Música

sexta-feira, janeiro 27, 2017

Depois de algum tempo seguimos a sonhar por dentro

Assim e sempre
o comemorar
aproximam-se
os meses
para celebrar!

num começo simples
o querer enviar o amar

desde o mar
que se erguia submisso
pacífico e não Atlante
simples e não gigante
apenas para assim se ler

em via de vida assim prometida
assim a réstia do próprio crescer

nestas bandas a se saber
e ver aflorar
a superfície das augoas:
as mensagens mais castas

junto das mais bravas...
que se lançassem

no tempo entre
oceano e lugar
antigo e desconhecido...
entre o saber que é sem poder:
e a sua outra face em miragem

como a arte e amor amigo
desse ar de amar sem p'rigo

assim como velejar
sem caravela e apenas
ao se chegar ao lugar
 aonde a treva se ligava
 com o seu ser solar
e nesse ar solarengo

 estivesses tu ao relento relendo
 aqui nesta obra a invernia a passar

e nesse outro oceano
que se estende de lado a lado

sem sequer se pôr
em causa a sua cor

de coragem de viva imagem
desse seu ser sonhador

o amor mais vasto
o amor mais pleno
o amor que nos entra
qual ferida aberta
depois de o ser
sendo-o a curasse
a cuidasse
e sarasse
e voltasse
a abrir
para poder escolher

o que quisessemos fazer
com o proprio ser...
sabendo
o voltar
a namorar
e a morar
mais além
do tempo...

Sem comentários: