Música

sábado, agosto 08, 2015

UM CAMINHO E VEREDAS EM COMUM - ALGO QUE NOS AJUDA AVER O QUE NOS UNE




as veredas as "veigas" que ainda se podem transformar 
- umas vezes em forma -
de 
terra viva e outras
d@
 ...terra a rimar...








depois de um caminho - menos trilhado - 840 km - por um - 740 km -por outro lado - sete vezes - mais duas - assim - uma de bicicleta - assim começa um caminho que se repete - na via e na vida- sol nascendo - nas costas - olhando um mundo - todos os dias igual - todos os dias diferente... sentindo - pessoas - convergindo - diferentes - do mundo inteiro - assim - ouvindo - e sabendo  que levantamos - sem estar num serviço militar - em hora afim semelhante - igual 4 horas da manhã - hei! - e seguimos- rumo ao mar - mar de amor e- de primores - de sol a sol - a 25km por média- 5km por hora - de mochila - oh bela mochila - que é amiga a TODA A HORA - peso que mais não incomoda - de menos do que se pensa- uma fralda de criança que chora - assim leva - seca e mais não ganha - cheiro - seja de algodão - barata ou não fica bem - e pesa pouco - assim começa a viagem mais iniciativa que um outro - louco disse ser de magos - entre um caminho de espiritual bonança - primeiro histórico da Europa - que junta - sem ser tropa- o mundo inteiro - e nem se "topa" - PONTE LA REINA - 120- mil - por ano... e entre quem passa- o mundo inteiro a li bem pintado - por vezes Brasil - afamado estava - depois até o Japão ali se ficava - e entre o mundo e os amantes de caminhar e de serem de novo infantes  a descobrir - alvoradas veredas abertas - pessoas que pareciam - erradas sendo de novo certa s- um ser que de tatuagens coberto de argolas nas orelhas - de seda e cetim vestido - na "perneira" - qual ciclista de roda cheia - e com quatro bastões no braço pendurados- promessa das gentes da "euskadi" - assim lhe tinham encomendado - descobres um ser diferente - um"pedaço de pão " realmente - que andava e a servir de "sicerone" a guiar quem mais não pode - assim espanhol a bem falar - como outro que assim fala e que - INGLÊS LINGUAGEM FRANCA assim podia- traduzir sem deixar de se fazer notar - outras vezes gentes - que eram - da politica estranha- da NASA programa de satelites - de "intel" - que assim - nas calma s- em 2001 - andavam depois - dessas torres - em "NÁJERA" - TEREM DEIXADO DE EXISTIR - nunca se sabe - com que se caminha - com Israelita ao lado - que dizia não ser "sionista" - e com gentes simples - que mais sendo - quais gentes que se vão dizendo - assim merecem- uma especial - noticia não derrotista - que CAMINHAR - assim lado a lado - ao mesmo sol ao mesmo ar - no mesmo lugar dormir- CHÃO OH

- CHÃO TANTAS VEZES VISITADO -

 em saco de mochila prendada ou de - madeiras de pequenas colchetes cheias - ou de camas no que o vizinho de cama a vizinha de baixo - poderão nãos ser bem - quem se pensava - ressonavam...

 e as ditas sintonias ovações de milhões de vozes -assim preenchendo - eram quais sons mais velozes que asim seguiam sendo - mesmo na noite - 4 DA MANHA - ZIPPERS os acordesmais discordes e as sacas de plastica svozesa nos bem desopertar - todos iguais - sem ser «militar - todoa smachar pela  noite dentro - sem assim se deixar notar - lusco fusco assim avançando grupos de cento e cinquneta na madrugada - entre italianos e norte ameri ingleses todos somos afinal portugueses - asim navegando - basta estar lá um entre mil para sermos assim .tantos.. que iguais se vão reconhecendo - nas mesmas condições  deitando e erguendo - e assim - sendo qual um som - de um passo ecoando de uma voz silentes se elevando o de um rio de gente que - ate ao mar - como nós - voz - caminhando - assim chegam e chegam- tanto tantos e mais não esmorecem atá assim bem chegar e outros perseveram e continuam e a sul - vão arribar e de sol a NORTE  uma e outra vez - E ALGUNS VÃO MAIS LONGE - crer ou não poder - até Jerusalém - três anos - e marcha entre quem assim era rio e quem se fez gota de amar de peito cheia
 - dois portugueses de regresso reencontrados -

e um terceiro ouvindo assim- estatelado - e mais não se encontra um caminho que nos conte como um a reviravolta de tantos e tantos assim seres HUMANOS em vidas assim entrelaçadas

- sendo quais ecos distantes se fazem representes em novas e vivas passadas - esses que passaram os PIRENÉUS - três REFORMADOS - que marchavam - como nunca os viu- assim este detrás - isolados- parando para umas conversas -e depois chegando SEIS HORAS - 30 km - acima e abaixo em declive de encantar - como na via da vida - umas vezes em cima - almejando e outras descendo - com cuidado - sustendo - até de novo voltar - a subir - levantar...

 - e depois - HAVER - COMPRINHAS - DESCANSAR e ver as tropas SERES HUMANOS entre linhas de carros - de linha achegar - e mais assim - RONCESVALHES - despejando - HUMANIDADES que no inicio - se vão descobrindo - depois  vão cansando - depois se vão - espalhando - entre veredas - de bem querer - quais alem- Tejos  sobre horizontes amplos - as "mesetas" que se bem expor - caminhar no sol - rectas sem fim - meditar ou vir por dentro - o saco a mochila - o vento - o por esvoaçando a terra já lavrada e tendo sido recolhida - em si não parecendo - nada - nem uma "arvorezinha"... as sombras poucas -a mochila qual coração a "latejar - assim nas costas companhia - a amiga - que nas encostas - monte acima - se pode assim colocar - contra as costas - vento e chuva - pela frente que entre quando sobes - pouco - quando estás - por detrás- nem queiras saber o arrepio de frio e sentimento de afundar ao ser e estar - subindo... amiga MOCHILA AJUDANDO E UNINDO...

- e ao baixar "@H GLORIOSO CONTRAPESO! - que assim - bem calibrada - nos mantém mais sou menos A PRUMO - para seguir  a caminhar e quando descanso - urge - debaixo de um local sem sol- assim se pode - utilizar - o peso da mochila  a carga amiga -a nosso favor mais não a dor deter de a carregar...

 Na meseta - e no campo aberto - sem protecção contra o incerto - quando nas alturas troveja de repente e o granizo aparece - magia- de centímetros de piso- que "resbala" - assim qual uma linda de patinagem em gelo - por onde - depois - a água - canta e dança entre a lama - assim se sente o cavaleiro e a dama
- livre entre  a bonança e a tempestade 
-assim TODOS E TODAS - passamos - PORTUGUESES SOMOS E FICAMOS e ao contar histórias e memórias de amigos de bem caminhar

- sabemos que todos passamos - por esse tal lugar - e que enquando nada exista de frente de lado - para nos amparar - até uma cabana - de pastores de ovelhas que é candeia acesa - na noite mais fria - se transforma em lugar de recuperar - a roupa que nos queimava e se esvaia - outras vezes uma campainha - no monte mais alto - uma mão que se mantém - mesmo entre a neve o frio e pranto - das florestas e das "invernias" e desde as planícies - mas elevadas- assim - no frio relento cântico de vida reanima...



assim recuperando e tendo recuperado - uma aldeia que estava de pedra - ao lado - ser tombado - que agora é reconhecido - é visitado - é da gente amigo - em lugar "de cujo nome " toda a gente procura ainda a passagem - este ser -que era empresário - de capital foi parar - a local - de "MANJARÍN" - ara ser - recepcionista oficial - de um lugar que soa - por ti e por mim- e por toda a gente que ali A BEM - BEM PASSAR

- no frio da montanha Leonesa- esse que bem pesa - quando "entranha" -

- entre a neblina que se respira e mais não se vê - um pequeno gesto - de algo de esperança - um café ou leite e umas bolachas e um lugar onde as a escadas para os ILUSTRES DORMITÓRIOS estavam feitas com - acessórios manuais - e os locais- com mantas bem no chão de madeira - e uns gansos - como se fossem policiais locais - e - estrelas e estrelas sem fim - para quem quisesse ficar a pernoitar e ouvir histórias - cotar memórias ou simplesmente ficar ao olhar ali onde mais nenhuma outra luz se estendia para a luz do "dia" interior- assim ofuscar - caminhos de vida- encontros entre vida s- lugares - antigas perspectivas - acolher e receber e PORTUGUES@S - sendo todos - assim assumindo - a chuva e o vento e o Sol que vai por dentro - e os lugares mais dispares


 - para sermos reconhecid@s como seres HUMANOS @ DIGNIFICAR...

- ao caminhar - a HUMANIDADE que assim se pode ver - encontrar sentir e vivenciar...








- assim encontrar JÓIAS DE COROS DE GENTES entre aldeias do lugar - COMO AQUI - assim recebendo - levando sacos - de peregrinar - nas costas- VOLUNTÁRIOS INTERNACIONAIS quinze dias de  GRAÇA em lugares de "encantar" turismos não oficializados- "voluntarios"...

- como ALGUNS DE NOS - que assim desenvolvendo SEU AMOR POR ALGO e ficam como assim - um dia - ficamos.. recolhendo - as BATATAS que sobravam da colheita...

- para os que vinham na nova "receita"... na nova onda de gente - no rio de agua vivente que todos os dias preenche aquelas aldeias - de "gentes novas e menos velhas" -


- que assim ainda - se erguem - logo na matina e colocam - seres de vida antiga -a ver a surdina -  a bem passar.. e a meter - "conversa" com aquela aquele que assim - lá lhes bem calhar...




Promover vias alternativas em lugares de novas vias - e vitalizar da forma com o assim se pode - lugares - e horizontes - de historia e cultura e etnografia - arte e história - assim diversificar - rumos e caminhos - em prol - de certo s- lugares - e "lugarzinhos"- e pessoas- e vizinhos- e gentes- que assim queiram- desenvolver  a sua terra o seu brio a sua forma de ser e de estar;


- enraizando e ficando - tantas pessoas como lugares a vivificar - como o tal "manjarin" que das "ruínas" assim se ergue - os locais - assim também - em vias alternativas a bem se servem...

e o caminho amigo centenário que unia e reunia gentes - de forma e brio - qual rio - assim pode de novo reunir - sem massificar -  @ ajudar a sentir esse algo que nos pode reunir sem nos "misturar  que nos pode ajudara sentir - esse algo que paira no ar... que nos liga quando se bem esquece e que nos desperta quando @ bem reconhece...


- a ver como a semelhança se convida afirma e avança - por entre mundos onde a diferença parece também perseverar - assim ver as pontes em vida que umas linhas bem traçadas e uns percursos de gentes locais assim quais:

- pedestres -  bem localizadas - poderão - assim - levar - "rios de gente" - viva - e de vivência -  as localidades que assim considerem oportuna a hora de@ - manifestar -
a sua força o seu brio e a sua capacidade de bem - adaptar e preservar

- como aldeias de Portugal - que assim se vejam e bem estratifiquem e que assim - possam.- conjugar - os verbos - as letras as "instituições" pares que assim - se comprometam
- a - entrelaçar - OS VÁRIOS CAMINHOS E ROTAS ALTERNATIVAS

- QUE @ caminho - possa assim - @ bem representar...




Sem comentários: