Música

domingo, maio 26, 2013

Not Alone pt IV



E aparecerás...
nas roupas novas que hás de usar...
já mais tu...
já mais eu...


muito mais do que é nosso dizer...
algo mais que nos une e se faz assim manifestar...



Entrega o teu ser
- a esta força vivaz....
consciente de ser
- tu também -
vida plena,
chama que o tempo não pode apagar


Transforma a tua essência
num novo ciclo a guardar...
entre os muros desperta uma luz...
para os puros uma voz conduz...


entre os jardins
- mil flores a despontar -
eco da Primavera feita palavras
cores vivas , gentes amadas
que se preparam para frutificar...



- mão e mão entrelaçada -
O soriso interno de quem se encontra além do nada
de caminhar por caminhar
- de existir por desistir:
de sentir, intuir e vivenciar



coragem da opção de se avançar
contra o que é a aparente maré...
que é este mundo novo
que te é dado a conhecer

Por isso - vai - quem te pode reter?
Se a ti mesm@ não pertences?
Quem te pode prender?

Se em ti não és mais do que gente?
Quem te pode definir...
se o mistério que te habita
em roda de ti gravita
e nunca será feito definição



Quem te pode reduzir
- se a luz que te ilumina,
 eco vivo que te germina
- é o mesmo que ecoa em teu redor...

Voz viva
da vida consciênte
 que se faz melodia no teu coração

És vida feita gente...
sintonia entrelaçada de repente
num mundo novo a se contar

video

em cada passo o mundo muda 
- teu eco o saúda -
e tudo volta a começar...

Cada cadência uma nova esência
- mesma luz branca feita cor -
Cada som um eco distante
do unico e verdadeiro SOM



silêncio a paz interior
pura e cristalina porta maior




A ponte de diamante que deves cruzar
construíndo em verdade 
cada um dos blocos que vais pisar


emitindo em realidade 
- o teu ser desde o centro do olhar -

esse que aninha no peito 
que se mostra na fronte alva ao vento
e que ninguém pode tocar



Ser que te perscruta e te guia, 
ser que se te anuncia... 
ser que procura afundar-te no pó...



O primeiro já existia, 
o segundo é teu guia, 
o terceiro te fará maior...



Confia 
- pois é esse o destino deste teu "dia"... 
- interregno breve - 
pausa na sintonia...


O maestro elava sua batuta.. 
teu acorde se prepara e se transmuta 
- para dar de si o melhor...



colocas teu ser no lugar de poder 
- esse que nem ameaça nem se deixa esmorecer -
e és mais do que o mundo no que cais...



e interregno se faz espaço aberto, 
entrelaças o momento e o fazes fulminar
fogo fátuo agora desperto 
- chama viva a irradiar - 



e entre as linhas que nos orientam 
- renasce a esperança entre a cinza e o pó -
e os que desesperam encontrarão 
em sí essa luz maior



e os que temeram
verão renascer a avé do ser
- asa com asa - 
na sua essência a se ver...



em gestos audazes 
- novos tempos a conceber - 



E todos os que plantaram 
 sementes de vida que não germinaram - 
verão árvores garridas erguer-se do chão



Entre os vales se elvarão as aves 
que luzindo - o ceu cobrirão... 
estrelas vivas



pairando por entre os livres 
aquelas que vestiram as roupas da virtude 
desse nosso novo mundo que se anunciou...




E desperta a semente latente no teu peio maior... 
e aquilo que não vias 
- mas que sempre sabias - 
será a tua verdade interior...






Sem comentários: