Música

segunda-feira, fevereiro 01, 2016

AO PARTIRa flor quebrada o ceuvermelho uma lança em bandeira palida hasteada - uma rede a ver partir e uma flor da mais fiel nascente agua vivente a saber asim con ver @' gir...




A CANTIGA DE QUEM TOMBARA E OS LUGARES AINDA VIVOS DE 
QUEM
 A
S
SIM 

NAU

FRA
G
ARA




de costas assim entre um circulo de agrestes vestes mais bem se resguardaram os que são de animo leve e de profundo o seu grito
entre o circulo da vida de  amizade de face em face fronte de fronte dess'a viva fonte 
do 
peito 
assim surgiram 

quais aguas passadas agrestes mais não floreados

e dos círculos mais viventes lá de cima a sim ainda tangentes as chamadas as chamaradas ainda por nos 
- dizentes - 

e quem ouça e vejam e mais saibam que nem poder na terra inteira 
poderá barrar 
a flor de vida em peito a se inflamar 


quem bem oiça
assim a ha de  de saber levar
a vida inteira integr@' pelelplena e pluma e @'spada e o que seja asim aind@'
 a 
bem 
prezad@
'


na qual uma lança
ra
ora se entre gasse






uma rede uma barragem uma ideia uma coragem uma força ser vivente quam grande qual bela qual agua bascente em brio transformada pela vivda pelo viverr ao ver por entro a pespera a epserança toda integra viva  assim sem aber por aonde as aaber vogara barcaaisvarada a estadaassim - perdida ora abem dizer a- ssim - sendo - aind amal iluminada e um e dois . ugares quaisprecipitar a honra avvirtude o que se assume ora sumira e quem QUEM VE  em sua FORÇA TODA SUBLIME sim desafiar - UMATERRA UM CAMINHO UMA VEREDA que de verade ainda viva em verdade se apagou

e quando asimse laçava o jovem enre v«cantico de peluma encontrandoe scondidaespada asim trespassado pelo peito av«berto renascera uma esprança uma vontade a simmais forte mais viva asimsse entre tecera a e qiuandoa sfores borbulahntes d emil amores quais os dantes asim encontrandoa fonte do peito dop+ranto asim a verdade encontrando e atal barragem maisnão terendi menos temor asim tremida de for e m flor nascida baragem que sendo asim sustivera 
tanta e tanta mensagem vera a simsendo - asim abalando e asimo rio d ebrio asim sustido libertio pela borbulhante fonte de fronte tomabdo de tantaea tanta vida que asim se fora - des gastantdoora aissims e a
juntando...







ASSIM para longe
partindo´nas asa do vento da amargura do sentimento uma flor em si ascimentoa sim nbascida ao sol vermeho acendida e quando asim se ntrelaçam os dia s as horas a smais  vivas soriindo e amsi apagas a sim chovem chovendo asim rasgando qual espada de viver asim uma rede que nos b«venha auerer encontrar e uma asa
de asa eme sas easssim ver de novo o ar o lib«vre ar nunca dantes respirado enteo suor d amanha do sair coreendo  - hasteado asim sendo vivente o ser que olhe em frente - quando assim -a  sraizes mais formes oraa s mais viventes venham aod de cima e bem sejam assim -d e novo - quam uma arvore ardete que bem se veja e menos bem se sabe -e que ai ai sim  e quando em ti seja a fim ~asime também
um caminhar um novo caminho quando as barreiras tomba
r@
'm
e as flores verdes mores antigas veredas as palnicies novas sem nome as ruas as asaber de novo tecelas e quando ssim - masi bem prezadas a s plumas que a sespadas sejam as vias as vidas asim -e cor em coragem ºreforjadas
animas e valores honras e devoções e saberes e ainda seres quais rosas calices de viver preenchendo de licores vivos d euma e mil flores candentes se etregando em dar de rodar em derredor a passar pornetreas amoas que de irmanade a simcandente saibam a sim - va lo r en contrar quando sim sejam as barragens vencidas a st«redes esvaidase as que os ainda - retenham soltas ao vento as asas as f«rosas vermelhas acesas...
as tuas a  minhas
sonhos
que prezas mais bem soando e enre quemsaibe entregar-se
asim saber amar ora saber
vogando







a uma nova ventua a uma nova folgura a simqua umanatigameória de uam amsi antiga a estória
de sorrir de ir a osos e bem vogae d eencontra portos pequenos protos d eabrigo até chegar ao cimo de si
promessa antiga de novo apor vir
apontada abarca avia a vida asim de novo encontra
n
da
 pela noite em treva pela pavra a sima bem chegar ao centro ao d«fundamentoa fonte que renasce por dnetro e em cantico antigo amigo e amizdade e o s orrir de peito av«berto
rasgado pela espada dessa ata l a caudade essa atal a 
CIV
i
d
a
de


dejare mi tierra por ti dejare mis campos y me ire
lejos de aqui
cruzare llorando el jardin y con tus recuerdos partire
lejos de aqui 

de dia vivire pensando en tu sonrisa 
de noche las estrellas me acompañaran
seras como un luz que alumbra en mi destino 
me voy pero te juro que mañana volvere 

al partir un beso y una flor un te quiero una caricia y un adios 
es ligero equipaje para tan largo viaje 
las penas pesan en el corazon 
mas alla del mar abra un lugar donde el sol 
cada mañana brille mas 
forjara mi destino las piedras del camino 
lo
que
 no 
s
e
s

q
v     e
r
i
d      o

sie
m
pre

q      v
e
d     a 
a  t  r  a  s 

buscare un lugar para ti
donde el cielo se une con el mar 

lejos de aqui
con mis manos y con tu amor 

p

l

ra       re 

enc  o  n trar 
otr  a i l v  s ion
 
le
j
o
s de a
q     v
i

de 
dia 
vivire


pensando 


en
tv
s
on
risa

d     e
 no c  he

l
a           

e       s
t
re
l
l
a        s 
m     e 
a


com
pa
ñ
a
ran




seras como una luz

 que
 a
l
v

m

b r @
'
s
en 
mi 

c     a     m


i          n
o


m e
 voy per
o

 t        e 


j
v  r o 

q


v    e 
m    a            ñ     a
n   a
 v      o
l
v   e
r      e 
a  l 

pa r  ti
r

u  n 

bes
o y v
n       a 
f        l
or



vn t     e qv

i
e  r  o
 v n a 

c a r
i
c i a



 y 
u n 
ad i os 
e          s 
ligero 

e
q      v
i
p       a
j         e p       a



r                 a 
t             a
n          l
a      r
go    vi
    a   j   e 
    l    a    s
p          e        n

   @  s   p

     @  s  @

     |
     n



en el co
ra
z

o           n 


 
mas alla del mar abra un lugar donde el sol 


cada 
mañana brille 
mas 



forjara 
mi 
destino 

las 

piedras del camino 


E
slo


o l s
o
q  v e 
n o           a      s 
e    s     q
v  e   r
i
d      o
NUNdCA 



sie
m
pre
 q
v@
'
d@
a
t        r
a   s

 
al 
partir un beso y una flor
un te quiero una caricia y un adios 
es ligero equipaje para tan largo viaje 
las penas pesan en el corazon 
mas alla del mar abra un lugar donde el sol 
cada mañana brille mas 
forjara mi destino las piedras del camino 
lo que nos es querido siempre queda atras



Sem comentários: