Música

quarta-feira, maio 29, 2013

not alone pt VI





Canto simples...
discreto
subtil...



efémero fundamento
maior e mais profundo
do que rocha viva
ou o seu mar das águas mil



que é clamor...
imenso...
pairando
- livre -
ao vento


sibilando de mansinho em verso 
entre o cabelo que remexe o tempo

video


ecoando nas vagas do mar na sua costa... 
como na palma em palma amiga
contando de forma simples…
expedita



aquilo que ecoa nesta nossa alma minha
canto do mundo em todo o mundo ecoando



Essência que se não vê... 
que se revela naquele, naquela 
que assim crê...




No que vai mais alto e de si se despoja... 
e nesse seu salto alto... 


desperta a Luz e abre a Viva Porta...
e por ela entra quem em nós mora... 
e aqui se faz ficar... 


 são as rimas do poeta, 
notas da melodia selecta, 
cores da palete milenar...



Quando entras nesse fino estado... 
cristal de quartzo biselado... 
linha de prata que eleva o olhar


vês mais alto, vês por dentro... 
vês o que te era velado revelar...



E pairas nas asas da brisa... 
com a palavra entreteces magias... 
com a visão interior vês cada ser maior...



e cantas a rima dos tempos, 
gravando teu nome em cada momento... 
ecoando por sempre no SER MAIOR...



assim entras... 
nesse espaço interior...



assim sentas 
- o teu ser no seu lugar melhor - 



é esse o caminho que se abre para o que se entrega por AMOR



Como a criança que abre os braços... 
correndo livre pela praia espelhada...


vagas iradas a saudando.... 
tapetes de ouro e prata 
dia sem fim que se acende por dentro ecoando...



- ela paira - 
gaivota estrelada, criança sagrada
 - entre o nosso íntimo firmamento...



 e é a vida, e luz e é lugar e é vaga e é mar... 
e é brisa e vento na cara que se expande na luz mais clara


e é grito que ecoa sem medo a nada... 
e é livre e feliz... por ser assim... 



simplesmente... 

assim...



É esse ETERNO que em ti mora...
E esse que te enamora... 
porque o sentes... 
o sabes... 



pois O deitas cá para fora quando o “dó” de teu peito desfaz o gelo que te aprisiona...
e a chama viva e pura desse teu ser... 


desponta como nova AURORA por entre os cristais dessa neve fría a derreter...
sementes dormentes desabrocham em Vida 


tocadas pelo AMOR MAIOR que tudo recria


eis o poder que se não impõe,
que se não define
que de si nada diz 
- mesmo falando em tudo e toda a gente -



eis sublime... 
que te fala somente a ti...
com palavras que a vida gera
 no seio de quem as entende...



eis a essência que te recria,
eis a força que te motiva
eis a verdade que se não questiona... 
eis habitante além da mente ou memória



eis o som do poema criança
palavras de recriação
linhas e frases que por si mesmas falam
cores que brilham sem luz nem sol



e uma branca flor te ilumina... 
paira em teu redor 
te reunindo em sintonia... 



água clara... 
névoa celeste...
verdade escondida
clareza pristina 
visão interior
ser maior
olhar cristalino
além da aparência
pura essência



sorriso sincero fragmentando o destino
porta aberta, 
luz secreta, 
vereda velada
porta sagrada que a mente engana..



de novo és a Criança... 
abres os olhos com graça... 
vês a tua eterna herança... 
mundo novo em novo peito a surgir... 



veredas abertas, misteriosas descobertas...
 todo um mundo de vidro e luz a conceber... 
se expande entre explosões vivas 



se geram novas sintonias...



 gaivotas pairando no ar, 
pisadas na areia de um profundo mar, 
vagas antergas, 
rochas primevas... 


mundo novo a germinar

círculos de histórias que nos preparamos a quebrar...
verdade latente,
eternamente presente,

prestes a se revelar

video


Sem comentários: