Música

quarta-feira, maio 01, 2013

PERGUNTAS


Na dúvida... na voz sibilante que te drena no interior... mentindo para cegar do teu verdadeiro valor... invocando justificações para te afogar... e longe de tudo e de todos te afastar: como responde o teu verdadeiro SER? Como desperta a ave de fogo que queima o engano e faz a vida RENASCER?...




Até onde chegarias?... para destruir o MEDO, a DÚVIDA, a FALTA de PERSPECTIVA... até onde arriscarias a ir? 
Quão profundo irias... no teu misterioso mundo a descobrir? 
Quanto estarias disposto a arriscar - para quebrar as cadeias de dor que prendem o teu ser e o do mundo em derredor?... 

quantas vidas encontrarias... nessas terras ermas onde a vida termina?... 

quantos arrastarias... na tua sede de verdade, fortaleza e justiça?... 

quem te ACOMPANHARIA... sabendo que a viagem seria - até ao outro lado do véu?... 

haveria ESPERANÇA de - algum dia - trazer de volta a luz do Sol... a um ermo distante onde as sombras imperam e onde se já não ouve o riso, a brisa que sopra LIVRE e a verdadeira força do AMOR?...


Encontrarias o TEU VERDADEIRO NOME? a tua RAZÃO DE SER e EXISTIR?...

Trarias na tua alçada a luz de um porvir?...

Haveria luzes de vida a velar o teu caminhar? Haveria guerras batalhas ganhas... e heróis surgindo das pedras que te obrigaste a seguir?...

Brilharia ainda uma ESTRELA de ESPERANÇA - nas terras das sombras?...

Haveria uma LEMBRANÇA - que te trouxesse a ti de volta?... no mundo das sombras de onde nenhum regressou?...

E depois de ter descido ao vazio... e iluminado o céu com teu brio... quem terá novamente fé?... se todos ficarem vergados e nenhum dos escravos quiser de novo ficar de pé?

Haverá um destino no que está destinado a se perder?... sabendo do seu caminho - irá em frente com todo o seu ser?...

Haverá coragem que destrua - a negra sobra que oclua a luz do Sol após o amanhecer? 
Pois os tempos correm e ninguém parece se aperceber...

Qual a Estrela que ficará atrás? será essa a mais bela - a que nenhum ser viu jamais?...


E - depois de invocar a chama mais bela, a vontade mais pura... o som mais sublime - que a tua alma segura: será que a companhia se manterá fiel?

Sem comentários: