Música

terça-feira, outubro 09, 2012

TEMET

Quando...

Os teus dias pareçam as névoas doOutono desfolhando ao vento dos dias e das horas lentos... que não passam... que se estravasam em novas horas e novos dias repetidos...

Quando, os teus pensamentos e sentidos estiverem toldados: pela rotina modelados... sem vento nem saída - janela, casa ou perspectiva...

Quando: a vida que por ti clama se torna numa pálida e incipiente chama... que a brisa apaga e que a tua força ainda não consegue suster...

Então - recorda!

Quem é este ser?!?!?...

Este que agora escreve... este que agora relê?...

Quem é esta presença - que enclausurada entre quatro paredes - se desliga e suspende - o vínculo vital que o prende a tudo aquilo que REALMENTE ele É?...

Quem o que tenciona?

Quem pontapeia esta bola em direcção à escola da vida que se pretende apreender?...

Quem o que ignora... quem o que pretende saber?

Quem o que anseia? Quem o que suspira... quem o que receia não encontrar guarida no teu coração de mulher?

Quem o que aspira a te encontrar por inteiro neste que fala, pensa, sente e te quer?...

Quem o que por mim respira? Quem o que através de mim fala? Quem o que comigo aspira à imensa e única chama?...

Quem o que curva entre as sombras... quem o que ondula nas linhas brancas?

Quem o que se esconde agora e promete estar contigo quando a noite acalma?...

Quem?... digo EU... quem te vê?

A ti - sim - a ti; oh tu que me lê...

Ou pensas que me és indiferente? Pensas que o teu pensar e sentir já não penetrou em mim?... e - EU - em ti?...

Quem pensas que és? Ser isolado, que se esconde como gado e se humilha a meus pés?!?...

Tu ÉS!

És o ser que me encontra, o que comigo toma o pão e o vinho e se faz mesma carne.... és arte... movimentoe vida... por isso te posso sentir... assim...

Além, de definição e estrutura... SEI quem tu ÉS!...

TU ÉS!

Não te serve, não te chega? Não te sobeja para arrancar esse ser que lateja de entre a imensidão das horas; elevar-te por entre os rescolhos e despojos arrancados aos que ainda provam - dia a dia; hora a hora - que respiram a vida - que marcam perspectiva e se não rendem perante a idiota tirana que se entende soberana deste mundo nossa nação...

Aqui nascidos, aqui crescidos... aqui estão as raízes dos nossos avós...

Queres mais - queres saber quem... o quê.... somos nós!

Somos o lume que dá vida à treva... a vida que aquece e eleva o que de ti mais alto há para refinar...

Somos NÓS...

Tu e eu - que me lês, que te vês, que te repulsas e impulsas e que aqui regressas para te ver...

Eu sou tu... tuas costas no espelho da vida... tuas quimeras e conquistas e batalhas perdidas...

Onde quer que vá - tu vens.. e onde quer que estás - estás em mim também...

Por isso - VÊ...

Não há coisa como a separação - apenas linhas e limites que a mente tece constantemente para nos manter na ilusão...

Mas TU - que és EU

TEU - VÊ

TEMET


Sem comentários: