Música

sábado, dezembro 20, 2014

P´remios NOBEL - NOBREZA INTERIOR além do saber exterior...







seguindo
labirintos


dentrodo proprio ser´que
ora
laboram
ora sonham
ora diluem
ora concentram a luz
e a fazem ser real
mente
vida

e seguemé seguem´nesta
acção dourada
de ousada
poesia 
devida


"Nenhum ser nos foi concedido. Correnteza apenas 
Somos, fluindo de forma em forma docilmente: 
Movidos pela sede do ser atravessamos 
O dia, a noite, a gruta e a catedral "

Pantha Rhéi - SENHOR OR áculo
Del Fos...
quem dizia
conhece-te
a ti mesm@
conhecerás mundo e deus@s

quem lia
Socratio
assim dizia
pai de logicas trancendentes
sendo vivi«o
sua vida em gesto e maneira
não a escolástica
irmã da primeira












a camara espelhada
a tipla imagem´do ser´que jaz´na gruta´cogelada

algo que clama
desde o pr«ofundo
a que atrevessemos
o lugar mi«ais negroóu iracundo

gravando imagens de corno
entre imagens de louvor
ver além do espelho
e ouvir coz de amor











entrar no labirinto
"en mezzo d'el camino de nostra vitta"
é perder-se

uns nem entram
estão sempre lá
são personagens inventadas
para nos dar pistas
éxagenadas
pelso tais
os pardais
os que
se fazem
não opetivos
especulativos

qual bola colorida o mundo avança
ATENÇÃO
a criança não mente
consciente
se  alua foi conquistaéntão se desfaça o templo emcinza
e não sobre nada...

a verdade é pedra firme
sobre ela foi construída o jogo
que alghuem usou meias pedras
de degredo
para causar nojo

inventou desafios frios´vej-ase agora o tojo
barrando caminho com espinhos
assim se desfazá ideia sublime
qeu em tempos 
foi audaz...

os jogadores
senhores
e suas legitimas irmãs
tradutores
assim se recordem´basta que uma das pedras
não pertença ao "dominó"
para qu s enote
onde reside
e onde está o "nó2

desfazer tal é tarefa gheral
destrançar
e de novo entrelaçar
para bem estar
GERAL
quemsabe e consente - mente
quem sabe e se arrepende
opera
e de senvolve
de tod a aforma e maniera - persevera
´pelo restituir de verdade perdida
que se fez oca e vazia
pela pedra de base
fria

VERDADE

o amor que lhe tenham 
à vida
sej«ra a medicina
perdida
a pedra´verde peseguida
é esa  VERDEADE
que se esa'vaía

e a esperança
sempre luzidia
a estrela mais candenteénre anoite mais fria...
se ainda não comoreenderam quem fala
fala em todos nós
e mais não cala...







O Labirinto Parado (Madredeus)
Perdi-me num labirinto de saudade 
Senti 
À montanha 
Dos sítios que não mudam 
Subi

E ao abismo 
Do vertiginoso futuro 
Desci

Procurei para o sol 
Procurei para o mar

Mas sem ti 
No céu da paisagem daqui 
Afinal não saí 
Mas sem ti 
No céu da paisagem 
Perdi 
A noção da viagem

Na pedra já mais que branda da memória, 
Escrevi 
Com o tempo 
que o musgo vai levando a crescer

Com o brilho que a esperança nos faz 
no olhar 
Escrevi 
Que a saudade é prima afastada do vagar

Mas sem ti 
No céu da paisagem 
Perdi 
A noção da viagem 
Mas sem ti 
No céu da paisagem 
Daqui 
Afinal não saí 
Mas sem ti 
No céu da paisagem 
Perdi 
A noção da viagem












Sem comentários: