Música

sábado, julho 19, 2014

Os espelhos dos novos tempos despertam de entre os velhos momentos...


crucifica  o meu amor
se o meu amor me liberta

crucifica melhor a dor
se a dor
em ti aperta...




Quando falham as palavras
Quando as candeias acesas
se escondem ou se apagam


Quando o que o Amor sonha
Que por amor assim clama

Quando o dia a dia se esconde
E vela a sua essência apagada


Há a Vida
há o sol trazendo de volta
o que se perdeu por amor...


Essa a esperança
Assim esmagada,

por ti assim confinada
Recluida num espaço
Da tua própria “casa”

guardada



sonha um sonho
e o que sonhas será
uma torre velada
uma promessa anunciada
uma luz mais não apagada
em ti sustida
por ti de novo acendida





Quando o Universo não basta
vendes teu mundo inteiro
Por esse recanto, o canteiro
Que da tua verdade te afasta

Recordar:
 o que por dentro se estende
o que por fora não basta...


Sem comentários: