Música

terça-feira, julho 15, 2014

Há qualquer coisa em nós…


 

 

Que palpita sem se ver

Que se manifesta sem querer

Que se mostra

Quando não estás  a ver

E vendo

Começa assim a acontecer

 

Esse algo te chama

O teu olhar reclama

A tua viva chama – chama

Para se mostrar

Para se manifestar

Em pleno dia

Baixo a luz do luar

 

Assim de cálida

E quente

Assim de presente

É o teu ser …

 É o teu viver

 

Que assim palpita

É o que está acontecer

A quem assim explica

Ainda que não se possa

Em si

Descrever

 

Algo que em nos

Indica

Que algo novo está a nascer

Que nos diz

Que o sopro vivo

Que é

Em nós amigo

Não há assim

De morrer

 

Algo

Vivo

Está a latejar

Amiga

Amigo

Nos irmanando

Mais não se contendo

Mais não se entregando

Livre no mostrando

O caminho maior

A se percorrer

 

Lado a lado

Sempre juntos

Assim

Eternos mundos

A se encontrar

E se reerguer

 

Como pedras esquecidas

Como pequenas e antigas cantigas

De novo recordadas

Como histórias amigas

Nos corações guardadas

 

Esperando assim

Reviver

Sementes de vidas

Assim germinando

Perfurando o chão pétreo

Onde se encontravam

Refazendo de vida a antiga estrada

E a vereda

E o jardim

Em ti

E em mim

Aparecendo

De novo

Assim

Tão perto

De um momento

De um suspiro

Eternamente aberto

 

De se entregar sem esperar

O que vai assim suceder

 

Dançando na luz do eterno

Entre qualquer espaço aberto

Entrelaçando assim fundamento

De ser vivo

Liberto

Com todo o ser Humano

Desperto

Que assim pode de novo

Reviver…

Sem comentários: