Música

sexta-feira, setembro 11, 2015

A ESPADA DA PEDRA A ESPADA DO FREIXO AESPADA DAS AGUAS - QUAL FALTA - FORJA TU TUA SORTE E VÊ O ELEMENTO QUE VAI ALÉM MORTE



UM SOM DE ESPADA @ NASCENTE DE VERDE E INVESTIDA 
 DAMA DE BRANCO 
- de fulgor de reflexo... por entre as aguas... aparecendo ficar... banida...

BEIJANDO... AS AGUAS O RIO DAS AGUAS... O SEU FLUXO DE SABER... 
AMAR
REQUERER

marés se elevando  e os rios assim "palidescendo" quando o luar merece tanto e o dragão assim  se vai erguendo 
quando as artérias

 d@ 
Vida 
TODAS UNIDAS SE DEIXAM BEM SER

 ASSIM SE SO-ERGUE ALGO 
QUE 
VAI POR DENTRO CRESCENDO
 ...ser assim requerido sem sequer se saber...






TRÊS TEMAS
UM SUAVE E SUBTIL UM ESPIRALANDO E UM DE VOZES DE SE SENTIR ASSUMIR DE SABER ASSIM REQUERER
QUANTO MAIS SE SABE MENOS BEM SE ESQUECE E O QUE BEM POR DENTRO ASSIM   ....TAMBÉM - MAIS BEM -  ASSIM...PREVALECE...





 , TANTO ASSIM ENTREGUE DOAR AQUEM BEM @LEVE 
ASSIM A UM CERTO LUGAR 
ESPADA PARA UNIR GENTES 
EM 
VEZ DE SEPARAR

 - DEFINIDAS - 
 AS 
LINHAS 
AS 
ONDAS

MEIGAS 
MAIS
NÃO


SE 
DESFAZEM UMA SEGUND@
BARCA
PORTU

IDADE


NEM 
TODAS AS GENTES 
ASSIM 
SÃO 

...BEM CAPAZES...

DE
UNIR COM TESÃO
doirado o ser que desde sempre 
esteve e estava 
assim 
bem 
ao
lado

lado a lado assim se entre-pondo
 um rio de bem fazer 
uma agua verde
 sendo aqui 
onde bem mais 
não
poderia 
deixar
de
@
ser



Uma imagem .- num rio reflectida numa manhã qualquer quando o tempo não tiver significado e quando o vivenciar do tempo seja por dentro igualado assim qual uma@ luz que renasce e se -  @ bem - assim se reflecte... e se compromete sem nada dizer sem anel sem uma ancora... assim se poderá refazer...



Sem comentários: