Música

domingo, fevereiro 07, 2016

aos ol vidados non se joguem - aos esquen cidos não mais amizades aos mais vivos que pobrem ora que partam e aos bem nascidos que sejam pro te g i dos paa aonde mais non os al canc em...



(...)
para onde foi o seu amado?
Que caminho ele seguiu?
Nós a ajudaremos a encontrá-lo.



Que poesa que porsa que tema para mover uma vela de cor assim - tão bela assim qual a cor de car mesim assim qual a cor de coragem por n@ 's   tres a  mais fina tal veis aragem assim em ti em mim 
- an cor ages 
d@'s
ros
as 

a                                                                                           n         o
                         d@                                                            '              s
d                                             o
d                      E      
D   a                         L     os



 a                s
n
o                          s
s
a           s 
b
a                           r
c
a                             s
 a
s
                                                                                                             p
a                   l
v           r
a                            s 
a

desde os ceos a sim caem reaem em ti   em teus ombros pesdaos ecos pasados de mais de mil estor ias de mais de mil mem o  rias de mais de amor a ssim timbres pesados ora abertos ora fechados entre omais antigo lugar de vo cio n al assim entre o lus co fus co assim por entre o lugar no que ex isto e no que lu s ca i e vem desde o mais adentro e mais ao centro asim se entrega qual ave que bem voga aora que tambéma sim navega asim qual uma estoria auma espada a asim qual um dom de entrega em proeria aalma  simentregue e bem cravada etirada qual de uma arvore de vida qual de uma sina de um simboloo ra sinal asim qual o dia qual asm«noite s er see semrpe a sncente sempre igual asimq uando um conto a outro cante e quando um recanto de requedros transformados em c«viva chama escudaos caidos de novo erguidos e entre o simbolo e squeb«ncido de quem veias bem ser assim sabreis quais as chams de quinas que se escondem pro entre os nomes os dias as mem o rias mais antigas e  os dizeres os ditames dos nossos novo slugares desse sluares quais chagas dessas contos de partas doiradas de navegares e bem mais negares asim a onde bem foste a onde chegastes e qiand a aond d e fronte tendes ebem tamb+em sodes a quembems abedese quem asim viventes pro ter  e stes a ssim  sendo vivas a schamaradas as chamadas ams aias tingas roas quais as mais preciadas asm ais precidasa  costas com costas em pre e stiverama a gora barca assim tantos que nem sabe nem segue a s aber sa ber seguir se a acendendo qaundoa sim uma de tres asim bem saia  e uma a maior a masi viva s egue latejando a mais non digais  nem a adeus a quem mais bem se gue pran te ando a sim qual promessa es quecidaq ue  aquala alianaça de norte ao sul nascente de portos ecuraos até a ata aoa ocntinente a sim contingente menos s alientes os tres sinais as sinas as chagas e qios que bem vejam assim e bemmais - quando de tres se fazem cinco e de dsete ao veres menos dois um sol de amor um de louvar eul de ser de ceu - interior flor d eluz -a sim maisnão  ca bae nem ter termo nem bem asim termina em der redor bem ressoa e quand masi se estima masi se stiva masi se suqina e assim a sim se acende mais vaive - a chamada flor de espera de ser alva a lvor a lvorada luzd«ia flor doirada qual ave ems opro ardente ques e  doa s eentrega a quem é de seaber ser de l de saber ser form al de saber ser d agente asim por netre o brio por entre o frio  por entre amorte de quemasim se ve e s e s«cnjde e por netre  aflor mais breve   epor nete o lampejo mais bem presnedte entre quem asssim engane a amsi pobre gente asims e eosreegue ebem amais se aeb«vante o infante a por entra s bri«uams o leala lrigir que asim abrume as espumas a s vaga d wquem apagas de quems e gue pagando para ver sorrir orade  sofreer asima mais non vista asim qual um ser a palai d esscer  asim quando em bems eja asim trvejando quam umm t«retombar demaisld emil tambores aue seguem assim bem soando e quando asim entre luze s e timpanos e timbres veloes os algozes ecos da smemorias que foste s eguis sendo asim quais a e storias que co teis que contais aos vem maior«ais aos pequenos que também orastes defednder e aos miorais os maiores que asm jurastes asim a saber
quem mais proclame menos veja quem amsi suba quemmenos seja e quem bema ceite e conceda asim ha de  chegara  ser  um serd e vida por entre avida a se entrelaçar nem dama nem duvidaa s duvidas a destronar e quando as defesass  eausentam e masi nada nos apequenta asim bemmasis eja  e bem mais se sgyrima uma chamada uma chamarada um alagrima rosacea de tanto se doar asim qual umsom que bems e egrita a sim qual um piano que entre negro e alvo sabes escalar e bem soando quando um rumor se faz espanto e quando um proclamar asim e denovo qual um ser - piando uma ave de alvor ora aalvorada por entre a noite da dor esconde a prome assaa  epsrança aind anºao sonhada   entre o tempo  por entre lugare spor entre as mascaras petreas das nossa svivas gente escudos a ver honrar assim quando souberem bems e ver quando souberem bem des per tar e quando mais bem  amaor de amores souberem asimem si  saber levar alai aonde for ali aonde for a ind a ser a precisar ssa achama amais antiga que iluminou de novo o dia quando a noite antiga o gelo mais profundo o fimdo mundo veio umdia um anoite sem hora nem tempo no templo proclamar e asim trespassado d elado a lado segue e proclamaa té que venha uma epquena fagul de este desse norte que se apresse ora prete a ssim quando bem se esqueça e se esvaindo se deixe de assim ver aflorar flores d eviver por netre quem asim souber ainda lembrar  flores aleas a sism bem sendo honradas quando por entre vagas e rumores os tempos toquem as notas netidas as lagrimas contidas e os hinos que bems e elevam por dentro a slinhas da harpa seguem chamando a slinhas desse ci sal seguem sel venado e asim se partidndo se esmigalhando as espadas partidas as+partituras de todos os dias dizem que se svaem nas nevoas entrelaçando enenova«oando assimquais as dos dons que se deixam dos  que ainda creiam que bem sem ada ora ninguém também sejam assim quais os de outr0o  dia ora lugara sim quais os dias sem pares ainda  s endo sem lugares s erguem  ainda sabendo quando entre o tempo entre o lugar se ouça de sola sol de par apar asim bem ouvir bem encontrar esse lugar qual ala sem iluminar qual uma musica antiga que a chama rada mais viva saiba ainda entrelaçar e quando ssima  coroa se resquebraçara e quando o porte do tal- emão se esmigalhasse e quando a espada d ebrio seja ancorada e quando o que sera d eelmo brioso e vivo se deixe em terra e parta asim hão havemos de ser aos lermos aos lemes a smaos erguidas quais tres vezes asimnegando um galo de libertaasa segue ao sol nascente orando os valores d avida os pilares asim resguarda TRAIÇÃO DIZEM OS DA VIDA HONRA SEM DIGNIDADE DIZEM OS QUE ASIM SALVA GUARDAM a serem FRANCOS honestos pulcros elimpos ainda que rasgados pro dentro perdidos pro fora quais escravos em simmesmo sendo levados em si mesmo ainda ancorando os nos das barcas qu partiram e  as que tendo chegado asinda se a guentam ora se ergam quais espirais mais não piramidais entretecidos nem nós de e spadas es vaindo sangues perdidos nem assim os masi garridos nomes de todas a sterras sendoapagadaos por honra por dignidade  da splav«cas d epedras frias fazerem pedras honradas e dos nossos tempos em vida fazer a sim prkmessas vincadas e dos er de viver e d o ser de sorrir ainda mais  de amor saber asim PRO FERIRI assim palavras no nada escritas entre a masi antiga li ber  dade   assim quando d anoite mais vazia renasça uma NOVA IDADE asim qual trazer sonhos de aonde a caronte onfrontando sem barca partindo sem barca advogando evolta dada a trazer qual amais fina - que mais bem selava a ros a d avida que  asim é es  ealava  entre o dia  e anoite mais escura a sim bem asim ceh«gando  asim ccego o poema o poeta o tema vai se des en rol ando . até novas via sencontrarnovos dias asim  atrovar a simquais   sete linhas entre nos a sim uma melodia mais alta  e uma hamonia que sabemos ser viva  essa q que aind anos falta até bem dizerem quems abem serem até bem rasgarem  mascaras de s ero que fomos e oq eu ainda havemos de vir a chegar a ser uma melodia que jamais jamasi se ha de e sqeuncer esse sorriso doirado tesoiro esse lugar antigo por entre o sorriro do propriopob«vo e essas  astais - escadas degrauss em mais - as sim vivas asim bem e sgrimidas a sim quais costas com costas quais escudos fechados asim jamasi sendo de vistas perdidas a sim nunca jamais sendo viradaos - assim apenas quais teclas de novo tocado spor lei por seua grei e pela luz maior que rrescreva o tem a aluz mais bela e amasi pungente  que nos suste m sustentou e segue s endo candente our'tra de novo - e mais uma vez levantar - avivar preparar para confrontar a chama mais fria que o dia primigenito aissim engendrou oa linha de virtude que irmandade deixou....















Sem comentários: