Música

segunda-feira, março 07, 2005

Água da Vida

Sim! Começou a chuva e – com ela – a vida renasce com efusividade... A vida que começa e recomeça, numa espiral contínua, num final de capitulo do “Siddartha” de Hesse – onde todos os rostos se fazem um no fluir dos tempos. Aqui estamos em pleno surto de Dengue – chega a água e – para além de tudo o bom que a ela associamos – chegam também os mosquitos com a Malária, a Filariose e o Dengue. Mas – para compensar tudo isto – chegam as manifestações ancestrais de alegria. As pessoas atiram-se às ruas, exultam com a chegada do renovador vital. Enquanto o Malae assiste perplexo dentro da sua viatura, ou no interior de um café, os Timorenses passeiam nas ruas – grupos imensos – como se de um solarengo final de tarde de Verão se tratasse. Falam, riem. Outros literalmente ocupam as estradas – saltam, brincam, riem. Ha muitos que ocupam a rotunda do aeroporto de Dili – jogam à bola, namoram, riem. Este povo – que a nós Malae nos deixa tão sem jeito - é algo de singular. Todo um privilégio o poder sentir-se perto da sua alegria incontida, das suas raízes bem profundas, do seu jeito à flor da pele...

1 comentário:

Micas disse...

É incrivel...as tuas fotos falam por si. Só estando aí mesmo para tentar entender a alegria desse povo. Fica bem.