Música

sexta-feira, setembro 25, 2015

@ CANDEIA... MAIS ÍNFIMA... NO MAIS ALTO DE UM MONTE - AMPARADA SENDO - PELA FORÇA QUE ASSIM @ SUPORTE @ SUSTENTE E A FAÇA MAIS BRIOSA E MAIS LIVRE EM FORÇA FORMA DE GENTE... POR ENTRE A TEMPESTADE MAIS NÃO ESMORECE NEM MORRE SE FAZ ASSIM - TRANSCENDENTE!....

A GRAÇA QUE TROV@ ... @ QUE CHORA... SILENTE E SÓ... ... asas de amor e de amar.... em marés a teus pés reflexos.... que vem e vão... em ti - assim - ainda não!.... se vêm - e mais não se esvaem ficam - assm recordando a imagem.... que.... d@ outro mundo... d@ outro tempo.... @ssim proclama!... assim se entregando... imagens que - parecem que em ti se esvaem... por entre nós decaem.... em teu coração inda moram e choram e pintam com palettes de mil cores.... essas linhas que mais "s@brem"... linhas que @ bem... se descobrem... quando se enamor@m... do qu@ em veradade...asim puderem - ver - o que forem e os que ainda voltarem... assim avir ver ali onde convergem os rios que "mergem" - essas compaixão se voltarão a Bem erguer (em)






DESDE AS TERRAS D@ MAIS ALÉM - ADVÉM SOPRO QUE BEM PASSA E DESDE AS TERRAS AQUÉM DO  SOPRO - ESSE POR ENTRE NÓS PASSA E VIVE E DILATA AVIDA ASSIM SE ANUNCIANDO E PEQUENAS PONTES ENTRE-VIVENTES ASSIM .A BEM SER - ANUNCIANDO . SEM PROVOCAR DORMENTES ASSIM PRATICAS DE VIDA QUE SEGUIMOS HONRANDO...


esperanças no peito detidas sustidas retida sou libertas ... @ah! liberdade!.... loucura!... em idade.... assim sendo:

sustida qual formosura pura e livre se esvaindo....ao vento... chorando!.... lágrimas...tantas!.... quantas  a tempestade.... bem souber chover.... sobre o rosto @ descoberto... de quem assim tenha descoberto o seu Ser para@ bem receber...

Por entre a tempestade -assim....nua! @ idade... sendo lida.... assim... a idade de coração...  mais não sustid@... ess@ idade.... que é d@ vida... a promessa antiga !

 que bem: se expressa... une e entrelaça... e assim bem nos trespassa:


 de alegria! de ser d@ Vida...  de alegria! de ser d'esprança... de alegria... que na mais ínfima...nota ouvida quais as suaves risadas por entre as asas das aves trazidas - desde o mais longe... do mar... antigo desde.... ess@ fonte... que nos leva... bem mais além do p'rigo...





 nessa tal  lonjania... qual fogo pleno e puro -  um relâmpago!.... que a vida toda exprima...


 e mais não expressa.. sendo - que nem tem principio nem fim nem tem baliza nem se sabem« onde recomeça nem quando assim se diga que mais não sendo...  nem de  rapaz... nem de rapariga.. essas infâncias tão grandes tão puras quais GOTAS CRISTALINAS NA TEMPESTADE 

 - dessa tal IDADE... dessa natalidade por sempre pristina... que se anuncia... nesse tal SER QUE É TODO... QUE SE SEGUE... ERGUENDO!... 

NA MAIS ÍNTIMA LONJANIA... SE SEGUE - DEPOIS - ESQUECENDO... 


RELEMBRANDO- SEU ESTRANHO BRADO DEPERT@... "nos" despertando.... a seu tempo e depois - humilde... gigante!... A BEM SER ... se retirando---

 para  "seu" - ínfimo lugar.... para ese "seu" contento - para nosso vosso... a viva voz - sendo escrito e menos bem lido - esse @ "teu"... contentamento... de não.... assim... vergar.... nem rasgar!...

(e continuam procurando crendo e definido como outrem iguais assim expressando assim comentando... assim exprimindo... - na mente procurando 

- que nessa caixa... d@ raiz...maravilhosa! caiba... @ mais simples...@ mais humilde... @ mais suave...

 lágrima de saber a sal - honrosa - mas não explicita... nem explicitada... nem tendo por ventura.. uma causa... @ sua origem... por sempre sendo - estando - vivent@ Ser -  - para esses e essas -  @INDA VELADA)...



 
























Sem comentários: