Música

sexta-feira, novembro 20, 2015

FALTA AINDA - TANT@ - POR @ VER... NASCER...



no 
amor
às de vencer
anim@

libertar

com fogo 
ameno 
amigo pleno

assim 
bem
se 
bem

conjugar

assim 
reforjand@

um@ 
"espada"

SER

de vento 
d'agua de luz

deste 
solo 
que 
bem
 sangrando


desd' 
@o 
mais profundo

sua vera luz
desde o mais alto... 
dos mais altos pilares
ess'@ estrela



de brio

de vid'@

encontrar


és
tu
assim 
em
bem por
em 
cim@

de 
mim
sem ter 
d@ ser

qual 
uma entrada
d@ 
cinema
paga


nem a saida
de uma casa
que
d'@

amor

infame
se 
inflam@







e as flores que já vemos em 3Ds assim sendo - qual o enredo de te ver a mim e a ti assim também quais vedetas menos bem vedadas e quais vetas CRISTALINAS DE ESTRELAS NUNCA DANTES ASSIM - sentid@'s - contadas.... bem vistas... de costas voltadas - @o chão... desta terra mãe assim - MOLHADAS... e quando entre olhares as mesmas - em silêncio - se viam - @ sendo - vivas.... por dentro... por fora - MEROS REFLEXOS... de uma vereda afim a ti e a mim - PERSPECTIVAS as novas sem tempo - FUGINDO e as velhas COM TEMPO - se ora valendo ora desvanecendo - por entre a bruma e o tempo - sendo despejadas - aos milhares de milhões de devoções de coração em vida @ssim - delapidadas - quais novas pedras novas gema s- mais não entrelaçadas - mão em mão assim sempre - sendo qual um belo passeio assim por fora afinal por a dentro - assim - quais jóias que sendo quais diamantes por sempre ofertados seres humanos vendidos trocados de seus vivos pares demacrados desmarcados arrancados despojados para se unir em cola de papel - de celulose de teflón que ess'@outra... a viva senhora... nem cose nem deix@r á de coser.... uma amplitude sem termo sem tempo para se bem amar ora se bem condoer... ora se vir @ corresponder

Sem comentários: