Música

terça-feira, novembro 05, 2013

Pt- III - O Sonho a Cumprir...nevoeiros que têm fim...






Eram as gentes - esperando - silentes
horas a fio
39º graus que dão frio
recuparar
uma identidade perdida
esperança
NUNCA esquecida
das raízes ANTIGAS
voltar
a PLANTAR...

embaixada
gente erguida

até que a porta fechada
se...

abrira

Tão profunda forma de ser
De se estar…
de bem viver
De amar… sem saber
Apenas por ser… e estar
No Nosso verdadeiro LUGAR…

As terras vivas,
de gentes erguidas…
são como as forças antigas…
– as que por dentro –
Animam…
As que estão prestes a se mostrar…

são a natureza intrínseca
daquilo que nos motiva
a caminhar… a viver e a abraçar
a vida, os outros,
a nossa comum natureza
singular


calmas, serenas e amigas…
pisadas velhas e antigas…
no ânimo de bem se enraizar
– além do medo e do degredo
– habita a pureza –
SER ORIGINAL…

Onde as muletas inventadas
Baixa a desculpa da vida calma
E pausada… que agora procuras
E dela – encontras nada…

Eis onde – ali -
Se não transformaram
Em grilhões e amarras
Vidas velhas, cinzentas, passadas

Entre rotinas apertadas…
humanidade que não sobra em nada
ruas demasiado fechadas
Pra um VERDADEIRO SER
PASSAR sem ESMORECER…

Falo de Onde se crê
que a vida convida – sem se saber
que a vida ensina
e temos tanto a aprender!
Que os véus que iluminam
Te estão a cegar
E que além do teflón,
do ecrã da televisão

Há um mundo interno
a celebrar
Descobrir e
Partilhar…

De forma serena, calma
– seguida – pausada
Com tempo para ouvir,
sentir…
Dar a mão…
assumir
Que tudo em volta é bom
Como o é o teu sublime coração
Cor – centro – desta vida e fundamento
Da outra realidade que convida
Cada teu elemento – ainda agora
Fragmento
De espelho
Que será elemento novo
Onde outrora vias o velho…

Mais além que o ecrã
dessa outra televisão
É a vida nova
que está para vir
Além da tua visão

Vê bem – “ouvê” com atenção…
Um mundo de cores vivas
À espera … te dará mão…

Passo a passo…
tensão no ar
Parto que desperta
do pranto

Em segredo
A se revelar…

Vê bem quem vê no espelho do saber
O ser humano antigo – verdadeiro –
além do velho está o que ouve
o que sabe
o que sente além da idade
experiências e opções
que valem muito mais
do que todos os cifrões

Milhões de ouro vivo
No escuro – teu verdadeiro brilho
Aquele que não mais cederás
Aquele que mais não entregarás
Aquele que germinará
Desde dentro de ti
A porta abrirás..
Tens a chave
A chance
E a coragem

De assim fazer voltar
A vida que – perdida
Paira além mar…

Entre aqueles que suspiram
E aqueles que esperam
Que a vida os volte a chamar…

Vê bem
quem começa
desde já a acreditar

Que na vida
mais simples
está o dom
de bem avançar…

Essas gentes trazem recordações
– que vale bem a pena recordar
São eles a orientação –
que, de entre o nevoeiro
- nos vem tirar…

E despertar!...

Sem comentários: