa nem e espada apenas uma esfera na mao repos
a
da
assim quando e bem sendo dito quando o mais tempo quanto mais cre a ssim sem ter c  asim ter sede de viver da hora a bem dizer desse momento que bem foi recriado quando asim s estebaecera asem ter g«hora nem vela nem momento o tempo  sim pro dentro estabelecido amigo breve o setido o ara  e  o sentimento
assim entre duas chamas que riemam e que riem que choram que chovem por nascerem
por dentro asim qual bem ditas as lagrimas a srimasa snotas traçadas umas de renascerem de vidas as outras iand por serem asim bem entoa das

e quanto mais bem dizen
tese quanto mais a mor ardente mais bem assim se elvandoe qual coroa asim qual estelaasim qual uma vela segue brillando ora alumiando...




MATRIZES DE VIDAS uqando asim entelaçadasquando nas area smenos permitidas permiss@'s asim bem lacrados assim um bem geral asim bem estando entre rugir ora trova quanta sformas diferentes de bem a sssim rpendar entrelaçando asim transformando asim se bem fazendo asim também ora tanto seais iguais a sim qual bem felizes os tempos as horas os ventos que bem na moras asim n«bem seguem  sendo ora chorandoqual o lamento que ora aporaa sim em«ntre as horas segua e seguir'a - a
H
v
ma
ni
z

ando

INDA qual dança brevequem bem esgrime a chama leve
e quando asim entre musicas contas e cantares  erecantos e contos d encontrara sim bem se encontra  e  segue asim bem entrelaçando quntas personae ainda hajam por bem assim el e va

rVmo a o ds conhecido incerto ora vaio quando pro ser a sim preenchendo uma chama renasce p+ro dentro de uma orbe que fora rasgada renasce uma oy«utra vera prima e transformada e a doirada chama presente prima qual bronze em em si se resscrevera e prata vazia asi m @'s p@'s
recera


o mar se ele vando entre canto e canto econto e es erd e espiral evento  em ti d«fiel fundamento asim se bem rasgando em mi
 m esmo - sendo asim reescrita ame
lo
dia a ssim em tomsem saber ressoara assim soando assim bem caa a  palida e bem sendo asim por entro bem ressoandoa chama  vera a vermelha chama que asim transformasse o serd evid o sol que passe e  entre ol e solare luar d elua plena prata mais serena aa sua pequena sombra jamais de Humanidade asim também se enriqueça e  quqndo asim bem sendo um aoutra força vai nascer asim nasce e smor es cendo asim bems e netrelaçara
quantoe quam mais bem chor a ara a ssim ebms e fosse
asim asi bem se esvaisse e menos be aonde as ondas do ama m or mais  profundo das chamas mais bem elevas  uma mesma matriz em sons d e viver a ssim em viva cor asim  em coração se bem atrouvaram...

mais luz menos dia menos  anoite mais plena vazia e quando asim sendo entre as brumas o amor se esvai morrendo e quando assim se bem entregue bems e plantara asim pro entre luar e gente e a terra candente e o sol que se fora oara se esvairaa sim em plenitude um novo dia asim també se exprimra ora se expressar@'
azul o dia anoite mais fria em tos d elugar em lugar asim entre tempoe eaternidadee assim bem mais longe sem ter tempo nem idade a ssime abem mais a sim se vem a des
cam
bar o lugar o forte encanto o encontr que s entregou e se deraa sim tantoa s colunas os lugares os tempos os pares e a mais não cond escendera sim mais non cedendo a lua o sol e anoite profundo tudo e dtodos resnacem viventes por dentro amai pura cora sim qual vi  oleo secreto sagrado por vir a sim sendo d enovo trasnformado o ser d eviver o vermelho encarnado asimqual o ser de vida que asim foi entre visto entre aras de  cores sagradas no maisprod«fundo ascendera a sim entre silan«bas entre farases colcehias uam brancas outras negras erguidas aos ceos e quando asim bems e atrevera a sim bem seja servi da a sim a chama que traz em mão
sem a ter a outra luz la do fundo assim sabe guiar sem se perde
RAMA desse 
OL 

V
AL


assima criança no troo assiste um olhar silente ora sereno duas mãos que nam ais m vistes e um ser que asim secreto fundmaneto bem guiara umas vezes desta a sua palavra outras asim e também se e stra viara
assim um lugarmais acima um doirado ser de fermosura uam ave que re s
a candura mais plena a idade mais a
 pura
assim quando bem se seja sorrindo asim sabe segui sendo e ao lugar aoluara o mais profundo ao que ascende suavee sereno sem ter de amaor  amão a sim nem aberta nem fechada a prota mais bem seladaa sim ha des er encontro pelno vivo em si mesmo
fogo livre pelno antigoqu emais non se sabe nem sente e quando asim se aspirara e menos se proclamdo um  voz que s egue que jazz  asim sobe a spirar e  retombar por enter quem ainda segu a es per
and
@'
s

EM

se saber

nem mostrar nem saber guiar qual musa cega que segue e cega asim qual luz que sabe a






















Sem comentários: